DESFILE SERÁ DE MANHÃ E TERÁ APENAS TRÊS ESCOLAS ESTADUAIS.

escola xv

No ano passado, quando a homenageada foi a professora Suzana Rocha, a XV de Novembro foi uma das escolas do Estado a desfilar

O Desfile de 7 de Setembro vai ter apenas três instituições de ensino do Estado presentes. O Instituto de Educação Menna Barreto, que comemorou 100 anos no mês de agosto, junto com a escolas Fernando Abbott e XV de Novembro serão os únicos educandários ligadas a Rede Estadual a passar pela Avenida General Mallet na manhã desta sexta-feira. Outras 53 entidades – a maioria da rede municipal – participarão da Parada Estudantil. Entre elas, destacam-se o PROERD – Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência, aplicado pela Brigada Militar em parceria com a SEME – Secretaria Municipal de Educação em escolas públicas da cidade.
A fraca participação do Estado em um evento que simboliza o patriotismo encontra justificativa nos protestos feitos pelos professores nos últimos anos. A classe reclama de atrasos, parcelamentos de salários e desmotivação.
O desfile começa às 9 horas com as unidade militares. Na sequência, desfilam a Secretaria Municipal de Educação e familiares do homenageado deste ano, o historiador Osório Santana Figueiredo, falecido em agosto de 2017. O desfile ainda terá a participação da Unipampa, Uamosg, Fisk, Igreja Adventista, Jornal O Diferenciado, e Grupo de Motos. O GTC Sepé Tiarajú finalizará o evento com o conclusão da Cavalgada da Chama.

ORDEM DO DESFILE DE 7 DE SETEMBRO DE 2018

Nº ENTIDADES E ESCOLAS
1 Secretaria de Educação e familiares de Osório Santana Figueiredo
2 Diretoras Municipais das EMEIs e EMEFs
3 APAESG
4 Associação Despertar
5 Pró-Down/Dança de Rodas
6 Associação dos Aposentados e Pensionistas
7 E.M.E.F. Presidente Kennedy
8 E.M.E.F. Dom Pedro II
9 E.M.E.I. Vò Edy
10 E.M.E.I. Sítio do Pica Pau Amarelo
11 E.M.E.I Caic
12 E.M.E.I. Vó Severina
13 E.M.E.I. Alcida Chagas Silveira
14 E.M.E.I. Annadir Laureano
15 E.M.E.I. Tia Susana
16 E.M.E.I Tia Myrta
17 E.M.E.I. Tia Suely
18 E.M.E.I. Nossa Senhora Menina
19 E.M.E.I José Evaristo Casado
20 E.M.E.I. Angela Scipioni
21 Prog. Educ. de Resistência as Drogas e a Violência – PROERD
22 I. E. Menna Barreto
23 E.M.E.F. Assis Brasil
24 E.M.E.F Senador Tarso Dutra
25 E.M.E.F. Homero Prates da Silva
26 E.M.E.F Marechal Deodoro
27 E.M.E.F Menino Jesus Caic
28 E.M.E.F. Ginásio São Gabriel
29 Escola Técnica Municipal São Gabriel
30 E.M.E.F Telmo Borba Menezes
31 E.M.E.F. Carlota Vieira
32 E.M.E.F. Carolina Berny
33 E.M.E.F. José Lima
34 UNIPAMPA
35 UAMOSG
36 FISK
37 E.M.E.F. João Goulart
38 E.M.E.F. Ferraz Neto
39 E.E.E.M. Dr. Fernando Abbott
40 E.M.E.F Brandina Mello
41 E.M.E.F. João Manoel Salvadé
42 E.M.E.F João Giulliane
43 E.M.E.F. Catão Peres (suspiro)
44 E.M.E.F. Victória D’Avila Chiapetta ( suspiro)
45 E.M.E.F. Jerônimo Machado (pólo)
46 E.M.E.F. Maria Manoela Teixeira (pólo)
47 E.M.E.F. Baltazar Teixeira da Silveira (pólo)
48 E.M.E.F. Mascarenhas de Moraes (pólo)
49 E.M.E.F. Ernesto José Anonni (pólo)
50 Igreja Adventista do Sétimo Dia/Clube de Desbravadores
51 Jornal O Diferenciado
52 E.E.E. M. XV de Novembro
53 Grupo de Motos
54 Grupo de Cavalgadas Sepé Tiarajú

