VEREADOR FIRMA PARCERIA COM DESPORTISTAS PARA ARRECADAR ALIMENTOS PARA FAMÍLIAS POBRES.

Renato Silveira

O Vereador Renato Silveira, do Solidariedade, confirmou, na semana passada, uma parceria com a direção da Liga Padrão de Futsal para a realização de jogos solidários. A ideia é arrecadar, através de partidas de futebol, alimentos que serão destinados para famílias carentes residentes em comunidades pobres de São Gabriel. O primeiro jogo acontecerá no dia 28 de maio, na quadra de esportes do Brasil Tênis Clube. As partidas solidárias acontecerão uma vez por mês.
De acordo com o parlamentar, existe uma expectativa de arrecadação superior a 600 quilogramas de alimentos. “Isso vai acontecer através de doações feitas por atletas. Os times pagarão uma taxa para participar do torneio, mas junto, também terão que doar 2 quilos de alimentos por atleta”, explica.
Tanto a Liga quanto o vereador trabalham com a possibilidade de inscrever 24 times com 15 atletas, em média. “Por isso acreditamos que a arrecadação possa ultrapassar os 600 kg”, complementou.
Na reunião, realizada na Câmara Municipal de Vereadores, o parlamentar também oficializou apoio ao Palmeiras Futsal, mas isso acontecerá a através de uma empresa particular administrada por ele. “O patrocínio para o Palmeiras na Série B será através do meu salão de beleza”, informou.
O Palmeiras é o representante de São Gabriel no Campeonato Estadual de Futsal Série Bronze. A direção do clube tem enfrentado dificuldades financeiras para cumprir as responsabilidades para a realização de jogos e viagens. Na semana passada, para pagar o quadro de arbitragem, o time local contou com apoio de atletas da SER Santiago, que arrecadaram recursos e ajudaram no pagamento dos árbitros.
A reunião teve a participação do Presidente da Liga de Futsal, Nasser Ahamed, e do desportista e dirigente do Palmeiras, Giancarlo Alves Bina.

GABRIELENSE DIZ QUE FILHO MORREU POR CAUSA DE NEGLIGÊNCIA NO ATENDIMENTO E NEGATIVA DE INTERNAÇÃO EM HOSPITAL DE LAJEADO.

Bebê de 1 ano morreu após ser encaminhado para atendimento em UPA na cidade de Lajeado. Mãe de São Gabriel não aceita versão da Saúde.

upa

Atendimento inicial aconteceu na Unidade de Pronto Atendimento

A morte do pequeno Guilherme Marinho da Silva será averiguada pela Polícia Civil (PC) e pela Secretaria da Saúde (SES) de Lajeado. A criança, de 1 ano, deu entrada na emergência da UPA às 17h55min de segunda-feira (08/05), com uma crise convulsiva e febre. A criança morreu cerca de uma hora e meia após receber os primeiros atendimentos.
De acordo com a Polícia Civil (PC), o menino foi medicado com antibióticos para controlar a convulsão e a febre. Entretanto, a medicação não teve efeito e o quadro evoluiu para uma crise cardiorrespiratória, que causou a morte da criança. O corpo foi encaminhado para perícia no Instituto Médico Legal (IML).
Responsável pela investigação, o delegado de polícia Juliano Stobbe disse, em entrevista ao Jornal Informativo, de Lajeado, que o resultado da perícia foi inconclusivo. “Não foi possível verificar se o medicamento dado para a criança durante o atendimento foi responsável pela morte”.
Ainda, segundo o Informativo, o delegado se refere ao antibiótico aplicado quando a criança deu entrada na UPA. Outra hipótese que circulou durante a semana é que a morte tenha sido causada por uma vacina que Guilherme receberá no começo do dia. As doses são da rotina do calendário infantil. Segundo Stobbe, essa é uma das hipóteses investigadas. “Existe essa possibilidade, mas não tem como confirmar nem descartar”, argumentou.
Como a perícia terminou inconclusiva, foi guardada uma amostra biológica do bebê para novas análises. “Vamos solicitar o exame pericial nessa amostra, verificar junto aos prontuários de atendimento quais os procedimentos usados e qual o quadro clínico da criança quando deu entrada”, explicou.

