COMANDO DA BM LANÇA PATRULHA FEMININA PARA COMBATER CRIMES DE ASSÉDIO NAS RUAS.

POSSATI E ROCHELLY 2

PATRULHA FEMININA: Contato com o comércio

Uma nova visão de policiamento, com mais policiais nas ruas, mais viaturas e com praticamente os mesmos recursos humanos. A metodologia de trabalho do Comando Administrativo da Brigada Militar tem dado resultado em São Gabriel, onde, nos últimos meses, o número de prisões e apreensões aumentou consideravelmente. Na maioria dos casos, o trabalho é desenvolvido através de uma “parceria”, onde a comunidade interage com o Esquadrão, denunciando os casos, e a polícia age de forma rápida e enérgica, ampliando o poder de resposta para o cidadão. O resultado disso tudo, é mais segurança.
O Comando da Brigada Militar vai ampliar essa sensação de segurança nas ruas de São Gabriel. Na última sexta-feira (08/06), o comandante administrativo do Esquadrão de São Gabriel, tenente Adriano Veras, anunciou o lançamento de uma patrulha responsável por combater crimes de assédio nas ruas da cidade. Duas mulheres – as soldados Rochelly Bonilha e Taiane Possati – irão trabalhar em dupla na área central. “O objetivo é combater crimes de assédio, pois temos constantes reclamações em nossa página”, explica o tenente.

POSSATI E ROCHELLY

Patrulha no centro: Soldados Possati e Rochelly

Elas também reforçarão as ações da Operação Visibilidade, onde a presença do policiamento inibe a ações de crimes contra o comércio e amplia a fiscalização no trânsito, como estacionamentos e abordagens na área da praça.
De acordo com o comando, o policiamento feminino irá atuar, em dupla, de segunda a sexta, das da 9 às 17 horas.
Entre as medidas adotadas pela Brigada Militar para agilizar o atendimento e ampliar o tempo de resposta a cada ocorrência está a formação de um grupo de WhatsApp do comércio com ligação direta com a patrulha feminina. “Acredito que fará bem ao nosso Município, além de ser uma atividade pioneira na Brigada Militar”, ressaltou Adriano Veras.

CRIMES DE ASSÉDIO
Na semana passada, uma ocorrência chamou atenção. Uma policial feminina abordou um grupo de homens no centro da praça. E poucos segundos, outros policiais atenderam ao chamado. De acordo com a policial Rochelly Bonilha, uma jovem se sentiu ofendida ao ser assediada pelos elementos. A Brigada Militar abordou o grupo, identificou todos os integrantes e determinou que deixassem o local. Como não houve flagrante e eles alegaram que estavam “brincando”, também não houve prisão. Mas nem sempre é assim.
São assovios, comentários de viés sexual, olhares e até mesmo contato indesejado. Essas são situações cotidianas pelas quais as mulheres passam ao caminhar na rua, andar em transporte público e mesmo em ambientes de trabalho. Essas cantadas e investidas indesejadas também são uma forma de assédio sexual praticada pelos homens contra mulheres em espaços públicos.

POSSATI E ROCHELLY 3

Atuação na área central. Diálogo com os comerciantes. Na fotos, as policiais na empresa Porto Lanches, no Calçadão de São Gabriel

Um levantamento do projeto Think Olga com 7.762 mulheres constatou que 99,6% das entrevistadas já foram assediadas. Cerca de 98% delas relatou que a cantada ocorreu na rua, e 64%, no transporte público. Para 83%, a situação é desagradável.
Por vezes, esse comportamento é minimizado e confundido com elogio. Contudo, a pesquisadora Tânia Fontenele, do Instituto de Pesquisa Aplicada da Mulher (Ipam), explica que essa noção é falaciosa. “Não podemos achar que isso é natural ou que esse tipo de comportamento seja elogioso, pois é absolutamente vazio. O que acontece é uma perpetuação de preconceitos machistas, o indivíduo se sente no direito de fazer o que quiser.”
Além disso, essa postura pode trazer consequências na saúde física e emocional das mulheres, como ansiedade, depressão, perda ou ganho de peso, dores de cabeça, estresse e distúrbios do sono. Mas também há efeitos práticos. Segundo a pesquisa do Think Olga, 81% das mulheres mudam a rotina por medo do assédio.
Essas investidas indesejadas são tipificadas como crime pela Constituição. Em geral, enquadram-se como importunação ofensiva ao pudor. Esses casos se referem ao assédio verbal, ou seja, cantadas e ameaças, e os autores são multados em casos de condenação.
As mulheres podem recorrer às delegacias para registrar o boletim de ocorrência contra os agressores. A Defensoria Pública orienta que as vítimas procurem os policiais militares imediatamente. Para que os agentes consigam identificar os autores do assédio, é importante descrever as características físicas e as roupas usadas por ele.