Anúncios

VÍDEOS DESTACAM TRABALHO DE INCLUSÃO DA ESCOLA CARLOTA E ORIGINAM CONCURSO MUNICIPAL.

concurso de video 1

Diretora da escola com os professores, monitores e alunos vencedores da etapa interna do Concurso organizado pelo Carlota

Idealizado pela Direção da Escola Municipal Carlota Vieira da Cunha – através de uma equipe especializada que trabalha nas Salas de Recursos da instituição, alunos da Rede Municipal de Ensino participam, até o dia 5 de setembro, da 1ª edição municipal do Concurso de Vídeo “Luz, Câmera e Educação Inclusiva – Ressignificando Caminhos”. O material é produzido pelos estudantes, com a participação de professores e monitores, representando oficialmente o educandário de ensino em que está matriculado.
De acordo com a diretora da Escola Carlota, professora Ana Carolina Maciel, o objetivo, através de vídeos, é identificar como os conteúdos abordados em sala de aula estão sendo trabalhados. “Além de incentivar professores, monitores e estudantes a utilizar recursos tecnológicos disponíveis para fins educacionais através do desenvolvimento intelectual no campo da linguagem, da percepção visual e da capacidade crítica por meio do registro virtual de ações que levem à inclusão real de alunos com deficiência, a fim de despertar o interesse e elevar o nível do ensino e aprendizagem”, explicou.
Os vídeos que participam do concurso já estão disponíveis na página da Escola Carlota Vieira da Cunha (com o nome AEE Carlota) no Facebook. O vencedores serão escolhidos pelo público que acompanha as postagens da AEE – Atendimento Especializado em Educação Carlota através do número de curtidas. Os vídeos que obtiverem o maior número, por categoria, serão os vencedores.

publico concurso de video carlota

Alunos do turno da manhã acompanharam entrega de prêmios. O Concurso Municipal, desenvolvido pela Instituição, agora é municipal e será desenvolvido até o dia 5 de setembro

Foram inscritos vídeos de nove escolas. São elas: José Lima, Telmo Borba Menezes, José Evaristo Macedo Casado, Pedro Ferraz Neto, D. Pedro II, Ginásio São Gabriel, João Goulart e Marechal Deodoro. Os vencedores da etapa interna da Escola Carlota Vieira da Cunha também participam da fase municipal.
Na manhã desta quarta-feira (29/08), a Direção premiou os seus vencedores. No Carlota, o concurso já está em sua 2ª edição, eis que foi o projeto, iniciado em 2017, que chamou a atenção das demais instituições.
A fase interna teve 15 vídeos inscritos e foi dividida em três categorias: Educação Infantil, Séries Iniciais e Séries Finais.
O aluno Adler, do Pré B Manhã, conquistou o primeiro lugar na categoria Educação Infantil com 537 curtidas. O vídeo dele teve 2,9 mil visualizações. Também foram premiados, o monitor Euller e a professora Márcia D’Ávila. Na categoria Séries Iniciais, o vídeo mais visto, com 4,3 acessos, e 803 curtidas, foi feito pelo aluno Pietro, do 3º Ano Tarde, com apoio do monitor Douglas Santos e a professora Michele Baumann.
Na categoria Séries Finais, o aluno Adriano de Lima, do 7º Ano Manhã, conquistou 663 curtidas e 3,1 mil visualizações. O trabalho foi desenvolvido com apoio do monitor Luciano Venâncio e a professora Kaissara Dorneles de Menezes.
Este concurso, entre outros projetos desenvolvidos por professores e alunos da Escola Carlota, faz parte do processo de inclusão de alunos com deficiências em salas de aulas do ensino regular e, hoje, tornam a instituição um modelo para São Gabriel e região.
As ações inclusivas também integram o programa oficial da Semana Municipal da Pessoa com Deficiência. As atividades mobilizaram toda a comunidade escolar, desde os pais até os professores, tendo como personagens principais alunos com deficiências.

