SEMANA DE PROTESTOS: PROFESSORES PODERÃO ANUNCIAR GREVE JÁ NESTA QUINTA-FEIRA.

capa-cpers

A quinta-feira (08/12) será de mobilização pela educação em São Gabriel. Enquanto os dirigentes do Sindicatos dos Professores do Estado do Rio Grande Sul (Cpers – Sindicato), com delegações de vários municípios gaúchos – vão estar concluindo a 7ª Assembleia Geral da Categoria neste ano, em Porto Alegre, aqui, no Município, a classe vai protestar com caminhadas e evento na Praça Dr. Fernando Abbott.
A mobilização – “contra o sucateamento da educação e desmoralização dos professores” – é organizada por Círculos de Pais e Mestres (CPMs) de várias instituições de ensino do Estado e deverá ter a participação de alunos, professores, servidores e pais. Uma destas escolas, é a Sueni Goularte Santos, de onde a comunidade escolar partirá, em caminhada, às 17h30min. Isso deverá acontecer, no mesmo horário, na maioria dos Educandários. Os grupos se encontrarão na Praça Central.
Amanhã, no auditório da Escola Estadual XV de Novembro, os professores de Vila Nova do Sul, Santa Margarida do Sul e São Gabriel participam de Assembleia Regional da Categoria. A reunião começará as 17 horas. De acordo com o diretor do 41º Núcleo do Cpers – Sindicato, professor Pedro Moreira, do encontro sairão as proposições a serem defendidas na Assembleia de quinta-feira. “Precisamos saber o que os nossos professores querem… Atualmente, tem grupo que defendem o início de uma greve geral já no dia 8. Mas sabemos que também existem propostas de greve a partir dos 20 deste mês ou, ainda, a possibilidade de não iniciar o ano letivo em 2017”, explicou o dirigente.
A Assembleia Geral, na Praça da Matriz em Porto Alegre, será decisiva para barrar o “pacote” do governo Sartori (PMDB), o mais radical da história do Estado, que está tramitando na Assembleia Legislativa.
O pacote, segundo o Cpers, ataca diretamente os direitos dos professores, funcionários de escola e demais servidores estaduais. Conforme divulgou o site do Sindicato, “Sartori mostra total desrespeito com a categoria com as seguintes propostas: 13º salário sem data limite, extinção da licença prêmio, novas regras para tempo de serviço e a retirada da remuneração de servidores cedidos para entidades sindicais. Além de acabar com 3 mil postos de trabalho, através da extinção de 9 Fundações (CIENTEC, FCP – TVE, FDRH, FEE, FEPAGRO, FEPPS, FIGTF, FZB E METROPLAN), a extinção de uma Companhia (CORAG) e a extinção de uma Autarquia (Superintendência de Portos e Hidrovias)”.
A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, atacou: “Vamos extinguir o gabinete do governador José Ivo Sartori, já que ele não faz nada lá, e não as fundações como está em seu pacote. Além de nos pagar parcelado só quer retirar nossos direitos. A resposta para esse pacote será dada em frente ao Palácio Piratini, na Praça da Matriz, dia 08, na Assembleia Geral da nossa categoria”, afirmou.

PROJETO DO MARFRIG BENEFICIA 26 CRIANÇAS. MAS ESSE NÚMERO PODE AUMENTAR!

marfrig

Turma da manhã no horário do almoço. Crianças participam de atividades que são realizadas no horário inverso ao de aula

