GRUPO DE APOIO A POLÍCIA PRECISA DE DOAÇÕES PARA MANTER OBRAS DE REESTRUTURAÇÃO DO PRÉDIO DA DELEGACIA.

reforma delegacia

A Polícia Civil de São Gabriel iniciou, no começo deste ano, um processo de reestruturação do antigo prédio sede da Delegacia de Polícia. As reformas estão sendo realizadas com recursos do GAP (Grupo de Apoio Pró Polícia Civil), mas, com o caixa praticamente no vermelho. O tesoureiro é o policial da reserva, Comissário de Polícia Jorge Furtat, e ele destaca as dificuldades que o GAP tem encontrado para conseguir verbas, que em sua totalidade é resultado de doações feitas pela comunidade, grande parte feita por grupos empresariais da cidade.
Hoje está sendo substituído o telhado do prédio antigo. Os policiais trabalhavam, há anos, em péssimas condições e, em dias de chuva, algumas salas ficavam alagadas. Além de atrapalhar o serviço da polícia, as pessoas que necessitavam de atendimento também eram prejudicadas.
O GAP vai investir cerca de R$ 12 mil na reforma do telhado. “O valor está bem abaixo do custo real. O profissional que está realizado o trabalho, também se prontificou a fazer por um preço razoável, pois também está contribuindo com o GAP. No entanto, ainda não temos dinheiro para o pagamento de todas as benfeitorias”, explica Furtat.
O GAP divulgou, no começo desta semana, uma campanha de conscientização da comunidade para a importância da reestruturação dos ambientes onde são realizados os trabalhos de polícia. Uma conta, no Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), foi divulgada com o objetivo de proporcionar que a comunidade possa fazer doações espontâneas. A agência é 0390 e a conta corrente é 07.112274.0-1. “Basta informar ao caixa que vai depositar para o GAP da Polícia Civil. O recibo do depósito deverá ser apresentado pelo doador na Secretaria do GAP, na Rua João Manoel – 580, para fins de demonstrativo contábil”, argumenta o tesoureiro.
O GAP também lançou uma página no facebook (GAP – Grupo de Apoio Pró Polícia Civil), onde a comunidade poderá acompanhar, passo a passo, o trabalho de recuperação do prédio da DP.
Desde janeiro, já foram reformados o quarto dos plantonistas, banheiro e celas, e sala de plantão recebeu o telefone sem fio.

Anúncios

CAMINHONEIRO FICA PRESO NAS FERRAGENS EM ACIDENTE NA BR 290.

acidente na BR 290

O Corpo de Bombeiros de São Gabriel precisou de cerca de 30 minutos para retirar um homem (identificado como sendo Luis Pedro simões Vallejo, de 64 anos) das ferragens de uma caçamba, placas de São Gabriel, na tarde desta quarta-feira (11/04), na BR-290, entre São Gabriel e Rosário do Sul.
De acordo com os bombeiros, Luis Pedro dirigia o veículo no sentido São Gabriel – Rosário do Sul, quando nas proximidades da Bica, ele perdeu o controle da caçamba. Segundo informou, o pneu dianteiro estourou e, por causa disso, a caçamba ficou sem controle.
O caminhoneiro ainda conseguiu evitar um acidente mais grave. O veículo saiu da pista e bateu em uma árvore. Luis Pedro ficou preso nas ferragens, mas consciente.
Conforme a equipe de salvamento, foi necessário o uso de uma motosserra para retirar parte da árvore e, ainda, a utilização de um desencarcerador para cortar as ferragens e expandir o ferro.
A caçamba ficou completamente destruída. A vítima foi trazida para o Hospital de Santa Casa de Caridade de São Gabriel com cortes e fratura na perna e cortes na cabeça. Luis Pedro foi submetido a uma cirurgia no final da tarde e encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

DOIS SÃO PRESOS EM SÃO GABRIEL: LEI MUDA E AGORA “EX” QUE NÃO OBEDECE MEDIDAS RESTRITIVAS VAI PARA A CADEIA.

