DESAVENÇA ENTRE VIZINHOS QUASE TERMINA EM MORTE.

BUIÃO
taxi floriano matériaA Polícia Civil prendeu no final da tarde desta sexta-feira (10/04), no Bairro Pomares – próximo a sede da Fepagro, o elemento Alberto Caetano do Nascimento Gomes, de 45 anos, conhecido vulgarmente pelo apelido de “Buião”. Ele é acusado de tentativa de homicídio.
Buião esfaqueou Edson Luis Ramires Jacinto, de 42 anos, em via pública. O crime aconteceu no começo da tarde de sexta-feira, na Rua das Pereira, no Bairro Pomares. Segundo testemunhas, a vítima aguardava o ônibus junto com a enteada de 13 anos.
Jacinto foi socorrido por uma equipe do SAMU e encaminhado para o Hospital de Santa Casa. Conforme o hospital, a vítima teve que se internada na Unidade Cirúrgica devido a gravidade dos ferimentos (perfurações na região do abdômen e costas).
A Polícia Civil prendeu Buião cerca de duas horas após as agressões. Segundo relatos, a violência é resultado de uma rixa antiga entre os dois. No passado, a vítima já teria entrada em discussão com Buião e também já havia feito ameaças de morte.
OUTRO ENVOLVIDO – Depois de ferir a vítima, Buião voltou a discutir em via pública, desta vez, com o filho de Jacinto. Ao ser questionado pelo menor de 17 anos, ele afirmou: “Da próxima vez, eu quebro as tuas pernas e a tua mãe ainda vai chorar.
Buião foi autuado em flagrante por ameaças e homicídio tentado e encaminhado ao Presídio Estadual de São Gabriel.

EM SÃO GABRIEL, A MAIORIA DOS CRIMES TEM O ENVOLVIMENTO DE MENORES.

Menores teria se envolvido em tiroteio (um pode estar baleado, mas não foi localizado). Trajano é único maior de idade envolvido no crime

EM 2013: Menores teriam se envolvido em tiroteio . Trajano (que aparece na foto) era o único maior de idade envolvido no crime ocorrido no Três de Outubro

A comissão especial criada na semana passada na Câmara dos Deputados para discutir a redução da maioridade penal para 16 anos vai analisar uma proposta de emenda à Constituição (PEC 171/1993) apresentada há 22 anos. Junto a esse texto, foram agrupadas outras 37 proposições com o mesmo teor, que serão analisadas em conjunto.
A comissão, criada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), será formada por 27 deputados titulares e igual número de suplentes. As funções do grupo serão debater o mérito da PEC, promover audiências públicas para discutir a redução da maioridade penal, e elaborar um parecer sobre a proposta, o qual será votado pela comissão. Se aprovada, a matéria será encaminhada à apreciação do plenário da Câmara, em dois turnos de votação.
O artigo 228 da Constituição Federal diz que “são penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, sujeitos às normas da legislação especial”. A redação proposta pela PEC sugere que o artigo seja substituído por: “São penalmente inimputáveis os menores de dezesseis anos, sujeitos às normas da legislação especial”.
A legislação especial ao qual a Constituição se refere trata-se, atualmente, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Segundo o estatuto, o adolescente menor de 18 anos que pratica ato infracional pode ter, como medida socioeducativa, desde advertência e prestação de serviços à comunidade até a internação em estabelecimento educacional, uma “medida privativa da liberdade”.
A internação, segundo o ECA, só deve ocorrer em casos de ato infracional considerado violento ou com grave ameaça, quando há reincidência de infrações consideradas graves ou quando há descumprimento de medida socioeducativa anterior. A legislação determina que a internação não pode durar mais de três anos e a liberação é obrigatória aos 21 anos de idade.
A PEC não altera o ECA, mas, conforme a proposta, as punições estabelecidas no estatuto que são válidas para adolescentes que praticam atos infracionais só valeriam para quem tem até 15 anos.
Em todo o país, uma discussão se criou. Autoridades divergem em opiniões.
A Presidenta Dilma Rousseff, recentemente, se pronunciou contra a redução da maioridade penal via perfil no Facebook. “Não é a solução”, disse ela. “Os adolescentes não são responsáveis por grande parte da violência praticada no País. Os atos infracionais cometidos por eles não chegam a 10% do total dos crimes praticados no Brasil há décadas”.
A questão é, na prática, não é o que se nota.

