CINCO HOMENS SÃO PRESOS COM ARMAS E ANIMAIS SILVESTRES ABATIDOS.

caca-ilegal

A Polícia Civil de São Gabriel prendeu na sexta-feira (20/01), na região de Azevedo Sodré, cinco elementos acusados de porte ilegal de arma de fogo e caça de animal silvestre. Durante a operação, os policiais apreenderam cinco rifles, munição, uma capivara e um jacaré. De acordo com a Polícia, uma denúncia anônima chamou a atenção para a ação dos criminosos. Os policiais permaneceram de campana, durante a noite, no local e abordaram os suspeitos durante o amanhecer. Eles foram detidos e encaminhados para a Delegacia de Polícia e, depois, para o Presídio Estadual.

BALANÇO GERAL: “Polícia faz mais duas prisões. Já são 19 envolvidos na morte de PM”.

patrick-madri

Patrick foi preso na manhã deste sábado

Num momento tenso, em todo o País, e, em especial aqui, no Rio Grande do Sul, a Polícia Civil – com apoio da Brigada Militar – mostra que, mesmo com a falta de incentivo e investimentos do Governo do Estado, o amor a profissão e a vontade de “promover” a Justiça falam mais alto. Desde a morte do PM Bento Júnior Teixeira Borges, no Natal do ano passado, o Setor de Investigações já identificou 19 pessoas envolvidas no crime. Na manhã de hoje, com a prisão de Patrick Madri, de 19 anos, o delegado de polícia José Soares Bastos concluiu a 19ª prisão.

O que deixa a população gabrielense apreensiva, é que – praticamente – a metade das prisões envolvem menores de idade, alguns com 14 e 15 anos. E entre eles, duas meninas.

A prisão de hoje também nos revela uma situação. O inquérito concluído e prisões confirmadas, não significam que mais pessoas não possam ser presas. Afinal de contas, quando todos pensavam que eram apenas 17, a Polícia continuou trabalhando, quietinha, e conseguiu mandar para trás das grades mais dois agressores.

POLÍCIA PRENDE MAIS DOIS HOMENS ENVOLVIDOS NA MORTE DO PM BENTO.

presos-caso-bento

Depois de concluir o inquérito no dia 03 de janeiro e anunciar o indiciamento de 17 pessoas – entre elas, nove menores de idade, a Polícia Civil, cumprindo mandado de busca e apreensão (MBA), prendeu mais dois elementos acusados de envolvimento nas agressões que resultaram na morte do Policial Militar Bento Júnior Teixeira Borges, de 36 anos. Foram presos, entre a tarde de sexta-feira e a manhã de hoje, em pontos diferentes da cidade, os elementos Patrick Madri, de 19 anos, e Paulo César Ferrer, de 26. Os dois são maiores de idade.
Bento Júnior foi agredido por um grupo de pessoas em uma briga, na manhã do dia 25 de dezembro, no estacionamento do Posto Batovi. O policial estava de folga e tentou acabar com o conflito, mas terminou sendo espancado por integrantes do chamado Bonde do João de Barro.
Na briga, o policial militar matou um adolescente de 16 anos – João Gabriel Ferraz da Silva, esfaqueou um dos agressores – Silvio Jobim D’Ávila, de 36 anos e baleou um terceiro elemento, identificado como sendo Alisson de Quadros Fagundes, de 19 anos. Este último, segundo as investigações, teria ameaçado o policial e ido ao encontro do PM logo depois que Gabriel foi alvejado.
De acordo com o delegado de polícia José Soares Bastos, responsável pelas investigações, todos os envolvidos foram indiciados por homicídio qualificado e dano ao patrimônio (em relação ao carro do soldado que foi depredado), além de corrupção de menores no caso dos adultos.
No total, foram identificadas 19 pessoas. Com a prisão de hoje, a Polícia Civil concluiu a prisão de 10 maiores de idade e a apreensão de nove adolescentes. Sete foram encaminhados para a Fundação de Atendimento Socioeducativo (FASE) de Santa Maria. Duas meninas apreendidas, uma delas aparece várias vezes agredindo o PM e quebrado o automóvel, foram levadas para a Fase de Porto Alegre. Os maiores de idade foram encaminhados para o Presídio Estadual de São Gabriel.

