SEM NECESSIDADE, POPULAÇÃO BUSCA ATENDIMENTO NO TERCEIRO TURNO E PREJUDICA PACIENTES QUE PRECISAM DO PROGRAMA.

Unidade Brandão Júnior

Programa Terceiro Turno acontece nas Unidades Brandão Júnior (foto) e Caic

Nove meses após o seu lançamento, o Programa Terceiro Turno da Secretaria Municipal de Saúde (SM) contabiliza 4.225 atendimento médicos nas duas Unidades Básicas onde foram implantadas as ações em julho do ano passado. Em média, foram 528 atendimentos por mês, com índice superior a 24 por dia. De acordo com a coordenação do programa, os números de março ainda não foram contabilizados e por isso a média deverá ser ainda maior após a inserção dos novos números ao sistema.
Criado para servir de desafogo para o Pronto Atendimento 24 horas, o Terceiro Turno agora convive com o mesmo problema. Segundo o Secretário Municipal de Saúde, médico Ricardo Lannes Coirolo, as pessoas estão deixando de buscar atendimento nas Unidades Básicas, nos horários normais de atendimento, para tentar assistência no período da noite nas Unidades Brandão Júnior e Caic.
Por causa disso, o número de pessoas registrado nos últimos meses deu um salto gigantesco, praticamente dobrando a necessidade de atendimento se confrontado com novembro do ano passado e chegou a 40% a mais se comparado com dezembro de 2017.
A demanda aumentou, mas os pacientes atendidos não apresentavam necessidade de atendimento imediato. “As pessoas estavam procurando o Terceiro Turno, mas não apresentavam os sintomas necessários para exigir o atendimento proposto pelo Programa. No início, as equipes de enfermagem e médica atenderam as pessoas, porque estavam ainda sendo orientadas. No entanto, com o tempo, esse número aumentou e muitas pessoas, que realmente precisavam de atendimento, acabaram ficando sem assistência”, explica o Secretário.
Para evitar que a população, que realmente precisa de atendimento, seja prejudicada, a Secretaria Municipal de Saúde emitiu uma nota oficial informando quais os casos serão atendidos pelo Programa Terceiro Turno. Conforme a Coordenação, os pacientes precisam apresentar sintomas de febre, dor, náuseas ou vômitos, diarreia, tosses e, entre outras, sintomas que caracterizam doenças agudas, ou seja, sintomas de início abrupto ou insidioso.
Quando paciente precisa trocar de receitas, mostrar ou trocar exames, pedir exames de rotina, solicitar laudo para perícia, encaminhamento para especialistas e atestados, ele deverá procurar a Unidade Básica de Saúde em que é referenciado durante o horário normal de funcionamento, eis que não se trata de urgência ou emergência.
O Programa Terceiro Turno funciona nas Unidades Básicas de Saúde Brandão Júnior e Caic, das 18 às 22 horas, de segunda a sexta, com o objetivo de atender a população que necessita de atendimento de urgência e emergência, principal para combater doenças do aparelho respiratório, com maior incidência nos meses de outono e inverno.

Anúncios

POSTOS DEIXAM DE DISTRIBUIR FICHAS E PASSAM AGENDAR ATENDIMENTOS. NO DIA, SERÃO ATENDIDOS SOMENTE CASOS DE URGÊNCIA.