tati

Fernanda com a filha Ana Alice e o bebê (Guilherme)

ANÁLISE EM PORTO ALEGRE
Por meio de nota, o secretário de Saúde de Lajeado, Tovar Grandi Musskopf, afirmou que, antes de dar entrada na UPA, o bebê sofria há 30 minutos de uma crise convulsiva. De acordo com Musskopf, a criança já tinha apresentado o mesmo quadro em outras ocasiões.
Conforme ele, um relatório do caso foi enviado para a área técnica de imunização, localizada em Porto Alegre, onde está sendo analisado. “Vamos verificar se existe relação das vacinas com o óbito, mas já fomos informados que, até então, não há descrição na literatura que as vacinas aplicadas possam ter relação com esse óbito”.
A expectativa é que o resultado saia antes do final do mês. O Comitê de Mortalidade Infantil Municipal está avaliando o histórico do bebê, e deve apresentar um parecer em até 120 dias.

A mãe da criança, a gabrielense Fernanda Rodrigues Marinho, de 26 anos, mora há 9 anos em Lajeado e não aceita a versão divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde.

Fernanda relata que, na UPA, o atendimento foi imediato, no entanto, a remoção do Samu para o Hospital Bruno Born não aconteceu quando foi solicitada. ” A UPA pediu suporte para o hospital da cidade para transferência dele, pois no hospital tinha mais recursos… E eles negaram receber meu anjinho e disseram que era só uma convulsão. Aí, quando ele entrou em parada cardíaca, eles chamaram o SAMU com UTI Móvel”, disse Fernanda.
Segundo ela, na UPA, tinham três médicos.
Ela descreve que, às 17h, foi aplicada uma injeção de antibiótico no bebê. A crise convulsiva ocorreu por volta das 17h30min. De acordo com Fernanda, a criança havia convulsionado apenas uma vez, há cerca de um mês. Guilherme havia completado 1 ano um dia antes do falecimento.
A mãe aguarda o resultado dos laudos e não descarta a possibilidade de acionar o Hospital na Justiça.
“É para evitar que isso aconteça com outras pessoas. Não desejo essa dor para ninguém. No óbito, saiu causa da morte Edema Pulmonar, causa ignorada com exames a serem vistos… Não quero que abafem o caso, pois já falaram que meu nenê tinha várias crises convulsivas e, na verdade, ele teve apenas uma, por febre”, finalizou.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: 96% DOS QUE RESPONDERAM ENQUETE DO PMDB SÃO CONTRA.

Em enquete, realizada no site do PMDB, que pergunta a opinião das pessoas sobre o texto da reforma da Previdência aprovado na comissão especial, 96% se manifestaram contra a proposta. Com total de 36.757 votos até a manhã desta segunda-feira (15), apenas 2% se manifestaram a favor da proposta.
Os 96% somam 35.468 contra o projeto, que atualmente é a principal bandeira do governo Michel Temer (PMDB). A favor, somam 592 votos e outros 556 (2%) preferiram não opinar.
Aprovado na comissão especial no última dia 3, o relatório estabelece idade mínima de 65 anos para obter a aposentadoria, no caso dos homens, e 62 anos para as mulheres, com tempo mínimo de contribuição de 25 anos.
Cerca de um mês atrás, pesquisa CUT/Vox Populi também constatou números parecidos, com 93% dos entrevistados contrários à proposta de regime de aposentadoria apresentada por Temer.
Prevendo dificuldades em levar a proposta adiante, o PMDB admite punir dissidentes. Parlamentares querem reunir a executiva do partido para fechar questão sobre o tema, obrigando a bancada a votar a favor, abrindo assim a possibilidade de punição aos que desrespeitarem a decisão.

