O MUNICÍPIO PODE CRIAR LEI MUNICIPAL PARA ACRESCENTAR FUNÇÃO A ATIVIDADE DOS AGENTES DE SAÚDE.

A entrevista com o Secretário de Saúde, médico Ricardo Coirolo, publicada pelo Jornal O Imparcial e A Notícia OnLine, na última sexta-feira (13/06), repercutiu muito. Somente na página do jornal online, o texto – que revelou a “permissão” dada aos agentes para marcarem consultas e exames – teve mais de 1000 compartilhamentos.
A maioria da população comemorou a informação, já que, nas ruas, os comentários era de que a Secretaria estava impedindo os agentes de realizem esse tipo de atividade.
O Secretário de Saúde negou e ainda afirmou: “Os agentes podem e devem marcar consultas e exames”.

A manifestação do médico Ricardo Coirolo não agradou parte dos agentes e refletiu numa série de manifestações pelo Facebook, com comentários que colocaram a “determinação” dada pelo Secretário em xeque. Agentes de Saúde responderam a críticas e afirmaram que a marcação de consultas e exames não é atribuição deles.
Em outras palavras, não adiantará o Secretário autorizar, pois eles não farão esse serviço.

Na prática, segundo eles, é a lei que não permite esse complemento a função de agente. Alguns até publicaram a lei no facebook e deixaram claro que não farão o trabalho, pois em nenhuma parte do texto está escrito que o agente precisa marcar consultas.

Coirolo admitiu que encaminhará para apreciação da Procuradoria Jurídica um pedido para criação de lei específica que tornaria legal essa função.

ORDEM DE SERVIÇO

Outro agente, através de uma rede social, afirmou que os exames não estão sendo marcados porque uma Ordem de Serviço determinou redução nos gastos. A medida atingiu também a marcação de exames e revela a falta de medicamentos e material ambulatorial, assim como papel higiênico nos banheiros das Unidades.

O Secretário confirma a existência de uma Ordem de Serviço. Mas ele garante que nada tem a ver com os Agentes de Saúde.
“A ordem foi para os médicos, solicitando a racionalização no pedido de exames. O que estava acontecendo, é que o cidadão chegava lá (no consultório) com uma dor no pé e o médico pedia 20 exames (laboratoriais, RX de toda coluna e assim por diante). Isso é desperdício do dinheiro do contribuinte. Não pedi para os colegas não solicitarem exames ou diminuir uso de medicamentos, em hipótese alguma! Somente racionalizar”, argumentou.

Ele confirma a falta de material.

“Quanto ao material de higiene, procede sim a falta… Problemas no Pregão fizeram com que faltasse.
Porém essa semana começa a normalizar”, explicou.

O Secretário ainda confirmou que a lei que permitirá o pagamento de incentivo (chamada de 14º), que já foi aprovada na câmara de Vereadores, está na secretaria de administração.

HOMENAGENS: CORPO DE POLICIAL É ENTERRADO EM PORTO ALEGRE.

enterro 1

O corpo de um policial civil, morto a tiros durante uma operação contra o tráfico de drogas, foi enterrado na manhã de sábado (24/06) em Porto Alegre. Na manhã de sexta-feira (23/06), o escrivão Rodrigo Wilsen Silveira foi baleado na cabeça quando entrava em um apartamento em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A mulher dele, a gabrielense Raquel Biscaglia, também policial, participava da operação e presenciou a morte do marido. As informações são da Zero Hora.
O enterro do policial ocorreu no Cemitério São João, na Zona Norte de Porto Alegre, onde também foi realizado o velório. Durante a cerimônia, um helicóptero da Polícia Civil sobrevoou o local, em homenagem à vítima.
“Ele era um exemplo para os colegas: menos de cinco anos de atividades já era chefe do setor de investigações, um policial determinado, focado, preocupado, comprometido com a polícia civil. resumindo, um exemplo para todos os outros colegas policiais”, observou o chefe da Polícia Civil, Emerson Wendt.
Além do chefe de polícia do estado, dezenas de policiais foram ao velório prestar solidariedade à família de Rodrigo a à esposa dele. O comissário Mário Viegas estava indignado com a morte. “É revoltante, é revoltante, porque quem tem o poder da caneta, de mandar prender, construir presídio, mandar soltar, não é quem vai pra guerra. Quem vai pra guerra somos nós.”
O delegado Rafael Sobreiro, ao qual Silveira era subordinado, entende que momento é “dor e respeito” ao colega. “(Ele) era um policial espetacular, uma pessoa íntegra, dedicada e que merece todo o nosso respeito e admiração.”
Na sexta-feira, policiais civis, rodoviários federais, agentes da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) e peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP) protestaram em frente ao Tribunal de Justiça e ao Ministério Público.
Também ocorreram manifestações em diversas cidades do estado, como Uruguaiana, Passo Fundo, Erechim, Santa Cruz do Sul, Cruz Alta, Santa Rosa, Santa Maria e em São Gabriel. Aqui, os policiais fizeram um minuto de silência em frente a sede da Delegacia de Polícia.
Rodrigo Wilsen da Silveira tinha 39 anos e estava na polícia há menos de cinco anos. Ele era escrivão e chefe de investigação da 2ª delegacia de Gravataí. Além da esposa, o policial também deixa um casal de filhos de sete e dez anos.