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, criador da comissão que discutirá a PEC da Maioridade Penal

Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, criador da comissão que discutirá a PEC da Maioridade Penal

No Estado, segundo números da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), nos últimos cinco anos, a apreensão de adolescentes no Rio Grande do Sul aumentou 22%. O número se torna mais alarmante quando comparado com prisões de adultos no mesmo período, que tiveram diminuição de 1,5%
Em 2015, em menos de dois meses, São Gabriel registrou três homicídios, o mesmo número contabilizando em 12 meses de 2014. Em comum entre eles, além da violência extrema, está a participação direta e indireta de adolescentes.
No primeiro crime do ano, dois menores e um adulto mataram um jovem de 16 anos. O motivo? Futilidade. Rixa entre grupos adversários.
Esse mesmo conflito – entre os chamados bondes – resultou em mais duas mortes. Assim como na primeira, as vítimas foram agredidas antes de feridas. No caso de John Lennon, ocorrido em fevereiro deste ano, três menores ajudaram dois adultos a cometer o crime. Lennon foi morto com 49 facadas e o corpo “desovado” em uma valeta. Um menor continua foragido.
O delegado de polícia, Jader Ribeiro Duarte, é favorável a redução da maioridade penal.
Para ele, os critérios adotados no século 20, quando da elaboração do Código Penal Brasileiro (na década de 40), valiam para os jovens daquela época. No entanto, a capacidade de entender o caráter ilícito do fato, com o mundo moderno, também evoluiu. “Hoje, o jovem tem capacidade de compreensão e entendimento bem superior aos jovens dos anos 40, data de criação do Código”, argumenta.
O vereador Cilon Lisoski, do Partido da República, é um dos poucos a se manifestar sobre o tema publicamente.
“A discussão sobre a redução da maioridade penal congrega múltiplos questionamentos neste momento no nosso país. O posicionamento a favor ou contra gera polêmicas e debates acirrados. Vejo a necessidade de uma decisão importante frente a qualquer mudança, haja visto não existir em nosso país capacidade estrutural para abrigar tantos menores infratores, o que por si só justifica tantas dúvidas. Tentar no sistema prisional atual recuperar os jovens é totalmente desapropriado e, pode se dizer impossível. Portanto, apesar de ser a favor da redução da maioridade penal acredito que a mudança deva ser acompanhada de transformações no sistema prisional”, argumenta.
Jader vê da mesma forma. “O ato da pena deve ser ponderado. As medidas socioeducativas, hoje, é que dão uma sensação de impunidade. Eu sou a favor que cumpram a pena como maior, mas não no mesmo local que presos adultos. Precisamos ter novas casas prisionais”, avaliou o delegado.

OPINIÃO DA OAB
A expectativa dos deputados é que antes deles ajuizarem o mandato de segurança, a OAB o faça. Na semana passada, o conselheiro da ordem Pedro Paulo de Medeiros disse que a entidade iria ao Supremo contra a medida. “Diante da posição firme e histórica que o conselho da OAB tem frente às propostas de redução da maioridade penal, não tenha dúvida de que o conselho federal proporia uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin)”, disse à Rede Brasil Atual.

JOVENS SÃO CONTRA
Nas quase quatro horas de discussão, mais de 100 manifestantes ocupavam a sala e reagiam a cada palavra dos parlamentares. Na entrada do Anexo II da Câmara, que dá acesso aos plenários das comissões, uma trupe de jovens gritou palavras de ordem durante todos período que o texto era analisado. A maioria dos jovens, contra o projeto, gritavam: “não, não, não, não à maioridade penal”.