VACINAÇÃO: CRIANÇAS ABAIXO DA MÉDIA. SÃO GABRIEL TERÁ DIA “D” NESTE SÁBADO.

vacina-gripe

O próximo sábado será o dia D de mobilização da campanha de vacinação contra a gripe em São Gabriel. Além das unidades de saúde, que funcionarão das 8h às 17h, também terá uma unidade móvel na Praça Dr. Fernando Abbott. Nos bairros e outras regiões do centro, a vacinação acontecerá nas UBS do Centro (em frente à Santa Casa), PAM, Brandão Júnior, Santa Clara, Bom Fim, Independência, Esplanada, CAIC, Nosso Sonho e Zona Oeste. As informações são da Chefe do Setor de Imunização, enfermeira Maria da Graça Barros.
O alvo da campanha são idosos, crianças de seis meses a 4 anos, trabalhadores de saúde, gestantes e mulheres até 45 dias após o parto, que são os grupos mais vulneráveis aos quadros graves e complicações da doença.
O objetivo da campanha é reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência das infecções pelo vírus da influenza. A vacina é aplicada às vésperas do inverno, período de maior incidência da doença. Estudos apontam que a vacina contra a gripe pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% da mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.
A meta da Secretaria é vacinar 90% da população alvo, cerca de 20 mil pessoas. Nestas primeiras semanas de campanha, quase 14 mil pessoas foram vacinadas. A quantidade de crianças e gestantes imunizadas é ainda baixa e preocupa o setor de vacinações. Atualmente, apenas 44,56% da meta estipulada para as crianças foi alcançada (1.523 doses aplicadas), enquanto para gestantes, o índice não passa de 50%.
Os números são considerados baixos, embora o Município já tenha atingido os objetivos propostos para outros públicos, como trabalhadores em saúde, por exemplo, e esteja entre os melhores da região.
Além do grupo prioritário, também são imunizados doentes crônicos, mediante apresentação de prescrição do médico que acompanha o paciente; e professores dos ensinos básico, médio e superior, das redes pública ou privada, que deverão apresentar comprovação da atividade profissional (contracheque, declaração, carteira funcional); e presos e funcionários do sistema prisional.
Para pessoas que tenham apresentado febre recente, recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina. Quem possui histórico de alergia a ovo ou a algum outro componente da vacina não deve se vacinar. É importante levar a Caderneta de Vacinação ou algum comprovante da situação vacinal à unidade de saúde.

OPORTUNIDADE PARA TODOS: SAÚDE PLENA INAUGURA OFERECENDO CONSULTAS POR R$ 35 E EQUIPES ESPECIALIZADAS.

SAUDE PLENA

Empresa está localizada na Rua Barão de São Gabriel

Em um momento que o brasileiro sofre impactos de ações políticas que afetam, principalmente, o plano de aposentadoria dos trabalhadores e a saúde pública, uma iniciativa, em São Gabriel, ganha destaque. E melhor, não sofre com a discriminação, pois trata-se de um investimento moldado num projeto de equidade, que promete oferecer um serviço que dará a mesma oportunidade a todas as pessoas, da mais pobre a mais rica.
Quem olha, de fora, dificilmente acredita que ali dentro, numa das áreas mais valorizadas de São Gabriel e num prédio histórico, remodelado com altos investimentos em estrutura e equipamentos, possam ser oferecidos serviços pelo preço de R$ 35,00 e atendimentos especializado por R$ 150,00.

