REALIZAÇÃO DE CASAMENTO CAIPIRA GAY EM ESCOLA GERA DESCONTENTAMENTO.

casamento

A direção da Escola Municipal Hylda Vasconcellos, de Santa Maria, confirmou, nesta quarta-feira, que pelo menos uma família decidiu transferir um aluno da instituição depois da realização de um casamento caipira gay. A encenação foi realizada em uma festa julina, no último sábado. As informações são do jornal Diário de Santa Maria.
– Na verdade, eles demonstraram desconforto (com o evento) desde o início _ comenta a vice-diretora da escola, Juliana Campos.
Em princípio, a postura da escola será respeitar a decisão dos pais, já que há o entendimento de que não é necessário pedir desculpas pelo feito _ fruto de um trabalho contra o preconceito e a intolerância realizado pela escola durante meses. Ainda assim, a encenação gerou polêmica _ inclusive na internet _ mesmo antes da apresentação. Em função da repercussão negativa, os alunos que formaram os casais (duas meninas e dois meninos) pediram para serem fotografados de costas, para não serem vítimas de ataques preconceituosos.
Mesmo assim, na avaliação da professora, a apresentação foi extremamente leve e lúdica, que não foi desrespeitosa nem com héteros nem com homossexuais.
– O preconceito que existe é velado, é surdo. Mas a festa foi uma atividade de conscientização – diz a professora.
Na próxima segunda-feira, Juliana e dois alunos da escola discutirão o tema no programa Encontro com Fátima Bernardes, na RBS TV. O programa começa às 10h50min.

MERENDA ESCOLAR DE SÃO GABRIEL É DESTAQUE EM ENCONTRO ESTADUAL EM PORTO ALEGRE.

O trabalho desenvolvido por equipes do Setor de Alimentação Escolar (SAE) da Prefeitura de São Gabriel vai ser destaque do 1º Encontro Gaúcho de Alimentação Escolar (1º ENGAE), nos dias 25 e 26 de julho, no salão de atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre. O evento é organizado pelo Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE). De acordo com os organizadores, o relato de experiência da terceirização da merenda foi selecionado para compor a programação no dia 26.
Em destaque na apresentação os resultados obtidos em São Gabriel, com cardápios elaborados mensalmente conforme exigências da legislação do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE); parceria no desenvolvimento de projetos de educação alimentar; aplicação de testes de aceitabilidade; cumprimento de cardápio; eliminação dos desperdícios e desvios; capacitação periódica das cozinheiras; transporte adequado dos alimentos; aquisição e manutenção rápida de equipamentos e utensílios; controle de qualidade dos alimentos distribuídos; garantia de alimentos de qualidade; fornecimento de alimentos especiais; uso de aventais; aliminação do reaproveitamento e desperdícios; aumento do número de nutricionistas; cálculo dos cardápios e garantia da segurança alimentar.
Em 2016, o processo de terceirização da merenda escolar está completando 10 anos. O sucesso é constatado atualmente com a ações de governo que focam medidas visando o bem estar e qualidade do atendimento ao estudante.
As experiências de sucesso serão apresentadas durante o Encontro Estadual pela nutricionista Nara Gonçalves, responsável pela Setor de Alimentação Escolar, e pelo coordenador da Alimentação Escolar, Selmar Carbajal.

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO AMPLIA ÁREA FÍSICA DA ESCOLA TARSO DUTRA E BENEFICIA COMUNIDADE ESCOLAR COM NOVAS VAGAS.