coirolo - blog

Secretário de Saúde, médico Ricardo Coirolo

A Secretaria Municipal de Saúde de São Gabriel informou no começo da tarde de quinta-feira (29/03) que entrou em funcionamento um novo sistema de atendimento aos usuários da Rede Básica de Saúde da cidade. Conforme o Secretário de Saúde do município, médico Ricardo Lannes Coirolo, desde segunda-feira (26/03) as consultas estão sendo organizadas em forma de agendamento, ação que foi implantada com o objetivo de evitar que pacientes permaneçam as noites nos postos de saúde.
Sem saber do novo sistema, algumas pessoas foram flagradas durante a madrugada em alguns postos de saúde. Uma foto, tirada na madrugada de quinta-feira, mostra pessoas dormindo em frente a Pronto Atendimento Médico (PAM), unidade que funciona no centro de São Gabriel, e que, até a semana anterior, distribuía fichas na quinta para atendimento na sexta.
A fórmula, antiga, de distribuição de fichas foi revogada. Agora, independente do dia, o paciente poderá ir a unidade que é referenciado e solicitar agendamento e, isso, poderá ser feito a qualquer momento do dia, dentro do horário de funcionamento da Unidade Básica.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, não há necessidade de pernoitar nos postos, “pois o atendimento, de todos os usuários, será agendado e distribuído para os dias seguintes, conforme a ordem de distribuição, inscrição e de acordo com o número de atendimentos que cada profissional da saúde pode efetuar diariamente”, explica a coordenadora da SMS, Cleci Baldissera.
Segundo ela, a pessoa que solicitar atendimento médico, deverá passar por uma avaliação, que na prática serve de triagem, onde são incluídos na lista de agendamento os pacientes que não necessitam de atenção imediato e encaminhados para atendimento, no mesmo dia, as pessoas que apresentarem quadro de urgência.
Cleci garante que nenhum paciente que precisar de atendimento imediato ficará sem assistência. “Com certeza, se não for atendido numa Unidade, será encaminhado para outra”, argumenta.

URGÊNCIA
Levantamento feito pela coordenação da Secretaria Municipal de Saúde revelou que pessoas passavam a noite na fila para buscar atendimento que não era de urgência, como é o caso de mulheres que buscavam assistência ginecológica.
“A maioria das mulheres visita o ginecologista uma ou duas vezes ao ano. Não há necessidade de passar a noite num posto de saúde. Com o agendamento, a Secretaria vai definir o dia e hora exata para o atendimento e esse agendamento pode ser feito na Unidade Básica a qualquer horário do dia, sem necessidade de passar a noite numa fila”, explica o secretário.
Ninguém ficará sem atendimento. “Mas sabemos que existem os casos de urgência, onde o paciente vai precisar do atendimento no mesmo dia. Nesse caso, a pessoa também pode ficar tranquila, pois será atendida. Ela passará pela avaliação de profissionais responsáveis por uma triagem e, se realmente for caso de atendimento imediato, ela será encaminhada para um médico especialista”, complementou.
A Secretaria Municipal de Saúde estuda a possibilidade de direcionar para a Unidade Básica de Saúde Brandão Júnior todos os atendimentos de urgência. No entanto, o paciente deverá procurar, inicialmente, a unidade onde é referenciado.

INFORMATIZAÇÃO
O paciente que for incluído numa lista de espera e desistir, deverá informar a decisão à Secretaria Municipal de Saúde para haja uma nova reclassificação.
Nos próximos meses, os serviços da Saúde estarão informatizados e facilitarão o acesso ao usuário. Além de dinamizar o trabalho dos atendentes, o sistema evitará abusos, como em casos confirmados de pacientes que consultavam duas ou mais vezes e, em todas as oportunidades, retiravam medicamentos desnecessariamente. Nestes casos, ao ser digitado o nome do paciente, aparecerá todo o seu histórico, independente do local onde foi atendimento, revelando se foi ou não prescrito e retirado medicamento na Farmácia Central. O controle será bem mais rigoroso.
A Secretaria Municipal de Saúde também implantará um sistema de aviso por SMS. As mensagens, inicialmente, serão encaminhadas para pacientes que necessitam de agendamento para viagens, com informações de dia e hora das consultas fora de São Gabriel.
A ideia é ampliar essa forma de atendimento, possibilitando que outros setores possam interagir com o pacientes sem que haja a necessidade da pessoa ter que se deslocar até a Unidade Básica de Saúde. No entanto, estes serviços ainda dependem da implantação completa do sistema de informatização.

CRIANÇA BATE COM A CABEÇA EM QUEDA NA ESCOLA, MAS NEUROLOGISTA PLANTONISTA NÃO “APARECE” NA SANTA CASA.

