IPE DE PORTAS FECHADAS EM SÃO GABRIEL POR FALTA DE FUNCIONÁRIO.

IPE

Maria de Fátima pagou R$ 80,00 por certidão autenticada em Uruguaiana. O documento tem validade de 30 dias e tem que ser entregue no escritório do IPE de São Gabriel para evitar que o benefício seja suspenso. O prazo está terminando. Ela terá que pagar mais R$ 80,00 por novo documento. Além disso, ela também não consegue consultar, tanto em São Gabriel quanto em outras cidades

Com 1 milhão de usuários e 8,9 mil médicos e estabelecimentos credenciados, o Instituto de Previdência do Estado (IPE) é o mais abrangente plano de saúde gaúcho. Tamanho gigantismo resulta em problemas de igual proporção. Enquanto pacientes reclamam de cobranças ilegais, demora na marcação de consultas e exames, escassez de especialistas e recusa na autorização de procedimentos, o instituto contabiliza prejuízos sucessivos e descontrole administrativo-financeiro.

O atual panorama demonstra que o plano, que propicia assistência médica e hospitalar a 10% da população do Estado, está a caminho do colapso.

Em 2015, o Fundo de Assistência à Saúde, que custeia todas as operações médico-hospitalares do IPE, registrou déficit de R$ 107,3 milhões. Só nos primeiros cinco meses de 2016, o prejuízo era de R$ 27,3 milhões. Projeções feitas por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontam para perda crescente, chegando a R$ 879 milhões em 2023.

Conforme o relatório do TCE, esse descompasso encaminha “para uma situação de insustentabilidade, com resultados que inviabilizarão o IPE-Saúde”.O desequilíbrio econômico tem várias causas. A maior é o crescimento exponencial dos gastos. De 2004 a 2014, as despesas dobraram, enquanto o volume de contribuições subiu 40%. Do universo de 1 milhão de usuários (dados de 2016), 408 mil são dependentes, portanto não pagam mensalidade.

O aumento da idade média dos segurados eleva o valor dos dispêndios, e a permissão para desligamento voluntário faz com que servidores mais jovens e com salários mais altos deixem de repassar a cota de 3,1%. Ou seja, quem precisa de mais serviços médicos paga barato em relação aos planos similares – em contrapartida, quem prescinde de assistência e deveria contribuir com valor maior não se associa.

PEDIDO É PARA DENUNCIAR MÉDICOS QUE COBRAM POR FORA

Embora insatisfeitos, os médicos não têm se descredenciado do IPE. Continuam vinculados ao plano, mas cobram por fora ou deixam de atender primeiras consultas. Os que pedem desligamento muitas vezes credenciam os médicos-auxiliares, conforme revela reportagem do jornal Zero Hora, publicada no ano passado. Essa vinculação é estratégica porque permite aos pacientes fazerem exames e custear eventuais internações pelo plano.

No IPE, essa situação é vista como antiética. A direção pede que os segurados denunciem os médicos que cobram por fora para poder providenciar o descredenciamento dos profissionais, mas, na maioria dos casos, os pacientes têm medo de ficar sem atendimento.Além de enfrentar os males da doença, muitos segurados do IPE convivem com drama de consciência: denunciar as cobranças ilegais feitas pelos médicos e ter de procurar outro profissional ou seguir o tratamento com o especialista de confiança, mesmo tendo que pagar por fora para ser atendido.

Em São Gabriel, um caso denunciado em 2016 chama a atenção. A paciente acessa o site do IPE antes de pedir uma consulta, conforme os registros do portal, fica sabendo dos horários disponíveis. Contudo, quando telefona para agendar atendimento, as secretárias afirmam que a cota mensal já se esgotou. Na prática, o site do IPE funciona muito bem. O que não funciona é o atendimento do médico.

Na época, a denúncia de cobrança ilegal foi feita ao escritório do IPE em São Gabriel. Os servidores pediram que ela remetesse a denúncia à Ouvidoria. Com medo de represálias, o caso não foi levado adiante.

A SITUAÇÃO PIOROU

Hoje, o escritório do IPE está fechado há mais de 30 dias. Apenas uma funcionária, cedida pela Prefeitura Municipal, trabalha no local. Depois que saiu em férias, a profissional pediu para não retornar para o setor. A alegação é que há destrato das chefias em Porto Alegre.