 

A Polícia Civil de São Gabriel prendeu no final da tarde desta segunda-feira (09/04), em operações realizadas no Bairro Medianeira e Vila Mariana, dois homens acusados de descumprir medidas protetivas determinadas pela Justiça. Foram presos, em casa, os elementos LBM, de 26 anos, acusado de ameaçar e agredir a ex-companheira, e FADF, de 50 anos, denunciado por ameaças e aproximação da ex-mulher. Eles foram presos e encaminhados para o Presídio Estadual de São Gabriel.
A lei mudou. E ficou bem mais rigorosa, com o objetivo de garantir a segurança das mulheres. O delegado de polícia José Soares Bastos disse que São Gabriel tem uma média extremamente alta de crimes de violência doméstica. O número de casos reincidentes, onde o homem é orientado a permanecer distante da vítima e não obedece, é ainda maior.
Acontece que ainda havia divergências nestes casos e, em alguns, como ainda não configurava crime, o “agressor” era mantido em liberdade. O Senado aprovou em março um projeto de lei que altera a Lei Maria da Penha a fim de criminalizar o descumprimento de medidas protetivas de urgência previstas na legislação. Pela proposta, a pessoa que descumprir uma medida estará sujeita à pena de detenção de três meses a dois anos. Entre as medidas protetivas previstas hoje pela Lei Maria da Penha, estão: afastamento do agressor do lar ou do local de convivência com a vítima; proibição ao agressor de se aproximar ou entrar em contato com a vítima, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação; proibição ao agressor de frequentar determinados lugares a fim de preservar a integridade física e psicológica da vítima.
Atualmente, a Lei Maria da Penha prevê que a autoridade policial poderá adotar as providências legais previstas em caso de descumprimento das medidas.
O projeto também prevê que o crime de descumprimento de medida protetiva estará configurado independentemente da competência civil ou criminal do juiz que estabeleceu a medida. Além disso, a conduta configurará crime independentemente de outras sanções que possam ser aplicadas ao agressor. O texto diz ainda que, na hipótese de prisão em flagrante, apenas a autoridade judicial poderá conceder fiança.
A aprovação da proposta aconteceu na véspera da data em que foi comemorado o Dia Internacional da Mulher e, por essa razão, o texto foi incluído na pauta do Senado. Sancionada pelo presidente, a lei foi publicada sem vetos no Diário Oficial da União de quarta-feira (04/04). Também foi aprovada lei que criminaliza a divulgação de mensagens misóginas pela internet.
RESPONSABILIDADE DA PF
A Lei 13.642/2018 (originada do PLC 186/2017) delega à Polícia Federal a atribuição de investigar crimes associados à divulgação de mensagens de conteúdo misógino (propagam ódio ou aversão às mulheres) pela internet. O projeto é da deputada federal Luizianne Lins (PT-CE) e altera a Lei 10.446/2002, sobre a atuação da Polícia Federal. O texto recebeu em Plenário parecer favorável da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).
Para a senadora, a investigação dos crimes relacionados à misoginia por meio da Internet deve ter máxima prioridade, principalmente pela rápida propagação das informações na rede. Além disso, ela considera que a PF, por ser uma força policial mais bem estruturada, conseguiria eficiência maior e celeridade nas investigações.
Ao atribuir a investigação desses crimes à Polícia Federal, o projeto, agora transformado em lei, tem o objetivo de coibir a ocorrência de casos como o da ativista feminista Lola Aronovich, professora de Literatura em Língua Inglesa na Universidade Federal do Ceará (UFC) e autora do blog Escreva Lola Escreva. Ela foi vítima de ataques e ameaças online há algum tempo, sem que a polícia conseguisse identificar os responsáveis.