escola tarso sendo ampliada (2)
A Secretaria de Educação de São Gabriel está ampliando o número de vagas na maioria das instituições de ensino de responsabilidade do Município. A ideia é beneficiar diretamente os moradores da região onde cada escola tem sede. Um exemplo disso é o projeto em execução na Tarso Dutra, localizada no Bairro Esplanada, na zona oeste da cidade. Inicialmente estão sendo beneficiadas 20 crianças com a criação de novas turmas de Pré e 1º Ano escolar.
De acordo com a secretária de Educação, professora Branca Wiesel, o acréscimo no número de alunos só é possível por que a Administração Municipal investiu na ampliação da área física da escola. Além disso, através de um contrato de comodato com a Paróquia da Igreja Matriz, a Prefeitura anexou o salão da Comunidade (localizado ao lado da instituição) a área escolar, transformando o espaço em refeitório e cozinha e ainda possibilitando a abertura de mais duas salas de aulas.
Desta forma, mais 20 crianças puderam ser matriculadas, sendo a maioria do Pré-Escolar e 1º Ano. A decisão beneficiou pais que necessitavam trabalhar e não tinham condições de se deslocar para as creches mais próximas do bairro.
A Secretaria de Educação ainda vai concluir a obra. Hoje, está em fase de acabamento a construção de uma área coberta e de dois banheiros que atendem as exigências legais de acessibilidade.

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ENTREGA RELATÓRIO DE VISITAS REALIZADAS NAS ESCOLAS DO CAMPO.

Uma Comissão Especial responsável pela elaboração de diretrizes para as escolas do campo entregou um relatório contendo pontos positivos, negativos e sugestões para o comando da Secretaria Municipal de Educação (SEME). O documento foi entregue na terça-feira passada (05/07), na sede da SEME, para a secretária Branca Wiesel e para o coordenador das escolas do campo, professor Dinarte Júnior.
As visitas aconteceram entre 02 de junho e 02 de julho. Os integrantes da Comissão fizeram um diagnóstico escrito e fotográfico, e ainda dialogaram com professores e funcionários, ouvindo e apresentando o trabalho que o Conselho Municipal de Educação (CME/SG) vem realizando desde 2013 em prol da democratização e qualificação do ensino público municipal.
O presidente do CME/SG, professor Jorge Vanderlei Carvalho Silva, disse que essa foi apenas a primeira etapa de trabalho desta comissão, que ainda irá formatar as Diretrizes das escolas do Campo.
A secretária de Educação, professa Branca Wiesel, destacou a importância das visitas e também elogiou o trabalho de interação entre o Conselho Municipal de Educação e a Secretaria Municipal de Educação.
A Comissão tem como presidente a professora Tânia Marisa Vieira. Também fazem parte da comissão: Maria de Lourdes Souto, Cristiane Ribeiro e Jaqueline Pinheiro e como Assessora Técnica, Professora Larissa Gräff.

FÉRIAS DE JULHO COMEÇAM NO DIA 17.

A Secretaria Municipal de Educação divulgou nesta segunda-feira (11/07) o período de recesso escolar para o mês de julho. De acordo com o Setor Pedagógico da SEME, as instituições do Município estarão em férias de 17 a 31 deste mês. No entanto, a primeira semana – entre 18 e 22 de julho – será utilizada pelas escolas que precisam recuperar dias letivos devido a paralisações que ocorreram no primeiro semestre. A decisão foi anunciada após reunião com integrantes do Conselho Municipal de Educação (CME).
Conforme a secretária de Educação, professora Branca Wiesel, as escolas terão realidade diferentes nesta primeira semana de férias, “atendendo assim, as suas peculiaridades”.
Durante o período de férias, ficou estipulado que as escolas terão plantões, ficando abertas para atendimento ao público nas quartas-feiras (dias 20 e 27 de julho), das 8h30min às 1h 30 min. A população da zona rural será atendida também em forma de plantão somente na sede da Secretaria. A decisão é válida para todas as escolas do campo.
As Escolas de Educação Infantil não fecharão, mantendo a programação normal durante o período de férias.
O segundo semestre do ano letivo começa no dia 1º de agosto, quando todas as instituições deverão funcionar normalmente.