Quem perde com isso é a população. Inúmeras pessoas estão sem conseguir atendimento, que já era precário e agora atingiu um ápice de revolta, levando pacientes, como a dona Maria de Fátima Coelho Louzada, de 60 anos, a denunciar o descaso.

Desde o ano passado ela vem tentando fazer o recadastro do seu benefício no escritório, mas como a sede local está fechada, ela acabou perdendo o “direito” de, pelo menos, tentar obter consultas pelo IPE, na cidade ou em outros municípios. “Eu passo o cartão, mas ele aparece como inválido. Isso vai permanecer assim, até que seja feito o recadastro. O problema é que estou assim há mais de 30 dias e sou uma pessoa com pressão alta, preciso ter garantias de que, se precisar de atendimento, vou tê-lo”, argumentou.

O QUE DIZ A PREFEITURA

O Secretário de Administração, advogado Valdemir Tita Jobim, admite que existe o problema, mas garantiu que a Prefeitura está providenciando a indicação de um novo servidor para o IPE. Segundo ele, esse processo deve levar cerca de 10 dias, pois o profissional deve passar por um período de capacitação.O IPE é uma questão de Estado. A Prefeitura, neste caso, cede um funcionário para que o serviço permaneça em São Gabriel, evitando que o escritório feche definitivamente.

WhatsApp Image 2018-02-07 at 12.06.35

Vereador Rossano com o presidente do IPE, Otomar Vivian

MOBILIZAÇÃO EM PORTO ALEGRE

Dois vereadores tratam da questão IPE em Porto Alegre.Na semana passada, o Presidente do Poder Legislativo, vereador Vagner Aloy (Maninho), do PSDB, através do Gabinete do Deputado Lucas Redecker, entrou em contato com a assessoria da Presidência do IPE. “Fomos informados que o escritório de São Gabriel conta com duas servidoras e que estão em processo de aposentadoria e transferência.

No início da próxima semana será informada a situação futura da agência no Município. Atualmente as duas estão em férias. A solução é um convênio dos entes envolvidos, para dar continuidade aos trabalhos e continuar atendendo a população”, disse Maninho.

27331621_1975375309451367_3526879479223784744_n

Vereador Maninho apresentou reivindicação

O Vereador Rossano Farias, do PSB, participou de reunião com o Presidente do IPE, Otomar Vivian, na manhã desta quarta-feira (07/02). “Coloquei o presidente a par desta situação que está causando transtornos aos usuário do IPE em São Gabriel. Ele nos garantiu seu empenho pessoal para que a agência dê continuidade aos trabalhos e permaneça atendendo a população gabrielense. Agora será dada continuidade as negociações para a firmação de um convênio entre o Estado e o Município”, disse Rossano.

Anúncios

SECRETÁRIO PROJETA UM ANO DE RESULTADOS POSITIVOS PARA A SAÚDE DE SÃO GABRIEL.

saude novembro azul

O Secretário participou de todas as atividades desenvolvidas pela Secretaria com contato direto com o público assistido (arquivo 2017)

A Secretaria Municipal de Saúde investiu mais de R$ 25 milhões na saúde pública em 2017. Os números revelam que a metodologia de trabalho implantada pela administração da SMS repercutiu diretamente na redução das filas de espera por exames, como vasculares, onde pacientes aguardavam há cerca de 4 anos. Outras propostas de investir na compra de novos serviços, como oftalmologia e traumatologia, a serem implantadas a partir deste ano, receberão ações em forma de mutirão, e devem levar os números de espera ao nível zero.
De acordo com o secretário de Saúde, médico Ricardo Coirolo, na prática, serão atendimentos globais com os profissionais contratados atendendo em um ou dois sábados, com exames e análises de quem realmente necessita de assistência complexa. Nestes casos, os profissionais já determinam uma data para nova consulta e cirurgia.
O bom desempenho da Pasta também tem a ver com a implantação do Programa Mais Exames – com oferta de colonoscopia, endoscopia, ressonância e oftalmologia, gerando 709 procedimentos no ano passado. Aliado a isso, a Secretaria possibilitou a realização 120 mil exames laboratoriais, com investimento de R$ 913 mil.
Conforme o Secretário, o Governo Municipal superou o percentual legal de investimento previsto por lei em 2017 e, ainda, teve que fazer a parte do Estado. No ano passado, o Município deixou de receber cerca de R$ 1 milhão e 800 mil. Mesmo com a parte do Estado não chegando, os programas foram mantidos. Somente o Estratégia Saúde da Família (ESF), considerado um dos mais importantes para o desenvolvimento do projeto da SMS, para que continuasse funcionando normalmente, o Município bancou, mensalmente, R$ 50 mil de obrigação do Estado.
Hoje, o Governo do Estado deve, em torno, de R$ 4,5 milhões para a Saúde de São Gabriel, valores que o Município tenta conseguir via judicial.
“Se nos pagassem o que é responsabilidade do mês, já seriam muito bom. Já nos daria um alívio. Mas nem isso fazem”, comentou o secretário.
Em média, de acordo com os serviços prestados pelo Município e que tem convênio ou participação do Estado, São Gabriel deveria receber cerca de R$ 200 mil por mês. No entanto, durante o ano que passou, a Secretaria de Saúde teve que cobrir, do caixa próprio, um montante de R$ 140 mil mensal. “Mesmo assim, dentro da nossa proposta de trabalho, atingimos os nossos indices”, disse o Secretário.