Anúncios

CAÇADORES ENCONTRAM OSSADA HUMANA EM CAMPO PRÓXIMO AO RIO VACACAÍ, NA BR-290.

ossada 1

Uma ossada humana foi encontrada em um campo localizado próximo ao Rio Vacacaí, na BR-290, na tarde desta terça-feira (05/06). Os restos mortais foram achados por dois homens que caçavam no local.
Segundo a Polícia Civil, os jovens comunicaram o fato a um tenente da Brigada Militar (patrão da mãe deles), que repassou o caso ao esquadrão da cidade.
Os restos mortais estavam no meio da vegetação, num local de difícil acesso, a cerca de 200 metros da BR-290. Junto com a ossada, estavam roupas e um rádio portátil.
A Polícia Civil iniciou as investigações para apurar a causa da morte. Não foi possível identificar se o corpo era de homem ou mulher, mas tudo indica se tratar de uma pessoa do sexo masculino.

POLÍCIA CIVIL NÃO DESCARTA QUE PACOTES APREENDIDOS FAÇAM PARTE DE CARGA ROUBADA.

cigarros

A apreensão de 97 maços de cigarros em uma operação policial de combate ao tráfico de drogas pode levar a algo maior. Como têm ocorrido furtos de cargas na BR-290 e há informações de casos ocorridos em outros municípios, a Polícia Civil de São Gabriel ampliou as investigações envolvendo a prisão de dois elementos na tarde de quinta-feira. Os policiais querem saber a procedência dos produtos.
O material foi apreendido junto outros objetivos encontrados na casa de responsabilidade de Luis Ricardo Menezes Alves, conhecido pelo apelido de Guigo, na Rua Maurício Cardoso, no Bairro São Clemente.

AÇÃO POLICIAL ELIMINA MAIS UM PONTO DE TRÁFICO NO BAIRRO SÃO CLEMENTE.

prisão de luis ricardo e crisvando

Envolvidos no tráfico: Dupla foi preso na quinta-feira

Uma operação conjunta da Polícia Civil com a PATAMO terminou com a prisão de dois elementos e apreensão de uma adolescente de 17 anos. A ação aconteceu no começo da tarde de quinta-feira (07/06), na zona norte de São Gabriel. Foram presos em flagrante os elementos Luis Ricardo Menezes Alves, conhecido pelo apelido de Guigo, e Crisvando dos Santos Specht, vulgo Alemão, ambos de 21 anos. Uma menina – que estava na residência – também atuava no tráfico e, apesar de menor, é apontada como uma das responsáveis pela “boca de fumo”.

Luis Ricardo

Luis Ricardo (Guigo)

As prisões chamaram a atenção de quem mora Rua Maurício Cardoso, no Bairro São Clemente, mas não surpreendeu os moradores. Afinal de contas, no bairro, nos últimos meses, foram cinco prisões relacionadas ao tráfico.
Conforme a Polícia Civil, o local vinha sendo observado há alguns meses. “Estávamos colhendo material para embasar um Pedido de Busca e Apreensão e prisão dos envolvidos com o tráfico. No entanto, nesta quinta, colegas da Brigada Militar flagraram uma ação no local e derrubaram o esquema praticado pelo trio”, argumentou o policial.
Uma equipe da PATAMO flagrou Luis Ricardo e a adolescente comercializando a droga em frente à residência e, durante abordagem, localizou no interior da casa uma porção de crack junto a um prato. Ao lado, plásticos e outros objetos usados para preparar o produto para venda. Com Luis Ricardo, os policiais também encontraram maconha escondida na roupa.
Crisvando foi preso no interior da casa. Ele seria o segurança da “boca de fumo” e portava um revólver calibre 38, furtado em fevereiro deste ano no interior de São Gabriel.