PREFEITO ENCAMINHA PROJETO AO LEGISLATIVO PARA ASSEGURAR PAGAMENTO DO PISO NACIONAL DO MAGISTÉRIO NA FOLHA DE JANEIRO.

piso-do-magisterio

O governo municipal anunciou na sexta-feira (20/01) que está assegurado o pagamento integral do Piso Nacional do Magistério para os professores municipais, relativo ao atual exercício, com o novo reajuste de 7,64%. A decisão foi anunciada pelo prefeito Rossano Gonçalves, juntamente com os secretários Sildo Cabreira (Educação), Artur Goularte (Fazenda), Valdemir Jobim (Administração) e Ricardo Júnior (Planejamento).
A viabilidade do pagamento do piso a todo o professorado está garantida após a Administração Municipal aplicar cortes de gastos.
“Fizemos alguns cortes de despesa que ainda são motivo de justo debate na opinião pública, mas o esforço está valendo a pena. Diferente de outras gestões, nós escolhemos priorizar a valorização do professor, a sua dignidade, coisa que sempre foi uma prioridade absoluta nas outras vezes que assumimos a prefeitura. Este resultado está sendo alcançado graças ao esforço de todo o governo, ao comprometimento de cada servidor, que entenderam nossa visão e são nossos parceiros no uso responsável dos recursos públicos”, disse o Prefeito.
Para garantir efeito imediato desta decisão, o Gonçalves determinou que o projeto de lei fosse remetido no mesmo dia à Câmara de Vereadores, que será convocada extraordinariamente para sua votação, para garantir que o piso possa ser pago já na folha de janeiro. “Houve a necessidade de analisar o impacto financeiro como determina a legislação, e o esforço concentrado garantiu a viabilidade”, ressaltou.
O Prefeito disse que espera, em breve, poder ampliar as conquistas de todo o funcionalismo público. “Onde todos os funcionários abraçam a causa, a economia é maior, e vamos tendo condições de ampliar as conquistas. O que está acontecendo na Secretaria de Educação, é o que queremos como exemplo para toda a administração. Fazendo gestão responsável, vamos ousar mais nas conquistas, tanto para os servidores como para toda a nossa comunidade. É desse jeito que vamos avançando”, assinalou Rossano.

SÃO GABRIEL E ROSÁRIO DO SUL REGISTRAM ATAQUES DE ABELHAS.

abelhas

Pelo menos quinze pessoas ficaram feridas e tiveram de procurar atendimento médico após um ataque abelhas na tarde de terça-feira, em Rosário do Sul. Segundo informações do Corpo de Bombeiros do município, o caso ocorreu por volta das 17h, na Rua General Canabarro.
Uma retroescavadeira que estaria fazendo a limpeza do terreno da antiga viação férrea teria atingido, por acidente, uma colmeia, que se formou dentro de uma vala por onde passa o esgoto, no chão. Ao atingir a colmeia, o funcionário que conduzia a retroescavadeira foi atacado e saiu correndo.
Ainda, conforme os bombeiros, pedestres e motoristas que transitavam próximo ao local foram surpreendidos pelo ataque do enxame, que fez vítimas dentro de um raio de 100 metros. O comércio próximo chegou a fechar as portas para se proteger dos insetos.
A área foi isolada até a noite, quando o Corpo de Bombeiros fez a retirada da colmeia com equipamentos e roupas apropriadas.
De acordo com o Hospital de Caridade Nossa Senhora Auxiliadora, pelo menos quinze pessoas procuraram por atendimento médico entre a tarde de terça e a manhã desta quarta-feira. Todas foram atendidas, medicadas e liberadas, não havendo a necessidade de nenhuma ficar hospitalizada. O caso mais grave foi de um senhor, que teria levado cerca de 30 picadas nas costas.
No domingo passado, um homem morreu após sofrer um acidente de trânsito na BR-290, em São Gabriel, e ser atacado por um enxame. José Amilton Sotero de Azambuja (foto), de 51 anos, perdeu o controle do veículo, invadiu a pista contrária, capotou e bateu em uma árvore em que tinha uma colmeia.
Ele foi atacado pelas abelhas e morreu a caminho do hospital. O filho de Azambuja, João Vitor Farinha Azambuja, de 21 anos, que dirigia outro veículo que vinha logo atrás, ao presenciar o acidente do pai, estacionou o carro e desceu o barranco para tentar ajudá-lo. Mas o jovem também foi atacado pelo enxame de abelhas. Ele foi internado no Hospital Santa Casa de Caridade de São Gabriel e liberado no mesmo dia à noite.