PROGRAMAS – Alguns programas, apesar de serem Federal, tem contrapartida do Estado. Ou deveriam ter, pois, na prática, isso não acontece. O Programa Primeira Infância Melhor (PIM) precisou ser mantido com recursos do caixa da Secretaria, assim como outros 13 programas, que tiveram que receber suporte financeiro para continuarem ativos.
O Secretário ainda revela um aporte de recursos em medicações de uso domiciliar, que não fazem parte do cronograma, mas a Secretaria tem a obrigação de garantir para pacientes que buscam esse auxilio via judicial.
Com a farmácia, por exemplo, no ano passado, a Secretaria gastou, somente com fraldas descartáveis para adultos, cerca de R$ 50 mil por mês. E não pensem que é dinheiro “jogado” fora. As famílias que buscam esse auxílio necessitam e o Município tem a obrigação de atender.

INVESTIMENTOS EM 2018 – Ricardo Coirolo acredita que o ano de 2018 será bem mais positivo. Com os projetos já encaminhados, propostas lançadas no ano passado começam a dar resultados este ano. A humanização do atendimento em Saúde e no transporte de pacientes, com 18.660 pacientes transportados em 2017, deve ser ainda maior.
Uma das medidas para melhorar o serviço é a implantação de um programa de mensagens de texto, onde o paciente fica sabendo pelo celular (através de um SMS) o local, hora e dia da viagem, sem necessitar se deslocar até a Secretaria.
A modernização no sistema e informatização também vão beneficiar o paciente. Os motoristas terão um diário de bordo e Agentes de Saúde do Programa ESF terão tablets com GPS, indicando a localização de cada um.
“Isso vai tornar o trabalho deles mais transparente e gerar alimentação de dados, já que tudo que é colocado no tablet entra no sistema imediatamente”, explica.
Dentro da proposta de melhorar o atendimento ao cidadão, a Secretaria deverá comprar novas especialidades, evitando que o gabrielense tenha que sair de São Gabriel para ser atendido. Entre elas estão Dermatologia, Reumatologia, Gastroenterologia e Cirurgia Geral.

PRESIDENTE DO LEGISLATIVO DEBATE PAUTAS DA SAÚDE COM A PROVEDORIA DO HOSPITAL DE SANTA CASA.