SAUDE PLENA 1

RECEPÇÃO: ambiente preparado para o bem estar dos pacientes e acompanhantes

A placa diz tudo: Saúde Plena. O nome escolhido pelo médico cirurgião Ricardo Sozo Vitor não poderia ser outro.
A nova clínica de saúde da cidade foi inaugurada na quarta-feira (03/05) e, apenas nos primeiros dias, já atendeu mais de 70 pessoas (com atendimento clínico somente na parte da tarde, indo até às 21 horas).
O valor da consulta, com certeza, é uma baita carta de apresentação. Mas, definitivamente, não é com o preço que o idealizador do projeto quer ampliar o número de atendimentos. Para ele, a forma de atender e o quadro de profissionais serão os seus diferenciais.
Nenhuma profissão tem mais a ver com ideologia do que a medicina. Para ser médico, o profissional, além de amar o que faz, tem que acreditar em ideais que, às vezes, se sobrepõem aos interesses pessoais e financeiros.
Eu sei, nem todos os profissionais pensam desta maneira. Mas esse caso, em especial, retrata perfeitamente o ensinado nos bancos escolares. O médico Ricardo Sozo Vitor teve a ideia de criar uma clínica com preço acessível ainda no tempo de Universidade, quando tentou reunir um grupo de amigos e acadêmicos para atender as pessoas sem cobrar muito.
A ideia, no entanto, não evoluiu e só voltou à tona no início deste ano, quando o médico se deparou com 26 pacientes na sala de espera do antigo consultório… Não demorou muito, tinham mais pacientes e alguns sentados na escada de acesso. Ele viu, naquele momento, que estava na hora de colocar o projeto em ação.
A Saúde Plena foi criada como base num projeto desenvolvido por um amigo do médico, em Porto Alegre, onde os atendimentos clínicos custavam R$ 35,00.
“Esse amigo construiu um prédio de três andares, moderno e equipado. Quando perguntei quanto custava cada consulta, ele disse: R$ 35,00. Achei que estava brincando, depois eu vi que não era brincadeira. E no final, eu entendi: enquanto uns atendem uma ou duas pessoas por R$ 300,00, eles atendiam 100 ou mais por R$ 35,00”.
A Saúde Plena funciona, de segunda a sexta, das 8h às 21h. Tem profissionais que atuam na área de clínica geral, pediatria, ginecologia, fonoaudiologia, psicologia, ortopedia, cardiologia e cirurgia vascular e ainda pretende incluir no quadro profissionais médicos especializados em endocrinologia, traumatologia, otorrinoloringologia e neurologia.

SAUDE PLENA 2

ESTRUTURA: Consultórios modernos e aparelhados para bem atender os pacientes

MARGARIDENSES
O convênio firmado entre a Prefeitura de Santa Margarida Sul e o Hospital de Santa Casa de Caridade beneficia os pacientes que buscam atendimento na clínica.
Margaridenses que precisam de cirurgia pagam os mesmos R$ 35,00 e realizam os procedimentos na Santa Casa a custo zero.
O médico tem, pelo menos, 13 cirurgias marcadas. E são variadas: vesícula, hérnia, lesão de pele e outras. “Em média, são 20 minutos de cirurgia (40 minutos incluindo o preparo do equipamento) e o paciente é liberado, na maioria dos casos, no mesmo dia”, explica.
SAÚDE PLENA, saiba onde encontrar: Rua Barão de São Gabriel, nº 1011, centro de São Gabriel. Telefone (55) 3232.4041 e (55) 99994.3753.

PRAZO DEFINIDO: CLÍNICA DA DOR RETORNA EM JUNHO COM OUTRO FORMATO E NOVO NOME.