TIROS VIERAM DE UM QUARTO
Na manhã de sexta-feira, Silveira e outros três policiais cumpriam mandados judiciais em um prédio no Centro de Gravataí. Eles foram recebidos por uma mulher e avançaram na revista sem saber que e um dos quartos criminosos estavam escondidos.
Um deles percebeu a presença dos policiais e atirou. Os tiros atravessaram a porta e acertaram o policial na cabeça. Ele morreu na frente da esposa, que precisou de amparo de um psicólogo da polícia, levado de helicóptero até o local.
Ao todo, seis pessoas foram presas na operação, entre eles estava o suspeito de atirar no policial. Após serem levados para a delegacia, a Justiça decretou a prisão preventiva do grupo.
Conforme a polícia, o autor do disparo tem uma extensa ficha policial, que inclui tráfico de drogas, roubos e tentativas de homicídio. Por esses crimes ele acabou preso, chegou a cumprir pena no semiaberto, chegou a usar tornozeleira eletrônica, mas estava solto.
O presidente do Sindicato dos escrivães, inspetores e investigadores da polícia civil (Ugeirm), Isaac Ortiz, pede a permanência na prisão do suspeito dos disparos. “Um homicida como esse que matou nosso colega não deve estar solto, não pode estar solto. não tem que ter benefícios da lei. O crime contra a vida é o mais hediondo que tem, porque a vida é uma só.”

ESTADUAL JUVENIL: SÃO GABRIEL EMPATA EM ROSÁRIO E SE MANTÉM NA SEGUNDA COLOCAÇÃO.

classificação

O time juvenil do São Gabriel empatou com a Associação Rosário, na tarde deste domingo (25/06), em Rosário do Sul. O jogo foi realizado no Estádio Centenário e terminou com o placar de 1 a 1. O São Gabriel chegou a estar ganhando, mas acabou cedendo o empate para os donos da casa na etapa final.
O resultando recolocou o São Gabriel na segunda colocação do Grupo 1 com 14 pontos, a mesma pontuação conquistada pela SER Santa Rosa, atual terceira colocada. E as duas equipes se encontram, no próximo sábado, no Estádio Carlos Denardin, em Santa Rosa.
No mesmo dia, o Uruguaiana encara o time do Cruzeiro no Estádio Felisberto Filho, em Uruguaiana. A rodada será completada no domingo (02/07), em Rosário, com o confronto entre a Associação e Guarany-Ba.

JOGO ADIADO – O confronto entre o Cruzeiro e o Guarany-Ba, em Santiago, ainda não tem data definida pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF). A partida – adiada do 1º turno – tinha sido marcada para o dia 21/06, mas acabou não saindo novamente.
Esse jogo adiado deixa o Cruzeiro em vantagem contra o SER Santa Rosa e São Gabriel. Uma vitória, lhe coloca na segunda colocação. Mas para isso, primeiro, o time de Santiago vai ter que passar pelo Uruguaiana, fora de casa.