maninho com provedor

O presidente da Câmara de Vereadores, Vagner Aloy, recebeu na manhã de segunda-feira (15/01), na sala da presidência, o Provedor do Hospital de Santa Casa, advogado Marcos Góes, para planejar ações na área da Saúde. Esteve em pauta o processo final de implantação da UTI Pediátrica, a finalização do centro de Oncologia e a atração do projeto de Tele Neurologia para pacientes com diagnóstico de AVC.
Segundo o presidente Maninho, recomeçaram as negociações para finalizar a implantação da UTI Pediátrica em São Gabriel. “A Câmara de São Gabriel se comprometeu em atuar em favor da implantação e regionalização do serviço. Agora estamos retornando as negociações entre as Câmaras de Vereadores da 10ª Coordenadoria Regional de Saúde (10ªCRS) para concluir a parceria realizada ano passado”.
A parceria entre as Câmaras da 10ª CRS prevê o repasse do valor de R$ 855 mil para finalizar a instalação da UTI Ped, na Santa Casa de São Gabriel. Durante encontro com o secretário de Saúde, João Gabbardo, no ano passado, ficou encaminhada a habilitação da unidade para regionalizar o serviço, ou seja, o serviço passa a receber a verba necessária para a manutenção da equipe de atendimento.
A Câmara de vereadores também está apoiando o processo de implantação do ambulatório de Oncologia na Santa Casa. O presidente Aloy comprometeu-se em atuar para adquirir o valor necessário para a conclusão da parte física do setor e também buscar a regionalização do tratamento para São Gabriel.
TELE MEDICINA – Outro projeto que recebe o apoio do Legislativo gabrielense na área da saúde é a implantação do sistema de Tele Medicina em São Gabriel. Esta nova tecnologia é um tratamento realizado à distância para tratamento de pacientes com diagnóstico de Acidente Vascular Cerebral (AVC). O serviço é pioneiro no Rio Grande do Sul e promete reduzir sequelas e a mortalidade dos pacientes.
A Central de Teleneurologia de Porto Alegre funciona no Serviço de Emergência do Hospital Moinhos de Vento. Através de monitores e câmeras conectadas entre o Moinhos de Vento e as instituições credenciadas, médicos neurologistas realizam os atendimentos. Desta forma, os especialistas têm acesso a exames e contato direto com a equipe e paciente no local, via videoconferência.

PROJETO DANÇA DE RODAS PROJETA CRIAÇÃO DE ASSOCIAÇÃO.

DANÇA COM RODAS

Coordenadores do Projeto Dança de Rodas, desenvolvido pela Cia de Dança Valéria Lacerda com alunos especiais da Associação de Pais e Amigos do Excepcionais (Apae-SG), querem criar uma Associação. O tema foi discutido em reunião com 0 Presidente do Poder Legislativo Municipal, Vereador Vagner Aloy – Maninho, do PSDB, na semana passada. O encontro teve ainda a participação da coordenadora do projeto, Andréia Beatriz.
Segundo ela, o grupo funcionava em parceria com a APAE, mas com a perda do espaço para ensaios e do professor de dança artística, o projeto perdeu força. Atualmente, as atividades continuam sendo desenvolvidas em parceria com a companhia de Dança Valéria Lacerda, que juntas buscam revitalizar o Dança de Rodas.
A criação de uma associação pode beneficiar o desenvolvimento do grupo com o apoio para compra de uniformes, viabilização de um espaço para ensaios e a contratação de um professor para o grupo, além de proporcionar inclusão e entretenimento.

INCLUSÃO: PRESIDENTE DO LEGISLATIVO DISCUTE AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS SURDOS DE SÃO GABRIEL.

surdos (blog)

O Presidente do Poder Legislativo, Vagner Aloy Rodrigues, o Maninho (PSDB), pretende começar uma luta pela inclusão social no município. Na manhã de quinta-feira, o vereador recebeu no gabinete da presidência a Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos e Surdos de São Gabriel (APADAS).
Durante o encontro, Maninho orientou os representantes sobre os meios legais que a organização deve tomar para que a associação seja definitivamente constituída. Atualmente ela é formada por uma Comissão Representativa, sob a presidência de Simone Acosta.
A APADAS já possui um estatuto aprovado pelo cartório de registros, agora busca obter o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e definir um local para estabelecer a sede oficial. A data para Assembléia de criação institucional da APADAS ficou marcada para o dia 24 de fevereiro às 20h, no plenário da Câmara d Vereadores.
Como organização, a APADAS atua para dar continuidade ao projeto da banda musical formada por surdos e deficientes auditivos e já possui logo marca para identificação visual e perfil social nas redes sociais.
“Uma das marcas da minha gestão como presidente da Câmara será a luta pela inclusão social. Já estamos lutando por uma Lei municipal que garanta o acesso das pessoas surdas ao sistema municipal de educação e também queremos fazer a transmissão das sessões ordinárias ao vivo pelo site da Câmara com o suporte de um interprete em Libras”, afirma o presidente Maninho.