Cuidados e prevenção

Conforme o sargento Jair Coelho, do Corpo de Bombeiros de Rosário do Sul, normalmente, o período de maior incidência de ataques de abelhas na cidade é entre setembro e outubro, quando elas se dividem e parte do enxame sai à procura de local adequado para a construção de uma nova colmeia (abelhas preferem lugares escuros). No entanto, é entre o verão e a primavera que as espécies mais se reproduzem.
A orientação diante de um ataque é, primeiramente, tentar se proteger em um local fechado. Após, orienta-se fazer contato através do número 193. É o Corpo de Bombeiros que irá isolar a área e acionar os apicultores da região para fazer a retirada adequada da colmeia.

dicas

fonte: Diário de Santa Maria

TIAGO BATTAGLIN

SÃO GABRIEL REGISTRA QUEDA DE 30% NO VOLUME DE TURISTAS ARGENTINOS, AFIRMAM EMPRESÁRIOS DA REDE HOTELEIRA.

paulo-e-horacio-lederes

Paulo e Horácio Lederes admitem queda no número de turistas

Os números mostram que o volume de turistas que entram, ou saem do país, é bem elevado. Milhares de turistas, principalmente argentinos, saíram ou entraram no Brasil pela fronteira gaúcha em viagem de férias. Muitos deles cometem diversas infrações, principalmente excesso de velocidade.
Somente na aduana de Uruguaiana no final de semana passado, que faz divisa com a cidade de Paso de los Libres, foram impressos 283 boletos, com multas de argentinos, que estão entrando ou saindo do país. A arrecadação corresponde a cerca de R$43 mil.
Neste ano, motoristas argentinos que tem dívidas com multas no país, só podem cruzar a fronteira em direção às praias depois de pagar o que devem. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensificou a fiscalização e a cobrança, agora, já é feita na entrada do Brasil.
Na divisa com o Uruguai, também houve bastante movimento no final de semana. Somente no sábado (14/01), três mil argentinos passaram pela aduana entre Santana do Livramento e Rivera.
Quem ganha com essas idas e vindas é o mercado local, abastecido pelos vizinhos.
“Tendo opções de restaurantes, de hotéis, ele [visitante] acaba optando por ficar, então ele se alimenta no Brasil, se hospeda no Brasil, consome no Brasil e isso dá um retorno imediato para a fronteira Livramento-Rivera”, analisa o delegado da Polícia Federal, Alessandro Lopes.
Mas, se Santana do Livramento registro aumento, São Gabriel revela uma baixa considerável.