WhatsApp Image 2018-03-23 at 12.25.57

Uma mãe registrou na Delegacia de Polícia, na noite de quinta-feira (22/03), a falta de atendimento especializado no Hospital de Santa Casa de Caridade e, na visão dela, descaso com os pacientes provocado pela falta de um profissional no plantão. Apesar de constar na relação de plantonistas do Pronto Atendimento, o médico neurologista – que deveria atender os casos de urgência – não compareceu ao PA e nem atendeu os telefonemas feitos para administração do setor.
A menina Júlia Ribeiro Alves, de 8 anos, caiu e bateu a cabeça quando brincava no recreio durante o horário de aula no Instituto de Educação Menna Barreto. Ele foi socorrido, entregue aos pais, mas depois começou a se sentir mal.
A mãe dela, Alessandra Pacheco Ribeiro, de 27 anos, permaneceu com a filha em observação, na quinta-feira, das 11 até as 17 horas no ambulatório do Hospital de Santa Casa aguardando avaliação do médico neurologista. Depois deste período, com a filha vomitando, sentindo dores de cabeça e com muita sonolência, ela resolveu chamar a atenção da administração do setor.
Não adiantou, porque o profissional ainda não havia respondido aos chamados. Sem alternativa, ela registrou o caso na Delegacia de Polícia.
A menina foi internada somente no começo da tarde desta sexta-feira (24/03) e encaminhada à pediatria. Até as 16 horas de hoje, ela ainda não havia passado pela avaliação do neurologista.
“Estou preocupada, porque ela reclama que a visão está embaçada do lado que bateu. Eu não sei mais o que fazer”, disse a mãe.
Sem generalizar. A mãe disse que foi muito bem atendida pela enfermagem e pelo outro médico plantonista. “O problema mesmo foi o neurologista”, exatamente o que ela mais precisava.

EQUIPE DO HOME CARE FAZ CAMPANHA PARA ARRECADAR FUNDOS PARA TRATAMENTO DE VITOR.

vitor

A equipe de enfermagem, responsável pelo Home Care de uma criança com a Atrofia Muscular Espinhal (Ame), vai bem mais além do trabalho de cuidados com a saúde dedicados no dia a dia do paciente. As técnicas em enfermagem Tuanny Brito, Charlene Ramiro, Thayna Bonilha e Júlia Portinho estão à frente de uma campanha que busca arrecadar recursos para a aquisição de banheira, colete e cadeira de rodas para o menino Vitor Ferreira Rodrigues, diagnosticado com AME Tipo 1 desde os primeiros dias de vida. Hoje, ele vive na casa da família, em um quarto de UTI construído em 2016 pela Prefeitura de São Gabriel, no Bairro Bom Fim.
A manutenção do Home Care é garantida pelo Estado e Município, que, juntos, destinam R$ 66 mil por mês para o tratamento da criança. Dois eventos – um jantar beneficente e uma rifa – estão mobilizando a comunidade gabrielense para juntar dinheiro para a substituição da banheira, do colete e da cadeira. “Ele cresceu e precisamos substituir”, explica a mãe, Ana Paula Ferreira Rodrigues.

mãe do vior

Ana Paula, mãe do Vitor

A rifa de uma torta, doada por Luciana Kruger, está sendo vendida por R$ 2 o número. O sorteio acontecerá no dia 12 de maio, durante o jantar beneficente que acontecerá no CTG Lenço Branco do Bom Fim, a partir das 20 horas. Os convites estão sendo vendidos por R$ 15. Quem quiser ajudar, pode entrar em contato com os organizadores pelo telefone 99684.9597.
A Atrofia Muscular Espinhal (Ame) é rara, porém, severa. Ela afeta um a cada 10 mil bebês e, conforme a Associação Brasileira de Amiotrofia Espinhal (Abrame), há cerca de 8 mil casos confirmados no Brasil. A possibilidade de tratar esse problema é recente e traz esperança às famílias que com ele convivem.
Em São Gabriel, o caso mais conhecido é da menina Aisha. A família dela vem desenvolvendo campanhas em redes sociais e eventos para arrecadar dinheiro para a aquisição da medicação necessário para o tratamento da doença. O tratamento completo é estimado em mais de R$ 3 milhões.
A família de Vitor também sonha com a aquisição dos medicamentos, mas reconhece que o valor é muito alto e de difícil acesso.
“Hoje, priorizamos a qualidade de vida do Vitor. Estamos realizando essa campanha para arrecadar dinheiro para a aquisição de uma banheira, uma cadeira e um colete, e ainda um tablet, porque ele gosta de assistir desenhos… São valores altos para a gente, mas com a campanha nos vamos conseguir arrecadar. Nós estamos pedindo um valor para melhorar a qualidade de vida do Vitor agora. Ele está bem e só vai no hospital para trocar a traqueo”, argumentou a mãe.
Segundo ela, com o Home Care, a criança adquiriu a liberdade de estar em casa. “É bem melhor que estar em uma UTI. Aqui, ele tem visitas e a companhia da família. Com certeza, tem muito mais qualidade de vida”, finalizou.