PROFISSIONAIS ALIAM AÇÕES DE SOCIALIZAÇÃO COMO ESTÍMULO À PRÁTICA DE ATIVIDADES DE SAÚDE.

academia da saúde

Academia da Saúde realizou caminhada no último sábado

Com o foco voltado para a promoção da saúde e produção de cuidados e modos de vida saudáveis, a Secretaria de Saúde de São Gabriel vem realizando, há dois anos, o Programa Academia da Saúde na cidade.
Com sede na Praça Dr. Camilo Mércio, a academia foi organizada para atender adequadamente a população alvo. Três profissionais de educação física (Dinarte Júnior, Manoela Meneguello e Roberta Teixeira) são os responsáveis por trabalhar com os grupos. O projeto é supervisionado pela terapeuta ocupacional Aline Boll.
Mais do que atividades físicas que ajudam a manter a saúde de idosos, diabéticos – hipertensos e pacientes com problemas nos membros superiores e inferiores, coluna e neurológicos, o Programa Academia da Saúde acabou virando um extensão da casa de cada um dos pacientes. No local, eles encontram amigos e um estímulo para encarar de frente as doenças.
Juntos, eles encontram alegria nas dificuldades com a dor. Aliás, a dor fica bem distante tamanho o resultado obetido com os trabalhos.
Ações que não ficam restritas as atividades dentro da academia. No sábado passado, a Coordenação do Programa revelou os nomes da Miss e do Mister, numa eleição que aconteceu durante a semana, “top secret”, com urna fechada e tudo. Os nomes foram revelados durante uma festa de confraternização realizada na sede dos Servidores Municipais. Noemi Molina, de 75 anos e integrante do Grupo de Idoso 1, conquistou o título de Miss Academia da Saúde. Ao lado dela, Noé Ximendes, do Grupo Membros Superiores, de 68 anos, foi eleito Mister Academia.

miss e mister academia

Noemi e Noé foram eleitos Miss e Mister Academia da Saúde

As atividades começaram às 9h30, com uma caminhada pela área central da cidade, partindo da Praça Dr. Camilo Mércio, fazendo o entorno da Praça Dr. Fernando Abbott e retornando a sede da Academia pela Rua General Mallet. Uma grupo de 40 pessoas participou da caminhada.
São Gabriel segue o fluxo de uma tendência nacional. A mudança de perfil da saúde tem exigido uma transformação na maneira como se organizam e são oferecidos os serviços de saúde para garantir o acesso e os cuidados relacionados ao cenário atual de adoecimento e mortalidade por condições crônicas, sobretudo no que tange ao excesso de peso e obesidade.
A Academia da Saúde funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min. São atendidos grupos de pessoas com dores crônicas (coluna, membros inferior e superior) encaminhados pelos profissionais do Programa Estratégia Saúde da Família (ESF), Clínica da Dor e Fisioterapia.
“Temos, atualmente, 17 grupos internos de atividade funcional e 2 de caminhadas nas ruas. São grupos gerais, de membros superiores, membros inferiores, diabéticos/hipertensos, coluna, neuro e idosos. São, em média, 350 pessoas que vem com encaminhamento de serviços de saúde como Fisio do Brandão e Unidades de Saúde, já que todos são atendidos pelo SUS. Aqui visamos a melhora na qualidade de vida dos usuários, temos ótimos relatos que citam como resultados a diminuição das dores, melhora na musculatura com autonomia dos movimentos, diminuição do sobrepeso e, também, um viés interessante, que através da socialização alguns relatam a melhora no quadro de depressão”, explica a coordenadora, Alina Boll.

EQUIPE DO ESF BRANDÃO JÚNIOR PARTICIPA DE ATIVIDADES NO BAIRRO DR. DÁCIO.

WhatsApp Image 2017-12-17 at 21.16.19

Moradores do Bairro Dr. Dácio realizaram na tarde de domingo (17/12), na praça de recreação localizada no canteiro central da Rua Miguel Santana, uma festa de final de ano com a chegada do Papai Noel. O evento foi direcionado para as crianças, com a realização de brincadeiras e distribuição de doces, salgados e brinquedos.
O evento também serviu aplicar mais uma etapa das ações de prevenção e orientação contra doenças sexualmente transmissíveis. Uma equipe do Estratégia Saúde da Família (ESF) 14 da Unidade Brandão Júnior participou do evento.
A enfermeira Jane Evangelho, junto com a Técnica de Enfermagem Aline Bittencourt e o Agente Comunitário de Saúde João Álvaro Moraes fizeram testagem rápida de HIV, sífilis, hepatites B e C e ainda deram orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis com a distribuição de preservativos. Mais uma vez, a Secretaria Municipal de Saúde disponibilizou a Unidade Móvel em Saúde para o atendimento. A ação aconteceu entre 15 e 21 horas.

  • Veja A Notícia OnLine no FACEBOOK