DIVERGÊNCIAS
Como os juízes costumavam divergir em relação às medidas protetivas, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu pacificar esse entendimento concluindo que o descumprimento de medida protetiva não é conduta penal tipificada. Assim, seu descumprimento não caracterizaria crime de desobediência a ordem judicial. Isso impediria, na prática, a prisão em flagrante do agressor que, por exemplo, contrariasse decisão judicial para se manter distante da vítima.
A relatora do projeto que originou a lei, senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), explicou que, diante da situação, seria necessário aguardar “o acionamento e a atuação da nossa já sobrecarregada justiça para fazer cessar a conduta desobediente”. Vanessa considerou ser desejável que as situações de violência doméstica contra a mulher sejam “repreendidas com celeridade e veemência, sob pena de a demora ensejar violência ainda maior”.
Os PLC 186/2017 e 4/2016 foram aprovados pelo Senado no dia 7 de março, como parte da pauta apresentada pela bancada feminina ao presidente do Senado, Eunício Oliveira, por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

PRESO DO SEMIABERTO É IDENTIFICADO COMO AUTOR DE ASSALTO A CASA DO FUMO.

piolho identificado

Piolho (preso do semiaberto / foto arquivo A Notícia OnLine) cumpre pena por crimes semelhantes. Ele aparece (de óculos) nas filmagens assaltando a Casa do Fumo Pampeano

Se apresentou no final da tarde de ontem, no Presídio Estadual de São Gabriel, o elemento José Antônio Pereira Rodrigues, de 20 anos, conhecido vulgarmente por Nego ou Piolho. Ele foi reconhecido como autor do assalto registrado no final da manhã deste sábado (07/04), em um estabelecimento comercial na zona oeste da cidade. O assaltante cumpre pena no regime semiaberto. Resumo: é preso. Tem que dormir no presídio, mas tem liberdade para fazer o que quiser durante o dia.
Piolho, o apelido tem muito a ver com a família. Ele e o irmão respondem pelo mesmo chamado: “piolho”. Os dois sempre estiveram envolvidos, desde jovens, em furtos e arrombamentos.
Ataque a pontos comerciais ou funcionários do comércio parece ter se tornando uma das modalidades preferidas por ele. Em 2016, o criminoso foi preso por integrantes da Brigada Militar e Polícia Civil, escondido no pátio de uma casa na Vila Militar do 6º BE Cmb, depois de ter assaltado uma funcionária das Lojas Pompeia.
A mulher levava um malote para o banco quando foi atacada pelo bandido. Na mesma prisão ficou confirmada a participação dele em outro roubo, dias antes, a uma funcionária das Lojas Obino. Ele foi reconhecido por testemunhas.
O reconhecimento, através de fotos, também permitiu que a vítima do assalto a Casa do Fumo Pampeano, localizada na Rua Francisco Hermenegildo, confirmasse ele como autor do crime.
O assalto aconteceu no final da manhã, mas o trabalho do Policiamento e das equipes do Setor de Inteligência da Brigada Militar possibilitou que o criminoso fosse reconhecido antes de se apresentar no Presídio Estadual.

A MESMA FORMA DE AGIR
O modo de agir é sempre o mesmo. Em 2016, Piolho fugiu levando cerca de R$ 9 mil. No caso das Lojas Pompeia, o valor não foi divulgado. Ele aproveita que a vítima está sozinha, independente de ser homem ou mulher, e sempre age sem parceria, sem demonstrar preocupação em esconder o rosto.
No assalto deste sábado, Piolho amarrou o atendente da Casa do Fumo Pampeano no interior de um banheiro e fugiu levando R$ 200 (o valor inicial anunciado era R$ 180), um aparelho de telefone celular e cerca 20 pacotes de cigarros.

OUTROS CRIMES
Piolho também foi preso em 2014 durante uma operação policial de combate ao tráfico de drogas. Na época, o setor de investigações informou que ele, e mais um comparsa, participavam de um esquema que constituía furtos e arrombamentos a residências. Tudo o que era arrecadado nas ações criminosas era usado como moeda de troca para a aquisição de droga em cidades vizinhas.
Antes desta prisão, Piolho já havia sido interno do Centro Apoio Sócio-Educacional de Santa Maria (Case-SM), onde ficou entre 2010 a janeiro de 2014. Além dos irmãos, que também já se envolveram em crimes, a mãe dele, Rosângela Terezinha Rodrigues Pereira, de apelido Capincha, também já foi flagrada jogando drogas para dentro do Presídio Estadual de São Gabriel.