SECRETÁRIO QUER NORMATIZAR ATENDIMENTO NAS UBS ESTABELECENDO QUATRO CONSULTAS POR HORA.

coirolo - assessoria juridica

Reunião aconteceu na Secretaria de Saúde com a presença do delegado do Sindicato, em São Gabriel, Arlindo Vargas e do Advogado do Sindicato, Conrado Vieira Genio

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Gabriel quer normatizar o atendimento ambulatorial no Município e, para isso, vem discutindo a forma legal de implantar um número máximo de atendimento por hora em Unidades Básicas de Saúde e Pronto Atendimento. Uma resolução do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Rio Grande do Sul diz que devem ser atendidos até quatro pacientes por hora, mas isso precisa ser colocado no papel para se tornar efetivo em São Gabriel. Pelo menos, é o que pensa o Secretário Municipal de Saúde, médico Ricardo Lannes Coirolo, que pediu um parecer técnico à assessoria jurídica do Sindicato Médico do RS.
O tema foi discutido com o advogado Conrado Vieira Genio, do Departamento Jurídico do Sindicato Médico RS, em reunião que aconteceu na última quinta-feira (15/03), na Secretaria Municipal de Saúde, com a participação do delegado do Sindicato em São Gabriel, médico Arlindo Vargas.
“O atendimento é feito regularmente, mas queremos fazer adequações no número de consultas. A discussão com o Sindicato é exatamente essa: ver as questões legais para que a Secretaria possa dar mais qualidade aos pacientes e tranqüilidade aos profissionais”, avalia o Secretário.
Hoje, conforme os contratos de alguns profissionais da Saúde, o número de atendimento diário pode chegar a 24 pacientes, dependendo da especialização. São médicos que trabalham 30 horas semanais.
Como isso já acontece, em algumas especializações, a medida da Secretaria de Saúde visa normatizar, tornando o número máximo de atendimentos padrão para todos os profissionais.
“Quero colocar tudo no preto e no branco, para que a comunidade não saia prejudicada e os profissionais fiquem cobertos com a garantia que estão atendendo o número correto de pacientes”, finalizou.
Uma nova reunião, para apresentação da nota técnica do Departamento Jurídico, deverá acontecer nos próximos dias. A data ainda será definida.

O que proporcionará a resolução?
O limite do número de consultas evita uma sobrecarga para os médicos nas Unidades Básicas de Saúde e desse jeito dá melhores condições para o profissional avaliar o paciente.
A população carente é que será beneficiada com a medida. Vai melhorar a qualidade do atendimento e, com essa mudança, a Secretaria de Saúde dá condições mínimas para o médico trabalhar de forma justa e humana.

SAÚDE INVESTE EM MELHORES CONDIÇÕES DE TRANSPORTE E ESTRUTURAÇÃO DA UBS BRANDÃO JÚNIOR.