NEW LIFE WHATS

ASCORG REALIZA NO DIA 9 A 5ª ETAPA DO CIRCUITO DE CORRIDA DE RUA.

ascorg 2

ascorg 1

A Associação dos Corredores de Rua de São Gabriel (ASCORG) confirmou a data do 5ª etapa do Circuito. A competição acontecerá no dia 9 de julho, com percurso de 9,5 quilômetros, com início em frente ao Beto Peças, no Bairro Gabrielense. Será a 2ª edição da Rústica ASCORG, com início às 15h30min.
A Associação está fazendo as inscrições antecipadas nos site da ASCORG (ascorg.blogspot.com) ou no Facebook (Ascorg). A taxa custa R$ 10,00 e mais um quilograma de alimento. No dia 6 encerra o período de inscrições pela internet. Após essa data, de acordo com a organização, os competidores terão que fazer o cadastro somente no dia da provas, às 15 horas.

COMO FOI A 4ª ETAPA?
A 4ª etapa do IX Circuito de Corrida de Rua de São Gabriel aconteceu no dia 18 de junho, com a Rústica Vidamed Assistencial, em um percurso de 5,3 km. O evento teve atletas da região e do Uruguai. A prova, realizada na parte da tarde, aconteceu com chuva.
No masculino, a vitória foi do atleta rosariense Renato Muller, que completou a prova com tempo de 17m 14s, seguido do caçapavano Luis Eduardo Zago, com tempo de 17m 52s.
O melhor gabrielense completou a prova na terceira colocação. Foi José Rosso, com tempo de 18m 03s, seguido de outro gabrielense, Luiz Almir, que fechou a prova com tempo de 18m 14s. Finalizando o pódio, Thiago Borges, também de São Gabriel, terminou a prova com tempo de 18m 23s.
No feminino, a vitória foi da gabrielense Barbará Baptista, que completou o trajeto com tempo de 24m 34s, seguida de outra gabrielense, Catiana Martins, com tempo de 25m 25s. Na terceira colocação, atleta Uruguaia Glóris Magela Nuñez, com tempo de 26m 04s, seguida da atleta Nancy Borba Faria, também do Uruguai, com tempo 27m 23s. E completando o pódio feminino, a gabrielense Natália Alencar, que finalizou a competição com tempo de 28m 38s.
Também foram premiados as maiores equipes participantes do evento e os atletas (sorteados) receberam diversos brindes cedidos pela Vidamed, que também sorteou 2 planos assistenciais.

CONSELHO DE EDUCAÇÃO ORGANIZA SEMINÁRIO PARA PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL.

19225605_233626593821420_6764487394103699648_n.jpg
O Conselho Municipal de Educação de São Gabriel promoveu a 1ª Etapa do Seminário “Desafios da Educação Infantil”. O evento foi realizado no Ginásio de Esportes da Escola Ginásio São Gabriel, no sábado (17/06).
A palestra “Educação Infantil: Educar e Cuidar: transformações com o passar da história”, ministrada pelas palestrantes Caroline Bianchini, Assessora Técnica do CME de São Leopoldo, e Zaira Corneli, Vice-Presidente do CME de São Leopoldo, abriu o evento. Elas abordaram diversos aspectos de maneira clara e objetiva trazendo experiências vivenciadas em São Leopoldo.
Elas ainda destacaram, durante o debate, “que é dever da escola educar e cuidar, ou seja, desenvolver o cognitivo e a psicomotricidade, sem fazer desse ensino um processo mecânico, sem afetividade, sem um olhar atento. Educar cuidando e cuidar educando. A escola não é aquele espaço onde a criança apenas aguarda o retorno dos pais. Ela deve visar o desenvolvimento global do aluno. Sendo assim, é necessário compreender cada estágio de desenvolvimento das crianças, traçar objetivos e auxiliar para que cada um alcance o seu, ao seu tempo”.
A Presidente do Conselho Municipal de Educação de São Gabriel, Rozane Maria Maciel da Silveira, falou da importância do Seminário como espaço de formação para que os alunos sejam contemplados com uma educação de qualidade. “Esperamos ter contemplado os anseios dos participantes”, argumentou.
A próxima etapa do seminário ocorrerá no próximo sábado (01/07), a partir das 8h30min, na EMEI Vó Edy.

anuncio tiago battaglin

  • OUÇA A RÁDIO CULTURA