Cerca de 26 crianças são beneficiadas por um projeto social desenvolvido pela Marfrig Global Foods, criado com o objetivo de implementar ações pioneiras e políticas abrangentes de responsabilidade socioambiental em sua cadeia produtiva. Em São Gabriel, esse projeto funciona na Rua Mascarenhas de Moraes, 71, onde o gabrielense o conhece por Instituto Marfrig, quando na prática se trata do “Instituto Marfrig Fazer e Ser Feliz”.
O nome não difere muito. Mas esse “Fazer e ser Feliz” representa a essência da proposição de seus criadores e por isso merece destaque. Como o próprio nome diz, a proposta é tornar mais feliz a vida de crianças, dos seus seis aos 11 anos, e auxiliar quem enfrenta problemas de relacionamento, em casa ou na escola, a se readaptar no convívio com outras crianças. Esse trabalho é desenvolvido por duas pessoa apenas: a pedagoga Talissa Ryscak, de 26 anos, e pela auxiliar geral, Viviane Nunes, que apóia nas demais funções.
O projeto não tem fins lucrativos e foca, principalmente, o público mais carente. Aquele que realmente precisa de apoio profissional. Mesmo assim, não fica restrito as pessoas com menor poder aquisitivo. “Eu tenho crianças que tem muito financeiramente, mas pouco emocionalmente”, comenta a pedagoga.
Ela explica que a maioria das crianças é encaminhada pela Secretaria de Assistência Social ou pelas próprias escolas, pois acabam demonstrando, no convívio escolar, que enfrentam dificuldades de socialização.
Um menino de 6 anos viu a vida dele mudar de uma hora para a outra com a confirmação do processo de adoção.
Ele está sendo retirado do convívio com os pais alcoólatras e dependentes químicos, mas como conviveu sempre neste ambiente, a criança enfrenta dificuldades para se relacionar com outras pessoas.
Outra criança, com 8 anos, perdeu a mãe. “Ela simplesmente travou. Não rendeu mais na escola e a própria direção nos encaminhou. Desta forma, sabendo dos problemas delas (crianças), nós vamos trabalhando aos poucos e recuperando a auto-estima de cada um”, explica.
Esse trabalho poderia ser bem melhor e obter resultados rápidos se houvesse a participação de voluntários no projeto. Hoje, o Instituto Marfrig tem uma sede com capacidade para atender 100 ou mais crianças. No entanto, se limita a apenas 26 porque precisa de novos voluntários. Sejam eles: dançarinos, artistas plásticos, artesãos, professores, músicos, professores de informática ou recreacionistas.
Atualmente, com uma estrutura com 11 peças divididas em salas de oração, brinquedoteca, leitura, duas áreas de estudos, informática, dança, música, refeitório e cinema, quando o grupo está em atividade em uma das dependências, as demais áreas ficam desertas por falta de alunos e de voluntários para ministrar as aulas.
Das 26 crianças assistidas, 12 são carentes das regiões norte e sul da cidade. Curiosamente, são as famílias carentes as que mais dificultam na hora de colocar em prática o projeto. “É complicado. Algumas famílias – mesmo tendo transporte na porta de casa – acabam não mandando as crianças e na maioria das vezes é por falta de vontade”, comenta Talissa.
Mas o projeto segue. A proposta é ampliar o número de alunos. “Para isso basta comprovar que precisa do nosso apoio ou as instituições de ensino nos encaminhar os alunos que apresentarem comprovadamente problemas psicológicos… essas crianças tem prioridade”, argumentou.
FINAL DE ANO
A festa de final de ano do Instituto Marfrig acontecerá no dia 6 de dezembro, às 20 horas, no Clube do 9o RCB. O evento – Cantada de Natal: Jesus nasceu, assim se fez a noite de Natal – será protagonizado pelos alunos caracterizados como Jesus, Maria, José e todos os que representam o nascimento do cristianismo.

EDUCAÇÃO INFANTIL ENCERRA O ANO NO DIA 16 DE DEZEMBRO.