COMUNIDADE DO INTERIOR INTERROMPE TRÂNSITO DE VEÍCULOS EM PROTESTO CONTRA A FALTA DE MERENDA ESCOLAR.

13579798_1647919615463440_789885829_o

A comunidade escolar da região de Batovi, no interior de São Gabriel, interrompeu o trânsito de veículos durante a manhã e tarde de segunda-feira (04/07). O protesto foi organizado para chamar a atenção do Governo Estadual para a falta de merenda escolar na Escola Estadual de Ensino Fundamental Ataliba Rodrigues das Chagas. Pais de alunos alegam que a instituição está enfrentando dificuldades para alimentar os estudantes.
O educandário tem cerca de 270 alunos. Eles fazem apenas uma refeição por dia, e sem a quantidade de alimentos necessária, a maioria enfrenta dificuldades para enfrentar mais de oito horas que ficam distantes de casa. Além disso, a comunidade reclama da precariedade das estradas, que acaba impedindo o acesso ao transporte escolar.
Segundo funcionários do local, grande parte dos alunos são de assentamentos da região e enfrentam situações de vulnerabilidade. Como a escola fica no interior do município, a maioria deles chega cedo – e o que está disponível para o café da manhã é uma xícara de café preto e quatro bolachas. Eles saem da escola ao meio-dia, sem almoço. Já a turma da tarde almoça, mas sai sem café da tarde.
A assentada Rose Silva, do Assentamento Conquista do Caiboaté, conta que a filha de 8 anos sai de casa por volta de 11 horas e só retorna depois das 18 horas. “Como é antes do meio dia, ela almoça na escola. Nos primeiros dias do mês, até tem uma merenda melhor… Mas quando vai se aproximando da metade para o final do mês, às vezes, só tem arroz”, comenta.
A verba mensal para a merenda escolar é de cerca de R$ 1,5 mil, o que dá uma média de menos de R$ 6 por aluno por mês. Para a Rádio Gaúcha, os funcionários explicaram que, quando a escola era municipal, a refeição era razoável. Depois, quando passou a ser estadual, em 2013, o valor passou a ser menor, dificultando a manutenção da merenda.
Além do prédio principal, a escola tem três anexos que ficam em assentamentos. O que fica em Itaguaçu está sem água há onze dias, já que não foi feito o pagamento da energia elétrica que mantém o poço funcionando. E como esse problemas aumenta a preocupação com doenças como mão-pé-boca (no último mês, o Município teve registro de surtos em escolas do município).
Professores, alunos e pais fizeram manifestação no início da semana. A vereadora Sandra Xarão (PT), da Comissão de Direitos Humanos, conversou com funcionários, que relataram os problemas. Ela afirma que fez contato com o Ministério Público e que tenta agendar reunião com a Secretaria Estadual de Educação e com a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa. A direção da Escola participou de uma reunião em Santana do Livramento na quinta-feira. Os organizadores do movimento vão aguardar uma posição do Estado, mas se não foram anunciadas soluções, novos protestos poderão acontecer.

SÃO GABRIEL RACIONALIZA O CONSUMO DA MERENDA, BENEFICIA OS ALUNOS E OBTÉM REDUÇÃO NOS GASTOS COM RECURSOS PÚBLICOS.