Crisvando

Crisvando (Alemão)

APREENSÕES – Os policiais apreenderam as drogas, R$ 796,15; quatro munições de calibre 32; um relógio marca Quartz; 97 maços de cigarros marca Hilton; anotações; oito telefones celulares; um rolo de papel alumínio; e uma gillete.
Segundo as investigações, os pacotes de cigarros apreendidos foram recebidos como pagamento pela droga que era vendida no local e renderiam aos proprietários da “boca” mais de R$ 7 mil.
Luis Ricardo e Crisvando não são naturais de São Gabriel e residiam no local há alguns meses. Os dois foram encaminhados para o Presídio Estadual. A adolescente foi entregue pela Polícia Civil ao Ministério Público, que deverá deliberar se determina, ou não, o seu encaminhamento a FASE – Fundação de Atendimento Sócio-Educativo.

FLAGRADOS: LADRÕES FURTAM OBJETOS DO CEMITÉRIO DA SANTA CASA. LEVARAM ATÉ A CÂMERA DE SEGURANÇA.

fuminho

“Fuminho” aparece nas imagens da câmera

 

Dois elementos foram presos pela Brigada Militar quando transitavam em via pública carregando uma caixa d’ água. O fato aconteceu por volta de meia noite e 30 minutos de quarta-feira (06/06), na Rua Mimosa Salgado, no Bairro Cidade Nova. De acordo com a polícia, trata-se de Rodrigo Vieira Cabral e Lucas Adriano Acosta Guedes, conhecido pelo apelido de “Fuminho”.
Um deles tentou argumentar que o objeto pertencia a sua mãe. Não deu certo, pois a mãe negou a propriedade. Diante da situação, eles acabaram confessando que haviam furtado a caixa do interior do Cemitério da Irmandade da Santa Casa de Caridade.
E essa não é a pior parte da história. Uma câmera de vigilância, que deveria servir para inibir o ataque de marginais, acabou flagrando o elemento Lucas Adriano (Fuminho) caminhando entre os túmulos do cemitério. Em uma das imagens, ele aparece carregando uma escada e, na sequência, desligando a vigilância, arrancando a câmera e furtando o aparelho. Na mesma noite, a administração do cemitério identificou outros furtos e depredação. A dupla foi presa em flagrante.
Em menos de seis meses, o cemitério foi três vezes invadido, com os invasores causando destruição e furtos. Em janeiro deste ano, o Cemitério já havia sido alvo de vândalos. A provedoria, na época, não confirmou oficialmente o número de túmulos depredados, mas, pelo menos, sete jazigos foram danificados e tiveram portas e vidros quebrados.
O registro foi feito na Delegacia de Polícia pela família Lima Pereira. Segundo Valdoir Pereira, de 58 anos, os vândalos quebraram uma porta de vidro temperado que dá acesso a capela e furtaram do interior um banco, duas taças do Internacional e um vaso comum. A família contabilizou um prejuízo em torno de R$ 850.
A reportagem verificou outros seis jazigos atacados. Em todos os casos, não houve registro de furto de objetos de valor, apenas depredação.
Valdoir Pereira denunciou que, nesta ação, cerca de 100 túmulos haviam sido depredados, número que não foi confirmado pela Provedoria da Santa Casa. O então provedor Marcos Góes disse que o número era bem menor e que a instituição estava fazendo um levantamento da situação.
Depois disso, a Irmandade da Santa Casa de Caridade colocou câmeras de segurança no interior do cemitério com o objetivo de coibir as ações de marginais. Não adiantou.
Há dois meses, houve um novo ataque, com pouca repercussão, mas ganhou destaque nas palavras dos vereadores Vagner Aloy e Flávia Batista, que anunciaram uma reunião com a direção do Hospital, alegando que é necessário ampliar a segurança do local. Segundo Vagner Aloy, o Poder Legislativo vai cobrar que a Provedoria adote novas medidas, mas também se colocará a disposição para auxiliar.
Há três anos, algo semelhante já havia acontecido. Na época, o ataque foi feito por ladrões, que deixaram o cemitério carregando uma porta de alumínio estimada em R$ 19 mil.

MAIS SEGURANÇA: POLICIAMENTO FEMININO REFORÇA AÇÕES NA ÁREA CENTRAL DA CIDADE.