100 ANOS: ESCOLA MENNA BARRETO VAI SEDIAR SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA DE VEREADORES.

A Câmara de Vereadores vai realizar uma ação para aproximar alunos ao Poder Legislativo Gabrielense. No dia 05 de setembro o Instituto Estadual de Educação Menna Barreto vai sediar uma Sessão Ordinária da Câmara em homenagem ao centenário da escola. A Diretora do Menna, Márcia Dias, esteve na manhã desta quarta-feira reunida com o presidente Vagner Aloy, o Maninho, para acertar os detalhes.
Serão cumpridos todos os processos regimentais durante a sessão e os alunos poderão conhecer um pouco mais sobre a função de um vereador, acompanhar de perto a votação das leis, os assuntos abordados e o debate entre os parlamentares. A sessão também será convertida em Sessão Especial em homenagem ao centenário da instituição comemorado dia 10 de agosto deste ano.
“Nós estamos procurando inovar a ação parlamentar no município aproximando mais as pessoas da Câmara de Vereadores, e esta é uma ótima oportunidade para que esses jovens conheçam um pouco mais sobre a função de um vereador. Esta também é uma forma de homenagear o centenário da escola que é uma das mais conceituadas do nosso município”, explica o presidente Maninho.

DISTANTE SEIS QUILÔMETROS DA ESTRADA, CRIANÇA FICA SEM AULA POR CAUSA DE TRANSPORTE.

sildo cabreira

Secretário admitiu avaliar a situação da família em nova reunião com mãe

A Prefeitura Municipal de São Gabriel deve encaminhar um projeto de lei à Câmara de Vereadores onde limita o acesso de veículos do transporte escolar em propriedades privadas. Na prática, se confirmada a lei, a SEME – Secretaria Municipal de Educação ficará impedida de sair das estradas municipais ou do trecho que integra a rota do transporte, mesmo em casos onde o aluno reside distante do ponto de embarque.
Vereadores garantem que o projeto – se apresentado – deverá ser reprovado, pois entendem que o tema é de competência do Governo Federal.
Daniela Silva Borges, de 24 anos, mora no interior do Município, no Corredor da Reuna. A propriedade – onde reside com o marido e dois filhos – fica a seis quilômetros da estrada principal, em uma área particular, pertencente ao patrão deles.
A distância, segundo ela, dificulta o transporte da filha de seis anos até o ponto de encontro com o ônibus. Por causa disso, a menina está há dois meses sem poder participar das aulas, desde que Daniele deixou a cidade para morar com o marido no interior.
“Eu cheguei a alugar uma casa na cidade. A minha filha começou o ano estudando no Caic. Mas eu fiquei desempregada e o meu marido não tinha condições de nos manter na cidade. Por isso, decidimos voltar para o interior (onde temos casa própria). Mas só fiz isso depois que tive a confirmação de que teria transporte para a minha filha… Tanto é que consegui vaga no Carlota somente depois que afirmei para a professora que havia conseguido transporte”, explica a mãe.