reunião clinica da dor

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) anunciou, na tarde desta terça-feira (09/05), o retorno dos atendimentos na “Clínica da Dor”. Mas isso só acontecerá a partir de junho, quando o projeto ganhará um novo formato, com a integração de mais profissionais e especializações, e a clínica passará a ter uma nova nomenclatura. O nome ainda não foi definido.
O novo modelo deixa de focar apenas pacientes com dores crônicas, ampliando o quadro de pessoas assistidas, da acupuntura, microfisioterapia e terapia ocupacional a atividades com educador físico, fisioterapeuta e psicólogo e, ainda, cuidados com a nutrição.
Uma reunião – com profissionais da área de saúde, também na tarde desta terça-feira – definiu metas, cronograma e formulas de execução do projeto.
De acordo com o Secretário de Saúde, médico Ricardo Lannes Coirolo, o projeto vai sofrer alterações estruturais, com a descentralização de atendimentos, usando as Unidades Básicas de Saúde, a Academia da Saúde e ainda espaços públicos, como Ginásio Plácido de Castro.
O relançamento acontecerá em junho, ainda na Unidade Brandão Júnior, com coordenação do médico Guilherme Oliveira, mas, na sua sequência, terá a execução de um projeto piloto em uma das Unidades de Saúde de São Gabriel, aproveitando o trabalho dos agentes comunitários de saúde e desenvolvendo atividades de acordo com a realidade da comunidade em foco.

INFORMATIZAÇÃO
Os dados, a partir do próximo mês, estarão informatizados. De acordo com o Secretário da Saúde será colocado em funcionamento o e-SUS, com as informações de cada paciente integradas ao sistema, permitindo o acesso universal em todas as Unidade Básicas de Saúde.
A informatização vai auxiliar na diminuição de pessoas na fila de espera para atendimento na Clínica da Dor. “Com dores na coluna, por exemplo, somente do ano passado, temos cerca de 290 pessoas. Com a universalização das informações, vamos poder fazer uma triagem e possibilitar que todos possam participar”, explicou o Secretário.
“Algumas pessoas acabam indo de manhã para a Academia da Saúde e, por causa da maneira que são tratadas, acabam transformando o projeto em um grupo de convivência e, por isso, passam por todas as modalidades oferecidas”, argumenta o Secretário.
Isso mostra que o atendimento é qualificado, mas também cria um problema. Com as mesmas pessoas participando de todas as atividades, muitas outras acabam ficando sem oportunidade de participar. Isso deve mudar com a reformulação do projeto.
O novo modelo terá, pelo menos, 20 profissionais da área de saúde diretamente envolvidos.
O projeto, no entanto, mantém a proposta anterior, de promover um atendimento digno, diminuir o sofrimento e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

PROJETO PLANTANDO SAÚDE É REALIZADO COM GRUPO VIDA E SAÚDE.

vila nova

Um projeto da Secretaria Municipal de Saúde de Vila Nova do Sul, promete levar um tratamento mais saudável aos pacientes do Grupo Vida e Saúde – Hiperdia, do município. Além de ter como objetivo, proporcionar conhecimento e orientação a práticas das atividades e uma melhor alimentação. Conforme divulgado, atualmente, oito pessoas com problemas de dependência química participam de uma oficina terapêutica.

A ação será realiza-da através de um tratamento com hortaliças, após a criação de uma horta terapêutica, onde serão plantadas plantas medicinais e condimentares, reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto recebe o apoio da Emater de Vila Nova do Sul.

O espaço utilizado para a plantação será nos fundos da Unidade de Saúde do Centro, e a responsabilidade dos cuidados e manutenção do local será dos próprios pacientes, acompanhados por responsáveis pela oficina e profissionais que participam do projeto. Os trabalhos voluntários acontecerão pelo menos, duas vezes por semana.

De acordo com o Secretário de Saúde, Fagner Leandro Vieira, parte das hortaliças produzidas na horta serão doados para escolas do município. Na ultima semana, uma palestra com funcionários da saúde apresentou o projeto “Plantando Saúde”, para os pacientes da oficina. A elaboração de um relógio do corpo humano também fará parte do projeto.

O trabalho de preparação da terra teve início na última semana. Agora, o isolamento do local será feito, antes de plantar os primeiros produtos. Conforme Vieira, na primeira fase, serão plantados: Alcachofra, alecrim, alho, calêndula, camomila, canela, carqueja, cavalinha, espinheira santa, gengibre, hortelã pimenta, marcela, malva, poejo e outros.

  • OUÇA A RÁDIO CULTURA