RADICALMENTE CONTRA
A presidente do PSol, Luciana Genro, chegou a passar mal quando descobriu que a maioridade penal, em Cuba, é de dezesseis anos. Isso se justifica, pois Luciana – que defensora do regime cubano, país visto por ela como exemplo de democracia e liberdade para organizações de esquerda – disse em um debate sobre o tema: “É um absurdo reduzir a maioridade, porque isso não vai resolver o problema da criminalidade. É necessário educar a juventude, não encarcerar”.
A Cáritas brasileira, organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), divulga um manifesto no qual reafirma seu posicionamento contrário às propostas que tramitam no Congresso Nacional e que versam também sobre o aumento do tempo de internação para menores infratores. “Compreendemos que crianças e adolescentes respeitados em seus direitos dificilmente serão violadores/as dos Direitos Humanos”, diz um trecho do manifesto.
Segundo a Revista Fórum, o manifesto da Cáritas destaca que as medidas de redução de direitos, principalmente no que se refere à redução da maioridade penal e do aumento do período de internação, atinge principalmente os e as jovens marginalizados e marginalizadas, negros e negras, aqueles que moram na periferia, que já tiveram todos os seus direitos de sobrevivência negados previamente. Para a entidade, é preciso constatar que a violência tem causas complexas que envolvem: desigualdades e injustiças sociais; aspectos culturais que corroboram para a construção de um imaginário de intolerâncias e discriminações, especialmente contra a população negra, pobre e jovem.
Além disso, “a realidade de políticas públicas ineficazes ou inexistentes; falta de oportunidades para o ingresso de jovens no mercado de trabalho; e a grande mídia que atribui valores diferentes a pessoas diferentes conforme classe, raça/etnia, gênero e idade”. A medida de redução da maioridade penal, para a Cáritas, é remediar o efeito e não mexer nas suas causas estruturais. Pesquisas no mundo todo comprovam que a diminuição da maioridade penal não reduz o índice de envolvimento de adolescentes em atos infracionais.

ESTÁ ACONTECENDO: BRIGADA MILITAR DEFLAGRA AÇÃO DE COMBATE AOS BONDES.

ação policial 2

Hoje, quem não gosta de ser abordado com freqüência pela Brigada Militar, vai ter duas opções daqui para a frente. Primeiro. Em horário de escola, vai para a sala de aula ou para a casa. Segundo: Desiste de ficar “vagando” em via pública, principalmente, nas proximidade de instituições de ensino e locais públicos, como praças.
A violência registrada nos últimos meses envolvendo grupos de adolescentes ou facções – definidas como Bondes – fez com que o comando da Brigada Militar adotasse medidas para eliminar a presença de “grupinhos” em via pública. Desde março, o efetivo – seja da patrulha rural, policiamento ou PATAMO – estão realizando “batidas” em pontos críticos.
Como o foco tem sido as escolas, a ideia, segundo tenente Adriano Veras, responsável pelo comando da PATAMO, é fazer com os adolescentes se dirijam para as salas de aulas ou que sejam encaminhados para as residências. “Vamos coibir a aglomeração de jovens em locais próximos à escolas ou praças, pois, segundo os registros passados, é nestes locais que acabam ocorrendo os confrontos iniciais”, explica.
O policiamento também está agindo com rigor nos bairros e vilas, locais onde os chamados Bondes costumam atuar.
Segundo Veras, através destas ações, estão sendo relacionados e qualificados os elementos, e quando é confirmado o envolvimento deles em ocorrências passadas, imediatamente é feito um comunicado ao Poder Judiciário. A proposta dos órgãos de segurança pública é encaminhar os envolvidos em ocorrências de violência para as instituições de internação, tirando das ruas quem é responsável pelos conflitos.
Em menos de 15 dias, dois integrantes de Bondes foram flagrados pela Brigada Militar. O elemento Fábrio da Silva Flores, de 19 anos, tinha medida restritiva que o proibia de estar em via pública depois das 21 horas. Além de desobedecer a determinação judicial, o jovem acabou sendo flagrado vendendo drogas. Junto com ele, os policiais da PATAMO detiveram Luciano da Silva, de 36 anos, também apontado como responsável por comercializar drogas na zona oeste da cidade.
Com eles, os policiais encontraram 79 pedras de crack.
Na semana passada, a Polícia Civil encaminhou para Santa Maria o “líder” do Bonde do BI. A Justiça atendeu pedido do delegado de polícia, Jader Ribeiro Duarte.

DOIS PRESOS SÃO FERIDOS EM BRIGA NO INTERIOR DO PRESÍDIO ESTADUAL DE SÃO GABRIEL.