POLICIAMENTO FEMININO 2

Abordagens reforçam sensação de segurança no centro

O policiamento no centro de São Gabriel – principalmente nos horários de comércio e de maior fluxo nas agências bancárias – tem recebido reforço de contingente. O resultado tem sido positivo. Além das abordagens em casos que envolvem atitudes suspeitas, os policiais estão presentes e agem no momento exato das ocorrências. A informação é do comandante administrativo da Brigada Militar, tenente Adriano Veras.
Uma nova medida, anunciada pelo comando administrativo do Esquadrão no mês passado, permitiu que a Brigada Militar ampliasse a área de cobertura, dentro da cidade, utilizando o mesmo número de policiais, mas com veículos circulando diariamente em todos os pontos, principalmente nas regiões mais problemáticas e com maior incidência de ocorrências.
As medidas só foram possíveis após a adoção de um novo regime de escala, permitindo que, no mínimo, seis veículos e 12 policiais militares possam estar nas ruas a cada turno.
Na área da Praça Dr. Fernando Abbott, a alteração é visível aos olhos da população. Além de haver, com frequência, uma viatura estacionada nas proximidades da Agência do Banrisul, o comando disponibilizou dois policiais para o policiamento a pé. A curiosidade, é que os PMs são mulheres e são elas que estão fazendo a diferença quando o objetivo é manter a tranquilidade próximo aos pontos de comércio da cidade.
O bom desempenho do trabalho depende da interação da comunidade com o policial. Na maioria dos casos, uma denúncia evita um crime ou elimina pontos de conflito.
No começo da tarde de segunda-feira, a soldado Rochelly Bonilha – com apoio dos colegas de policiamento – abordou um grupo de elementos que estavam perturbando o trânsito de pessoas na Praça Dr. Fernando.
A ação até parece normal, mas influencia diretamente na tranquilidade das pessoas, pois demonstra que a Brigada Militar está presente e ativa.
“Uma moça avisou que toda vez que passava pelo local, onde abordamos aquele pessoal, eles ficavam falando piadinha e tal. Fomos até a praça, abordamos e identificamos todos. Depois orientamos que o grupo fosse disperso… Depois, eles retornaram, pois não temos como impedir eles de ficarem no local. Mas estamos sempre atentos”, comentou.
Na manhã desta quarta-feira (06/06), a soldado Taiane Possati foi responsável pela prisão de uma mulher que estava efetuando furtos em uma drogaria e um supermercado.
“O gerente viu pelas câmeras ela furtando. Quando ela saiu da farmácia, ele foi atrás e notou que a acusada tinha entrado num supermercado e informou os seguranças sobre o ocorrido. Eles ficaram cuidando a acusada pelas câmeras e quando ela tentou sair, foi abordada”, explica a policial.
“Mas ela não aceitou e entrou em luta corporal. Eu ouvi os gritos e fui até o local, onde prendi ela em flagrante”, complementou.
A mulher foi identificada como sendo Julieta Lemos de Oliveira. Na bolsa dela, a soldado encontrou bebidas, carne, frios, doces, shampoo e creme.
Julieta foi encaminhada para a Delegacia de Polícia e depois para o Presídio Estadual. A mulher tem vários antecedentes e, na semana passada, já havia furtado chocolates do interior de outro supermercado.

 

DUAS MULHERES SÃO PRESAS POR TRÁFICO DE DROGAS NA ZONA SUL.

tráfico de drogas Ana Gabriele

A Polícia Civil – numa ação conjunta com a PATAMO – prendeu no começo da noite de terça-feira (05/06), na zona sul da cidade, uma mulher acusada de se beneficiar do comércio ilegal de drogas. A prisão aconteceu na Rua São José, por volta de 19 horas, no Bairro Élbio Vargas (João de Barro). Segundo os policiais, Ana Gabriele Moreira Machado vinha sendo investida há alguns meses por envolvimento com o tráfico e, por causa disso, os agentes mantinham, próximo ao local da residência, um ponto de vigilância.
Outra mulher, identificada como sendo Celina de Mello Samboray, foi presa na área central de São Gabriel, próximo ao Supermercado Rede Vivo. Celina foi abordada pelos policiais quando recebia de um motociclista uma sacola contendo uma quantidade de maconha.
As prisões tem relação direta. Celina recebeu a droga que era encaminhada por Ana Gabriele. Além da quantidade apreendida com ela, os policiais encontraram na casa, no Bairro Élbio Vargas, outra parte restante da droga, escondida no forro da residência e em um roupeiro. As duas mulheres foram presas em flagrante e encaminhadas para o Presídio Estadual.