O QUE DIZ O SECRETÁRIO
De acordo com o secretário municipal de Educação, professor Sildo Cabreira, o acesso a propriedade aumentaria o trajeto do ônibus escolar em 40 minutos. Os mais prejudicados seriam os primeiros alunos, que teriam que sair de casa por volta de 4 horas.
“Se eu entrar em todas as propriedades particulares, eu vou pegar o primeiro aluno às 3 horas da madrugada e ele vai retornar para a casa às 19 horas. Cada espaço, cada cantinho que eu entro aumenta o trajeto em 15 ou 20 minutos… Neste caso, aumentaria em 40 minutos dentro da propriedade privada”, explicou.
Cabreira ainda alega que a estrada é ruim e estreita para a passagem de ônibus.
Segundo ele, o dono da propriedade já teria disponibilizado um trator para a locomoção da criança, medida que foi confirmada por Daniela, mas que não teria sido adotada: “como vou sair às 5 horas, de trator, com a minha filha?”, questionou a mãe.
Já o secretário mantém a posição: “Não podemos entrar em propriedade privada, mas muitas prefeituras fazem isso, inclusive nós. Porque? Porque já vem sendo feito há anos. Só que a gente quer mudar isso. Queremos aprovar uma lei que regulamente a proibição”, argumenta.
“Se eu tenho que pegar o teu filho e ele é o primeiro a entrar no ônibus, ele vai cada vez mais entrar mais cedo no ônibus e cada vez sair mais tarde. Então este aluno também tem o direito dele prejudicado. Nós temos que pensar nisso também”, ressaltou.
A SEME ainda estuda uma alternativa. Daniela deverá se reunir ainda esta semana com o secretário de Educação. No entanto, enquanto o caso continua aberto, a situação é analisada pelo Poder Judiciário após denúncia feita pela mãe da criança.

MARQUES LUZ QUER IMPLANTAR CURSO PROFISSIONALIZANTE DE HOTELARIA.

comissão de educação

Objetivo da escola foi apresentado em reunião da Comissão de Educação e Cultura da Câmara de Vereadores

A direção da Escola Estadual Marques Luz corre contra o tempo para atender as exigências do MEC – Ministério da Educação e Cultura e instituir, para 2019, um curso profissionalizante em hotelaria. A instituição tem até o final de setembro para apresentar documentação e comprovações de que tem condições técnicas e estruturais para oferecer o curso.
A proposta foi anunciada na manhã desta quarta-feira (08/08), durante encontro da CEC – Comissão de Educação e Cultura da Câmara Municipal de Vereadores. Foi a primeira reunião da Comissão, criada no começo deste mês a pedido do Vereador Rossano Farias, do PSB. Participaram das discussões os diretores da Escola Marques Luz, dos turnos tarde e noite, professores André Moreira Chagas e Marcos Lourenço, onde justificaram a proposta.
“É uma forma de preparar as pessoas para o turismo, que é forte no período de verão, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro, em São Gabriel, quando é intenso o fluxo de argentinos e até a rede hoteleira não consegue atender a demanda”, explicou o professor André.
Segundo os diretores, o curso será direcionado para o público hoteleiro e também aquele que trabalha no ramo de hospedagem (informal). O curso é pós-médio, o que significa, que o aluno deverá ter o ensino médico completo.
Os professores pediram apoio da Comissão de Educação e Cultura, já que a Escola precisa comprovar, em ata, que discutiu com a comunidade a implantação do curso, assim como precisa evidenciar a importância do tema para a cidade.

OUTRAS PAUTAS – A direção da escola ainda apresentou reivindicações. Entre elas, o complemento do asfalto da Rua Lavras do Sul. Os professores reclamaram da situação do calçamento em frente a instituição. Segundo eles, a precariedade causa risco para quem trafega, principalmente, com motos. Ainda foi solicitada a implantação de uma faixa de segurança no local.
O vereador Rossano Farias informou que já protocolou um pedido, indicando a colocação de uma faixa de pedestre elevada em frente ao portão de acesso a escola. Segundo ele, a proposição será apreciada pelos vereadores, mas, no entanto, mesmo que a Prefeitura acene com a possibilidade, a sua implantação ainda depende de aprovação do Conselho de Trânsito.
A entidade ainda não está funcionando. Somente neste mês foram compostas todas as cadeiras e a eleição do novo presidente acontecerá ainda na metade de agosto.