VÓ SEVERINA REALIZA DO PRÉDIO PINTURA EM PARCERIA COM A COMUNIDADE

vo-severina-2

As escolas de educação infantil encerram as atividades no dia 16 de dezembro com a “promessa” de retorno no dia 2 de janeiro do próximo ano. Serão quinze dias de recesso que, no entanto, poderão ser ampliados. Esse prazo poderá ser maior, ou não, conforme avaliação do novo comando da Secretaria Municipal de Educação. O vereador Sildo Cabreira, anunciado pelo prefeito eleito Rossano Dotto Gonçalves como novo secretário de Educação, a partir de 2017, garantiu que as EMEIs vão funcionar em janeiro. No entanto, ele pediu um tempo para informar a data de início, pois ainda espera por informações oficiais da Secretaria Municipal de Educação.
“Vamos abrir as creches, sim… As crianças, de 6 meses a 3 anos, serão recebidas em janeiro. Só não posso dizer a data neste momento. Mas vamos nos reunir e com certeza vamos definir essa data ainda este mês”, afirmou o futuro secretário.
As outras crianças – do Pré-Escolar de 4 e 5 anos – deverão iniciar o ano letivo em março do próximo ano, assim como todos os inscritos nas redes municipal e estadual de ensino.
Antes de encerrar o ano, algumas instituições já programam reformas visando o início das atividades, mesmo sabendo que as direções das escolas não serão as mesmas e os novos dirigentes ainda serão nomeados, a partir de janeiro, pelo novo prefeito.
Na Escola de Educação Infantil Vó Seferina, no Bairro Independência, a diretora está organizando um mutirão com a participação de pais e professores. A ideia é pintar todo o prédio e deixar a sede da instituição pronta para receber os alunos em 2017. Além disso, a comunidade escolar está arrecadando recursos para colocar em funcionamento os ares condicionados. O dinheiro vem de uma ação entre amigos concluída nesta semana.
Já a pintura conta com apoio da direção da Loja Quero-Quero, com sede na Rua Duque de Caxias, que doou 64 litros de tintas das cores verde e branco. A entrega do material – feita pelo gerente Alexandre Bérgamo e pelo estoquista Márcio Neques Veleda – aconteceu no começo da tarde de quinta-feira (01/12) e possibilitou que a direção programasse o início do mutirão para este final de semana.
Conforme a diretora Rita de Cássia Leal, a Escola de Educação Infantil Vó Severina tem 144 alunos com idade que varia dos 4 meses aos 5 anos. Hoje, a instituição funciona com duas cozinheiras, 11 monitores, nove professores, dois guardas, um zelador e um diretor.
A instituição vai abrir as portas para a comunidade escolar no dia 14 deste mês, quando acontece a festa de encerramento do ano letivo com apresentações artísticas de Natal. Estão confirmadas atrações com as invernadas do CTG Caiboaté e Cia de Dança Valéria Lacerda. A festa começará às 19h30min.

ALUNOS DA CELESTINO REALIZAM CAMINHADA DE “CONSCIENTIZAÇÃO NO TRÂNSITO”. FAMÍLIA DE VÍTIMA EM ACIDENTE PEDE JUSTIÇA.

liria-5

Três gerações pedindo justiça. Avó, mãe e filhas. Foi desta forma, vestindo camisetas brancas com o rosto de Liria Gouveia Siqueira, que a família dela participou de uma caminhada em defesa do trânsito seguro. A mobilização aconteceu na noite de quinta-feira (01/12), entre a Praça Ecológica e a Praça Dr. Fernando Abbott, envolvendo cerca de 250 estudantes e integrantes da comunidade escolar da Escola Estadual Dr. Celestino Lopes Cavalheiro.
O projeto “Conscientização no Trânsito” é desenvolvido por professores e alunos da EJA e tem como objetivo principal chamar a atenção da comunidade gabrielense para as causas e a falta de responsabilidade (do motorista e do pedestre) que ocasionam, na maioria das vezes, os crimes no trânsito.
Liria tinha de 25 anos quando morreu. Ela perdeu a vida após um acidente entre um mototaxi e um automóvel no centro de São Gabriel. Segundo a Brigada Militar, a moto trafegava pela Rua João Manoel por volta das 6h10 do dia 05 de fevereiro deste ano quando teve a preferencial invadida, no cruzamento com a Rua Barão de São Gabriel, por um automóvel Pálio. A jovem estava na garupa e foi jogada contra a parede de um prédio.
Liria ficou internada em estado grave no Centro de Terapia Intensiva (CTI) por cinco dias. Ela não resistiu aos ferimentos. O motorista do automóvel estava embriagado e foi preso em flagrante.