O Governo Municipal de São Gabriel investiu mais de R$ 2 milhões e 237 mil em merenda escolar no ano passado. Os números foram divulgados no final da tarde desta quarta-feira (06/07) pela equipe do Setor de Alimentação Escolar e revelam que foram servidos 809 mil e 911 pratos somente em 2015. Houve um aumento de mais de 100% no número de alunos beneficiados das escolas de educação infantil se forem analisados os dados de 2012 em comparação com 2015.
De acordo com a nutricionista Nara Gonçalves, responsável pela Setor de Alimentação Escolar, o relatório mostra uma redução no número de refeições servidas em relação ao ano de 2012, quando a Prefeitura Municipal chegou a registrar mais de um milhão e 38 mil pratos servidos. No ano passado, o Setor serviu 809 mil e 911 refeições.
A redução, no entanto, não significa que houve decréscimo no atendimento e qualidade. Na verdade, o que o Setor de alimentação Escolar fez foi racionalizar o consumo da merenda. “Hoje é pago o prato servido. Não há desperdício, pois foi feito um trabalho de conscientização em todas as instituições de ensino de São Gabriel”, argumenta a nutricionista.
Os profissionais divulgaram o perfil do Programa de Alimentação Escolar em São Gabriel. As refeições são distribuidas de acordo com a faixa etária de cada aluno divididos em ensino infantil, fundamental e turno integral.
Os alunos do ensino fundamental recebem uma refeição a cada turno. No cardápio estão previstos lanches durante dois dias da semana e alimentos salgados nos outros três dias restantes. Já na zona rural são dadas três refeições (desjejum, almoço e lanche) durante o dia.
A rede de ensino infantil é dividida em três categorias. Crianças do turno parcial recebem uma refeição e do turno integral são assistidas com quatro refeições. As menores, dos berçários, também inseridas no turno integral, recebem seis refeições no dia e, para as que possuem intolerância a lactose, é fornecido leite especial.
Conforme o coordenador de Alimentação Escolar, Selmar Carbajal, há um cuidado todo especial com os alunos provenientes de assentamentos. Para eles, é fornecida uma refeição a mais devido a distância percorrida e tempo que levam do campo até a cidade. Alguns estudantes levantam por volta de 4 horas para vir para a escola.
A nutricionista Nara Gonçalves explica que os cardápios são analisados mensalmente. “Calculamos os nutrientes como proteinas, cálcio, ferro e outros, além das calorias de todos os pratos servidos”, argumentou.
Além disso, o Setor de Alimentação Escolar realiza avaliações semanais que indicam o grau de desempenho das cozinheiras através de fichas de observação, realiza controle de estoques, manutenção de equipamentos e de utensílios, manutenção dos estoques de gêneros alimentícios dentro das escolas, capacitação de cozinheiras (com dois cursos por ano) e controle higiênico sanitário dentro das cozinhas. “E ainda outras atribuições previstas na legislação para garantir a segurança alimentar”, avalia.

ÁREA EDUCACIONAL
Dois projetos contribuem para melhorar o consumo consciente e o uso correto dos recursos da merenda escolar em São Gabriel. Na área educacional, o Setor de Alimentação Escolar tem o projeto “Bagunça na Cozinha”, onde são aplicadas atividades lúdico pedagógico para estimular o hábito alimentar saudável.
Em parceria com o SESC e a Secretaria Municipal da saúde, o Setor aplica o projeto “Sorrindo para o Futuro”, com avaliação de peso, altura e saúde bucal. A ação é coordenada pela dentista Renata Weber, com atendimentos feitos pela Unidade Móvel ou com encaminhamentos para as Unidades Básicas de Saúde (UBS).

AGRICULTURA FAMILIAR
Outra proposta relacionada a merenda escolar está no incentivo a produção local e regional de alimentos. o Governo Municipal passou a adquirir, através da agricultura familiar e em parceria com a EMATER alimentos vindos direto do campo. De acordo com o coordenador de Alimentação Escolar, Selmar Carbajal, este ano, a Administração Municipal firmou 10 contratos, sendo sete com agricultores familiares e três com cooperativas de agricultores da região.
“Na prática estamos cumprindo a meta mínima prevista em lei que estabelece que 30% das compras devem vir da agricultura familiar”, explicou.
Num quadro geral da merenda escolar, este ano, o Governo Municipal está investindo, em média, cerca de R$ 2,41 por prato servido, o que corresponde a mão de obra, transporte, utensílios, equipamentos, materiais de limpeza, gás e gêneros alimentícios.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.682 outros seguidores