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA – Criado com base em um pedido do tem o objetivo de dar melhores condições e opinar sobre proposições referentes a educação, ao desenvolvimento cultural e artístico, patrimônio histórico, esportes e ao ensino. Além do vereador Rossano Farias, do PSB, também participam do CEC, os vereadores Marllon Maciel, do PP; Renato Silveira, do SD; Adão Santana, do PTB; Antônio Bertazzo, do PDT; e Eder Barboza, do PT, que ocupa a posição de presidente.

INICIA O CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PARA PROFESSORES E GESTORES ESCOLARES.

Um convênio assinado entre o Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung), Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede), Governo do Estado e Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul (Seduc), começou a ser executado nesta segunda-feira (30/07), em Itaqui, quando iniciou o primeiro curso de Formação Pedagógica para professores e Gestores Escolares das redes municipais e estaduais. A capacitação está sendo realizada pela Urcamp, e cumpre uma demanda da Consulta Popular 2016/2017, quando a verba foi destinada à educação. Até o dia 11 de agosto, mais de 1440 professores terão seus certificados, em 9 cidades que compõem as fronteiras campanha e oeste.
As primeiras turmas do cronograma iniciam na cidade de Itaqui, que teve destaque na área de educação em seu Corede Fronteira Oeste no período de votação da Consulta Popular 2016/2017, contabilizando mais de 2.700 votos. São seis grupos de professores e um de gestores, totalizando mais de 450 alunos. As aulas são no campus da Unipampa, que entrou como parceira cedendo o espaço. O credenciamento com orientação e entrega do material do curso é a partir das 7h, e as aulas começam às 8h. As atividades serão nos turnos de manhã e tarde. O objetivo da formação é oportunizar espaços individuais e coletivos de aprofundamento teórico-metodológico, sobre temáticas relativas a ação pedagógica na Educação Básica, por meio de ação-reflexão-ação e do protagonismo do gestor escolar neste processo formativo.
Para a reitora da Urcamp, presidente do Corede Campanha e membro que representou o Comung no ato solene da assinatura do convênio, professora Lia Maria Herzer Quintana, a educação é a base e esse curso vem ao encontro desse pensamento. “Eu entendo que a formação de professores e a qualificação do ensino, principalmente das séries iniciais é o mais importante para um ser humano tornar-se crítico, em condições de decidir o seu destino”, comenta a reitora, que também é professora. Em relação à sua posição enquanto membro do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas, ela garante “é papel do Comung e das instituições associadas contribuir com esse processo”, conclui. Vale destacar que a Urcamp representa, neste curso, dois Coredes: O Campanha e o Fronteira Oeste.
Através de suas instituições, o Comung inicia a concretização dessa importante parceria com a Secretaria de Educação do Estado, atingindo, ao total, quase cinco mil professores em todas as regiões do Rio Grande do Sul. Para a presidente do Consórcio e reitora da Unisc, professora Carmen Lúcia de Lima Helfer, “a parceria evidência, mais uma vez, o compromisso histórico de nossas universidades comunitárias com a formação de professores, tanto na graduação, como pós-graduação e extensão, promovendo a socialização de aprendizagens, conhecimentos e tecnologias que envolvem o pensar e o fazer educativo nas escolas. Por meio desta parceria, o Comung, de forma conjunta com a Seduc, estará contribuindo para o desenvolvimento, inovação e qualificação da educação básica do nosso estado”, reflete.
O recurso destinado da Consulta Popular 2016/2017 é de aproximadamente R$ 4 milhões de reais, quando 10 Coredes elegeram como prioridade a formação de professores de 63 municípios gaúchos. As aulas, que iniciam hoje, 30, se estendem até 28 de setembro, com encontros presenciais (16h) e a distância (44h).
Para a realização da formação, foi constituído um Grupo de Trabalho de professores e técnicos (administrativos, financeiros) das instituições de ensino que integram o Comung, que estão trabalhando, desde setembro de 2017, na produção dos cursos, materiais, plataforma virtual e divulgação. Esse Grupo de Trabalho é coordenado por uma comissão organizadora, cuja presidente é a reitora da Urcamp, professora Lia Quintana. Atualmente são 15 instituições de ensino superior no Comung: Urcamp, Unisc, Unisinos, UPF, Feevale, Unilasalle, Univates, URI, Unicruz, Unijuí, UFN, Centro Metodista de Santa Maria, PUC RS, UCS e Católica de Pelotas.
O primeiro cronograma cumpre as atividades dos encontros presenciais de oito horas. As aulas iniciaram em Itaqui e, após, seguem nos demais municípios da fronteira campanha (Bagé, Candiota, Hulha Negra e Lavras do Sul) e fronteira oeste (Alegrete, Itacurubi, São Gabriel e Uruguaiana). Em São Gabriel será no dia 6 de agosto, das 8h às 17h30min.