coirolo - blog

Secretário Ricardo Lannes Coirolo

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) recebeu R$ 2 milhões e meio de um total de R$ 4 milhões e 400 mil referentes a dívidas de programas que o Estado tinha com o Município desde 2016. A maioria das ações foi mantida, neste período, com recursos próprios do caixa da Prefeitura.
Os valores serão aplicados em reformas do prédio da Unidade Básica Brandão Júnior, aquisição de novos veículos e pagamento de dívidas, incluindo dívidas da gestão passada. Segundo o Secretário de Saúde, médico Ricardo Lannes Coirolo, a Secretaria vai honrar todos os compromissos, mesmo os que foram assumidos pela administração anterior. A meta é garantir comodidade, segurança e tranqüilidade para os usuários dos serviços oferecidos pela pasta. Para isso, a Secretara deverá anunciar, nos próximos dias, a aquisição de um nova microônibus, avaliado em cerca de R$ 300 mil.
O veículo será utilizado para o transporte de pacientes que necessitam de atendimento em hospitais de Porto Alegre e Uruguaiana. A Saúde passará a ter dois microônibus e vans para esse tipo de apoio.
A Secretaria de Saúde também está licitando a compra de um veículo pequeno (com sete lugares) e uma van, está última com recursos provenientes de emenda parlamentar.
A estrutura de atendimento ao público na Unidade Básica de Saúde Brandão Júnior também será alterada. As reformas devem começar de imediato, com a adequação de uma área de 450 m2, na parte frontal da UBS, visando o benefício de 5 mil pessoas assistidas pelos ESF 14 e 15.
“Essas pessoas, que já são atendidas na UBS, serão encaminhadas para esse novo ambiente, que lhes proporcionará mais comodidade e um atendimento bem mais humano. São investimentos que retornam para o contribuinte. É o dinheiro do contribuinte retornando para o cidadão. É o dinheiro dos impostos sendo usado em benefício das pessoas”, argumentou.
O pagamento de R$ 133,4 milhões às prefeituras gaúchas para cobrir a dívida do Estado com o atendimento à saúde começou no final de fevereiro. O valor é relativo aos débitos empenhados de 2015 a 2017. Para a região, o Estado depositou na conta de 36 prefeituras, um total de R$ 18,2 milhões. Os municípios também receberam um total de R$ 42,8 milhões, referente à competência de janeiro deste ano. O secretário de Saúde de São Gabriel, médico Ricardo Coirolo, ainda afirmou que, através de liminar, o Município de São Gabriel assegurou que o Estado mantenha em dia os repasses referentes ao mês anterior. Segundo ele, o Estado está cumprindo. Os repasses são para cobrir os gastos com programas como o Saúde da Família, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e para a compra de medicamentos básicos.

SECRETARIA DE SAÚDE VAI INAUGURAR AMBULATÓRIO PARA ATENDER GESTANTES DE RISCO.

ricardo coirolo - ambulatorio

A Secretaria Municipal de Saúde de São Gabriel vai inaugurar, ainda no mês de março, um ambulatório planejado para atender mulheres com quadro de gestação de risco e, ainda, bebês em situação de risco, incluindo os que já são assistidos pelo programa Criança de Risco, que atualmente funciona no Posto de Saúde Central, em frente ao Hospital de Santa Casa de Caridade.
O novo programa recebeu o nome de Ambulatório de Risco e vai funcionar em sede própria, adaptada para este tipo de atendimento, na Rua Coronel Sezefredo, próximo à sede do Banco do Brasil. No local, a Secretaria de Saúde vai ter pediatra, obstétra, assistente social, nutricionista, ginecologista, psicóloga, técnico em enfermagem e enfermeiros.
Segundo o Secretário Municipal de Saúde, médico Ricardo Lannes Coirolo, o ambulatório foi criado com o objetivo de dar para a população um atendimento efetivo e mais humanizado para gestantes e crianças.
“A mortalidade infantil é algo que nos preocupa. Hoje, a 10ª Coordenadoria, com 11 municípios, tem o índice mais alto do Rio Grande do Sul. E São Gabriel não fica atrás”, comenta o Secretário.
Em 2017, o Município registrou nove mortes em 12 meses. A meta da Secretaria, este ano, é reduzir este índice. “Por isso, a atenção especial para estas gestantes e seus bebês. É de vida que estamos falando. O Município tem um Comitê que investiga os óbitos infantis. Estamos muito preocupados com os números que vem se mostrando em São Gabriel, muitos deles, de consultórios particulares, onde não temos nenhuma ingerência. No entanto, sabemos que alguns óbitos são de pacientes que consultam na rede pública”, argumentou.
São estes números que as equipes que atuarão no Ambulatório de Risco vão combater com a proposta de reduzir ao máximo.
“Queremos tornar a gestação tranqüila para a mãe que está esperando bebê e, quando necessário, acompanhar o desenvolvimento no primeiro ano de vida. Hoje, a Secretaria de Saúde tem crianças, que faziam parte do Programa Criança de Risco, que continuam sendo assistidas mesmo depois do primeiro ano”, finalizou.

  • Veja A Notícia OnLine no FACEBOOK