liria-1

Familiares de Liria

Passados 10 meses, a família questiona a morosidade da Justiça. A mãe dela, Iara Gouveia Siqueira, de 44 anos, revela que as audiências referentes ao caso ainda não foram marcadas e o motorista, um militar, permanece sem ser responsabilizado.
Com 80 anos, a avó Carlinda Oliveira Gouveia percorreu ao lado da filha e das bisnetas todo o trajeto entre a Avenida Antônio Trilha, Tristão Pinto, Duque de Caxias e Praça Dr. Fernando Abbott com o objetivo de mostrar força e cobrar do Poder Judiciário medidas enérgicas para crimes no trânsito.
Sem saber direito o que aconteceu e a importância delas no movimento, as filhas de Liria – Isabela, com 3 anos, e Isabeli, com 5 – também caminharam com camisetas onde o aparece o rosto da mãe delas e a frase: “Saudades eternas”.
Um novo movimento está marcado para o dia 10 de dezembro, às 19h30min, desta vez com amigos e familiares de Liria. A concentração está marcada para a esquina do 6º Batalhão de Engenharia de Combate, onde a vítima saiu de moto no dia do acidente, e o final da caminhada, na esquina do Corpo de Bombeiros, na Rua João Manoel com Barão de São Gabriel, local onde aconteceu a colisão.

liria-direcao

Professores da Celestino

SOBRE A CAMINHADA
A professora Gislaine Almeida D’Ávila explica que o projeto interdisciplinar foi desenvolvido por ela e pelas professoras Ana Carla Librelotto e Giane DM. As três são responsáveis pelas disciplinas de Língua Portuguesa, História e Matemática da EJA.
“A ideia é chamar a atenção dos alunos – todos maiores de idade – para a importância de termos um trânsito mais gentil e educado. E, depois tornar estes alunos multiplicadores, levando adiante, para as famílias e amigos, esta mensagem de conscientização”, comentou a educadora.
Na opinião dela, hoje, a maioria dos acidentes ocorrem porque existe muita irresponsabilidade ou negligência. “Ou, em outros casos, é falta de respeito mesmo do motorista”, analisou a professora.
A campanha iniciou na noite de quarta-feira (30/11) com a realização de uma palestra sobre trânsito. O evento, realizado no saguão da escola, teve como ministrante o tenente da Brigada Militar, Carlos Alberto de Almeida Dias.
Durante a caminhada, na noite de quinta-feira, os estudantes usaram fitas verdes nos pulsos simbolizando uma homenagem as vítimas do acidente envolvendo o avião da Chapecoense.
O avião Avro Regional Jet 85 (RJ85), que transportava dirigentes e jogadores da Chapecoense, além de jornalistas que fariam a cobertura do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, deveria ter chegado a Medellín por volta das dez da noite da Colômbia. Pouco antes de iniciar sua descida, perdeu contato com a torre de controle e acabou caindo. Das 77 pessoas a bordo, apenas seis sobreviveram.

liria-3

EDUCAÇÃO REALIZA NESTE DOMINGO A 19ª EDIÇÃO DO “VENHA VER A BANDA PASSAR”.

Considerado um dos principais eventos regionais de incentivo às bandas escolares, acontece, em São Gabriel, no próximo domingo (20/11), mais uma edição da Retreta Municipal de Banda “Venha ver a banda passar”. O objetivo – de acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SEME) – é integrar as bandas escolares e incentivar a cultura através da música. As apresentações começam a partir das 16 horas na Avenida General Mallet, na Praça Dr. Fernando Abbott. A 19ª edição da Retreta “Venha ver a banda passar” tem 18 representações pré-confirmadas.
A SEME informa que, em caso de chuva, o evento será transferido e a nova data será definida com os organizadores e a Comissão Organizadora. Serão entregues certificados para as bandas participantes. Cada escola terá 15 minutos para desenvolver sua apresentação. Entre as participações, estão confirmadas escolas de Rosário do Sul e Vila Nova do Sul.
Uma das atrações deste ano será a apresentação da Banda Infantil da Escola de Educação Infantil Vó Edy, a primeira do gênero em São Gabriel e a única nesta categoria.

Ordem de Apresentações:
1- Banda E M E I Vó Edy
2- Banda Escola Municipal Maria Pereira – mirim de Vila Nova do Sul
3- Banda Escola Municipal Ferraz Neto
4- Banda Escola Municipal Marechal Deodoro
5- Banda Escola Municipal Mascaranhas de Moraes
6- Banda Escola Municipal Carlota Vieira da Cunha
7- Banda Escola Municipal Menino Jesus CAIC
8- Banda Escola Municipal João Goulart
9- Banda Escola Municipal Maria Pereira – Vila Nova do Sul
10- Banda Escola Estadual Camilo Mércio
11- Banda Escola Municipal Presidente Kennedy
12- Banda Escola Municipal Telmo Borba Menezes
13- Banda Banda Instituto de Educação Menna Barreto
14- Banda Fanfarra da Brigada Mirim 4º Esquadrão
15- Banda Escola Municipal Carolina Berny
16 – Banda Escola Municipal Ginásio São Gabriel
16- Banda Escola Estadual Pery da Cunha Gonçalves
18- Banda Escola Estadual Plácido de Castro – Rosário do Sul
19- Integração de todas as Bandas