NOVE ESCOLAS DE SÃO GABRIEL RECEBERÃO CARTÃO PARA PAGAMENTO DE CONTAS.

Há alguns anos, os cartões de crédito ou débito têm crescido como forma de pagamento preferida dos brasileiros. Conforme pesquisa do Banco Central divulgada nesta semana, para compras de mais de R$ 500, 42,6% preferem o cartão. E, na última semana, o FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação divulgou a lista da terceira etapa de escolas beneficiadas com o cartão do PDDE – Programa Dinheiro Direto na Escola. Ao todo, 205 instituições educacionais da região receberão o cartão magnético, 42 só em Santa Maria. Em São Gabriel, serão 9 instituições de ensino.: Carlota Vieira da Cunha, Menino Jesus – Caic, Marques Luz, Tarso Dutra, Telmo Borba Menezes, Marechal Deodoro, Tiradentes, Evaristo Macedo Casado e Rodrigues Alves (que, embora não seja gabrielense, aparece na lista como sendo de São Gabriel).
O cartão de crédito vai desburocratizar o processo de pagamento feito pelas escolas. Até agora, as instituições precisavam quitar suas dívidas utilizando o ultrapassado cheque, já não aceito em muitas empresas e prestadoras de serviço. A mesma pesquisa do Banco Central mostra o quanto os talões não são usados, representando apenas 1% na forma de pagamento dos brasileiros.
“O cartão PDDE é uma inovação. Estamos mudando essa forma de executar, de transitar o recurso, para que, em vez de as escolas utilizaram o talão de cheque, passem a usar o cartão. Começamos com um projeto piloto, apenas com 26 escolas, e acabamos expandindo, porque é uma modernidade. E as escolas são ambientes que precisam se adequar a isso. Daqui a algum tempo, os cheques não vão existir mais”, sustenta a coordenadora-geral de Apoio à Manutenção Escolar do FNDE, Nazaré Nicéas.

BENEFICIADOS
Até agora, 10 mil escolas em todo o país já contam com o cartão. A intenção é que as 144 mil escolas públicas do país contem com o serviço. Esta última lista, em que estão contemplados os 205 colégios da região, conta com mais de 49 mil instituições. Apenas 10 municípios da região não estão na lista: Dilermando de Aguiar, Dona Francisca, Itaara, Nova Esperança do Sul, Quevedos, Santa Margarida do Sul, São Martinho da Serra, Silveira Martins, Toropi e Unistalda.
Para as escolas que estão na lista, a coordenação do programa orienta que elas se dirijam com rapidez às agências bancárias para iniciar o processo de habilitação, evitando, assim, que fiquem impedidas de movimentar os recursos que já foram transferidos.
Além da facilidade, a intenção também é tornar mais fácil a prestação de contas do dinheiro gasto. Isso porque a conta vinculada ao cartão é a que recebe recursos do chamado PDDE Básico, verba destinada pelo governo federal às escolas estaduais e municipais para contribuir na manutenção e melhoria da infraestrutura da instituição. Não há um valor pré-definido para cada escola, já que depende do número de alunos. A conta é de R$ 20 por estudante.