APÓS SE ENTREGAR, LULA PASSARÁ A NOITE EM CURITIBA.

lula 3

Lula se entrega para a Polícia Federal

O ex-presidente Lula vai passar a noite deste sábado já na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde fará uma “refeição simples” no jantar, diz uma fonte da Polícia Federal à BBC Brasil.
O helicóptero da PF está a postos no aeroporto Afonso Pena para transportar Lula até o prédio da Superintendência assim que o ex-presidente chegar à cidade.
Oficiais da polícia ainda não sabem, no entanto, a hora exata em que Lula sairá de São Paulo. Após um discurso de 55 minutos, em que anunciou que iria cumprir o mandado de prisão expedido pelo juiz Sergio Moro, o ex-presidente permanecia no Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo.
“De cabeça erguida eu quero chegar lá e falar ao delegado, ‘estou à sua disposição’. (….) Sairei dessa maior, mais forte, mais verdadeiro e inocente porque quero provar que eles que cometeram um crime. Este pescoço aqui não baixa, vou de cabeça erguida e vou sair de peito estufado de lá”, discursou Lula.
Diante da Superintendência em Curitiba, enquanto isso, manifestantes contra e a favor do presidente começavam a se aglomerar e já há tensão entre os dois lados.
O prédio permanecerá fechado neste sábado. A sala onde Lula ficará preso era um dormitório utilizado para receber agentes de outros Estados e foi adaptada com uma cama de solteiro e uma mesa para recebê-lo. O espaço não tem grades, ar-condicionado, televisão, frigobar ou câmera interna de monitoramento.
Com 15 metros quadrados, a sala fica distante da carceragem da PF em Curitiba, onde estão presos outros réus da Lava Jato.
Segundo a PF, no entanto, a área externa da sala será monitora da a todo o momento.
Lula poderá receber a visita de seus advogados ainda no fim de semana, a pedido de Moro. Não é praxe, segundo policiais, permitir visitas nos fins de semana.

lula mobilização

Lula anuncia rendição após 40h e diz: “não adianta me parar”

Após mais de 40 horas de impasse, o ex-presidente Luiz Inácio da Silva anunciou sua rendição. Em um discurso inflamado em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP), o petista disse que o “sonho de consumo” dos que o acusam é vê-lo preso. “E vou atender ao mandado deles”, declarou.
Mantendo a mobilização iniciada na última quinta-feira (05/04), quando o juiz Sérgio Moro deu 24 horas de prazo para Lula se entregar, militantes do PT e de outros movimentos de esquerda cercaram o sindicato que servira de berço político para o ex-presidente.
O petista só deixou o interior do prédio por volta de 10h45 da manhã, para assistir, do alto de um palanque, a missa em memória da falecida ex-primeira-dama Marisa Letícia, que completaria 68 anos neste sábado (7). De camiseta azul e semblante tranquilo, Lula não falou durante toda a homilia, marcada pelo forte tom político e por gritos de “não se entrega” e “não à rendição”.
Mas, enfim, Lula falou. Ao lado da ex-presidente Dilma, dos candidatos ao Planalto Guilherme Boulos e Manuela D’Ávila e de outras lideranças petistas, o ex-mandatário reafirmou sua inocência e acusou a Polícia Federal, o Ministério Público e o juiz Moro de “mentirem” sobre a posse de um apartamento triplex no Guarujá (SP) que o levará à cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro.
“Nenhum deles tem coragem ou dorme com a consciência tranquila da honestidade e da inocência como eu durmo”, declarou Lula. O anúncio de sua rendição veio na parte final de seu discurso. “Eles decretaram minha prisão, e deixa eu contar uma coisa para vocês: eu vou atender ao mandado deles, e vou atender porque eu quero fazer a transferência de responsabilidade. Eles acham que tudo o que acontece neste país acontece por minha causa”, disse.
O ex-presidente acrescentou ainda que o Brasil possui “milhões de Lulas para andar por ele”. “Não adianta tentar acabar com minhas ideias, elas já estão pairando no ar, e não tem como prendê-las. Não adianta parar meu sonho, porque quando eu parar de sonhar, eu sonharei com a cabeça de vocês”, declarou.
Lula também afirmou que não vai “parar” porque ele não é mais um “ser humano”. “Eu sou uma ideia, eu sou uma ideia misturada com a ideia de vocês. Vocês não vão mais se chamar Chiquinha, Joãozinho, Zezinho, Albertinho. Todos vocês, daqui para frente, vão virar Lula e andar por este país. Eles têm de saber que a morte de um combatente não para a revolução”, salientou, evidenciando o tom messiânico de seu discurso.
“Esse pescoço aqui não baixa. Minha mãe já fez um pescoço curto para ele não baixar. Vou provar minha inocência”, concluiu. Ao fim do discurso, Lula saiu carregado pelos militantes.
inda não se sabe como se dará sua entrega, mas o ex-presidente cumprirá pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no “caso triplex”. A acusação diz que ele é proprietário de um apartamento no Guarujá que teria sido dado como forma de propina pela OAS, em troca de contratos com a Petrobras.
Com informações do Porta Terra