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REALIZOU O 1º SEMINÁRIO “EDUCAÇÃO DO CAMPO”.

evento-conselho-municipal-de-educacao

O Conselho Municipal de Educação realizou, na sexta-feira (11/11), o 1º Seminário Educação do Campo de São Gabriel, com o objetivo de refletir acerca das especificidades deste tipo de ensino. Palestra e oficinas buscaram subsidiar a discussão das diretrizes curriculares para a educação do campo da rede municipal em elaboração.
O evento foi realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Manoela da Cunha Teixeira – Polo de Azevedo Sodré e contou com a presença de, aproximadamente, 150 pessoas entre professores, monitores, funcionários e alunos das escolas da zona rural do município e demais interessados.
A representante da Coordenação Geral de Educação do Campo e Cidadania do Incra, Conceição Coutinho Melo, palestrou sobre “Educação do Campo e Currículo Escolar”, destacando a importância do diálogo entre os sujeitos sociais atuantes na área. Ela defendeu uma gestão democrática e participativa para a definição de diretrizes, para que sejam apreciadas a experiência e o conhecimento de educadores, educandos, gestores públicos, funcionários de escolas, movimentos sociais e comunidades.
A assessora técnica do CME/SG, Larissa Gräff, destacou que “foi mais uma oportunidade de formação para os professores repensarem suas metodologias e os alunos exporem suas expectativas.”
Para a conselheira Ana Maria Oliveira da Silva, é necessário lançar um olhar diferenciado para a escola do campo. “Ela é um meio de transformação. Os professores precisam de formação específica para essa área, enquanto os alunos têm de ter acesso ao conhecimento geral, mas sem deixar de cultivar a sua essência”.
Durante o seminário foi promovida a Feira da Economia Solidária, com a venda de artesanato e produtos coloniais.

NEW LIFE APROVA 58 ALUNOS NO COLÉGIO TIRADENTES

01
Nos últimos dias duas hastags #LaranjaNeles e #58Laranjas despertaram a curiosidade dos usuários do facebook. Tratava-se dos alunos do curso preparatório para o Colégio Tiradentes da New Life que participaram do concurso realizado no dia 23 de outubro. Os estudantes obtiveram um excelente resultado. O curso preparatório aprovou 58 alunos, batendo todos os recordes de aprovação no Estado. Foram disponibilizada 65 vagas para a comunidade civil e 15 vagas para a comunidade militar (filhos ou dependes de Policiais militares).
O curso preparatório da Escola New Life é reconhecido em todo o Rio Grande do Sul como um dos melhores preparatórios para ingresso no Colégio da Brigada Militar. “São sete anos preparando alunos para o concurso, com mais de 250 alunos aprovados e muitos deles hoje cursando ensino superior ou estão seguindo carreira militar. Aprovamos cinco primeiros lugares em sete anos de preparação. Nesse ano, o aluno Pedro Figueira Jobim foi o primeiro colocado no concurso”, comentou Max Lara, Coordenador do preparatório.
Dos 65 alunos aprovados nas vagas para comunidade civil, 51 são alunos da Escola New Life e, dos 15 aprovados para a comunidade militar, sete são alunos da Escola New Life, o que comprova o alto índice de aprovação do preparatório.
O fato de hoje o curso ser referência em aprovação no Estado não assusta. “Esse reconhecimento é fruto do trabalho em equipe, professores, secretarias, equipe de coordenação e direção. Trabalhamos muito duro para conseguir atingir esses resultados e a cada ano que se inicia a responsabilidade se renova”, comemora Jéssica Moreira, coordenadora do Curso Preparatório.
As matrículas para a turma de 2017 estão abertas, interessados em fazer parte desse time de aprovados devem se dirigir até a sede do Grupo New Life ou entrar em contato pelo whats de atendimento ao cliente 55 9977 1122.