proprietaria-hotel-cacula

Proprietária do Hotel Caçula fala da concorrência desleal

Acostumado a faturar com os argentinos, o gabrielense parece não se agradar com a redução de hermanos pelas ruas da cidade.
Os empresários e irmãos Horácio e Paulo Lederes admitem que houve uma queda de cerca de 30% no número de turistas em relação ao ano passado. Eles atribuem a queda ao câmbio desfavorável, a situação econômica dos países vizinhos e ao forte assédio dos caçadores de turistas, que acabou afugentando os turistas e fazendo com que pernoitem em cidades vizinhas.
A empresária Vera Regina Garcez Bicca, proprietária do Hotel Caçula, também reclama da situação. Ela tem um hotel com 35 apartamentos, funcionários e paga impostos, mas se vê “obrigada” a concorrer com preços bem inferiores apresentados por quem hospeda em suas residências.
Em São Gabriel, alguns hotéis e pousadas – já pensando em não perder tempo nem dinheiro com a alta temporada – dispõem de funcionários extras fazendo exatamente o mesmo: caçando turistas.
A Secretaria da Fazenda, através do Setor de Fiscalização, iniciou na manhã de ontem a “Operação 2 – hotéis e pousadas” com o objetivo de combater a concorrência desleal . Na prática, apesar de os fiscais estarem indo direto em estabelecimentos que, teoricamente, estão legalmente aptos para exercer a função, a proposta é estabelecer uma fórmula de combate aos “caçadores de turistas” atuando junto com a rede hoteleira da cidade.
De acordo com o Chefe do Setor de Fiscalização, Rogério Severo Porto, a Secretaria da Fazenda não está implantando um sistema de “caça as bruxas” e nem é a ideia principal evitar que gabrielenses consigam arrecadar recursos extras com essa função.
“No entanto, é preciso que haja uma organização. Estamos relacionando os hotéis e as pessoas – que atuam como caçadores de turistas – vinculadas a estes estabelecimentos e que estariam inseridas na chamada rede de acolhimento. Na prática, estas pessoas poderiam receber esses turistas porque possuem vínculo com as empresas hoteleiras. Deveria ser assim: o hotel está cheio, então repassa para as casas ou pousadas”, explicou Porto.
O cadastro vai permitir que o “caça-turista” possa atuar nesta função durante o período de veraneio sem que se torne um problemas para as empresas hoteleiras. Entretanto, quem não tiver vínculo com empresas do ramo, corre o risco de responder legamente. “Mas, para isso, estamos estudando uma maneira legal de agir. É certo que o Setor de Fiscalização vai combater tudo o que for ilegal, até porque quem paga imposto (no caso dos hotéis) tem todo o direito de reclamar da concorrência desleal”, argumentou.
Durante a Operação 2 – hotéis e pousadas, o Setor de Fiscalização tem verificado as documentações das empresas. Serão notificadas as empresas que apresentarem irregularidades. Se os problema não for resolvido num prazo de 10 dias, o proprietário poderá ser multado.
No litoral, os empresários comemoram.
Os números para o comércio de beira de praia em Capão da Canoa, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, começaram bem nesta temporada. De acordo com dados da Associação Comercial e Industrial, houve um crescimento de 10% nas vendas dos quiosques na areia nos meses de dezembro de 2016 e janeiro de 2017, no comparativo com o mesmo período de 2015 e 2016, respectivamente.
É possível perceber esse crescimento no entusiasmo dos comerciantes. Há 38 anos no mesmo ponto, o “Quiosque do Caio” atribui a alta ao bom tempo, de sol e mar limpo, deste verão e a grande presença dos argentinos em Capão.
Mas ainda há quem reclame. Assim, como em São Gabriel, em Capão a concorrência desleal causa problemas. No “Kiosque do Agedir”, as vendas caíram pela metade na comparação com o ano passado. O ponto existe há 20 anos na região, 18 no calçadão e dois na areia.
“Está bem mais fraco, comparado com o ano passado. Tem muito ambulante na praia e isso prejudica. Final de semana é quando aumenta mais o movimento”, explica a dona Maria Luiza Gomes.