TERCEIRO ASSALTO: HOMEM ASSALTA A CASA DO FUMO.

IMG-20180407-WA0024

Um homem, ainda não identificado, assaltou uma empresa no final da manhã deste sábado (07/04), na zona oeste de São Gabriel. De acordo com a Brigada Militar, o elemento invadiu a empresa, roubou cerca de R$ 180 e antes de fugir amarrou o atendente no banheiro.
O roubo aconteceu às 11 horas, na Rua Franscisco Hermenegildo, na empresa Casa do Fumo. A vítima foi encontrada por uma cliente, que ao chegar no estabelecimento a avistou amarrada. A mesma mulher chamou a polícia.
A Brigada Militar realizou buscas em vários pontos da cidade. O criminoso (moreno e de óculos, como mostra a foto) não foi localizado.
Foi o terceiro assalto em menos de 30 dias. O primeiro aconteceu no Supermercado Bromberger, na primeira quinzena de março. O segundo foi registrado na semana passada, no centro da cidade, com duas idosas como vítima. Em todos os casos, os bandidos conseguiram fugir.

MICROEMPRESÁRIO ACUSA SEGURANÇAS DE AGRESSÕES EM EVENTO REALIZADO NA PRAÇA DR. FERNANDO ABBOTT.

Um microempresário registrou ocorrência policial contra funcionários de uma empresa que presta serviços de segurança em eventos. Adriano Leites Portinho, de 37 anos, alega que foi agredido pelos dois homens quando estava assistindo um show na Praça Dr. Fernando Abbott na noite de terça-feira, durante o feriado de aniversário de São Gabriel.
Fotos, tiradas pelo irmão dele, flagram um dos seguranças aplicando um golpe (gravata) e arrastando Adriano para fora da área reservada para os convidados, em frente ao palco.
O fotógrafo Romoaldo Portinho, que estava junto, também registrou ocorrência policial alegando ter recebido ameaças de morte dos seguranças. “Eles mandaram eu apagar as fotos e se eu não fizesse isso, eu iria morrer”, conta Portinho.
Adriano foi encaminhado para exames de corpo de delito com hematomas no pescoço e na parte das costas. “Foi uma situação humilhante, pois meu irmão não estava complicando com ninguém, estava apenas comemorando com a esposa, que estava junto e testemunhou todas as agressões”, argumentou o irmão.
Romoaldo Portinho disse estar preocupado com a repercussão dos fatos. “Meu irmão não é marginal. É um trabalhador que, talvez, tenha sido mal interpretado. No entanto, o profissional que trabalha com segurança tem que estar capacitado para exercer essa função. Em qualquer situação, a violência nunca pode ser a solução. Por isso, queremos justiça neste caso”, finalizou.
Em contato com a Secretaria de Turismo, pasta responsável pela organização dos eventos, a Secretária Municipal Juliana Medeiros de Carvalho informou que tinha conhecimento dos fatos. Segundo ela, Adriano foi retirado da área reservada porque estava embriagado e tentando subir no palco do evento.

  • Veja A Notícia OnLine no FACEBOOK