Cigano foi preso em 2013 acusado de envolvimento em dois homicídios

Cigano foi preso em 2013 acusado de envolvimento em dois homicídios

Uma briga, ocorrida no interior do Presídio Estadual de São Gabriel, na manhã de sábado (04/04), terminou com o saldo de dois feridos, um deles, gravemente. De acordo com a polícia, o agressor foi identificado como sendo Juliano da Chaga Nunes, o Cigano, de 36 anos. As vítimas são Vanderlei Ramires dos Santos Júnior, o Zé Pequeno, de 25, e Evandro da Silva Nunes. Este último, foi encaminhado para a ala cirúrgica do Hospital de Santa Casa. A briga aconteceu quando os presos da Galeria D estavam no pátio. Cigano usou um estoque (faca artesanal) para ferir as duas vítimas.

Preso em 2013, Cigano cumpre pena por dois homicídios. Ele teria se envolvido em uma discussão com integrantes do Assentamento Itaguaçu e, durante o conflito, ele matou Pedro Paulo Alves Antunes, conhecido pelo apelido de Ventania, de 53 anos, e um colono da cidade de Canguçu, vulgo Trapeira.

CAIXA ELETRÔNICO TINHA CERCA DE R$ 70 MIL, MAS LADRÕES LEVARAM APENAS R$ 7 MIL.

IMG-20150407-WA0006

Três bandidos arrombaram na noite de segunda-feira (06/04) a agência do banco Santander em São Gabriel. Segundo a polícia, a porta do banco, que fecha automaticamente, foi interrompida por um pedaço de papel antes de a trava eletrônica ser acionada. Os criminosos violaram um dos terminais eletrônicos utilizando um maçarico, mas não levaram muito dinheiro. A investigação confirma que o caixa arrombado tinha cerca de R$ 70 mil, mas, da forma que foi aberto, os bandidos só puderam levar R$ 7 mil. “Eles não tiveram acesso as notas maiores”, explica o policial.
Uma câmera de segurança flagrou a ação dos bandidos. O trio não tentou se esconder. A lente só foi coberta pelos criminosos quando o caixa começou a ser aberto.
O ataque aconteceu por volta de 21 horas de segunda-feira (06/04). O primeiro homem entra, olha ao redor e vira o rosto direto para a câmera. Na sequência, mais dois elementos aparecem no quadro. O trio tem conhecimento da câmera, mas parece não se preocupar.O crime só foi percebido no começo da manhã de terça-feira quando um cliente da agência foi até o local.
Foi o terceiro arrombamento ao mesmo banco em menos de quatro anos. Em março de 2012, um caixa eletrônico foi danificado, mas os bandidos acabaram abandonando a agência sem levar o dinheiro e ainda deixaram no local um maçarico, uma lona e cilindros de oxigênio. No mesmo ano, quatro meses depois, o Santander voltou a ser atacado. Desta vez, o criminosos conseguiram levar o dinheiro.
Entre julho de 2011 e abril deste ano, foram contabilizados sete ataques a bancos na região de abrangência da Polícia Civil de São Gabriel. O caixa eletrônico do Banrisul, localizado no interior do Prédio da Prefeitura Municipal de Santa Margarida do Sul, foi violado três vezes. Numa única vez, os ladrões levaram mais de R$ 100 mil.
Em setembro de 2012, o alvo foi a agência do Banco do Brasil. Não foi informado o valor furtado. Um ano depois, o ataque aconteceu a uma agência do Banrisul, em Vila Nova do Sul. Os bandidos explodiram um caixa eletrônico.
Em fevereiro deste ano, o terminal eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF), localizado no interior da Unidade Básica de Saúde Brandão Júnior também foi violado.
Em todos os casos, pela primeira vez, a Polícia Civil tem material para trabalhar, uma vez que, nos ataques anteriores, as agências não tinham câmeras de segurança.

CARRO COM PLACAS FALSAS PODE TER SIDO UTILIZADO EM TENTATIVA DE ASSALTO EM SÃO GABRIEL.

IMG-20150407-WA0001

IMG-20150407-WA0003Um veículo encontrado abandonado nos fundos do Posto Gauchão, na tarde desta terça-feira (07/04), pode ser o mesmo que foi utilizado por dois elementos durante um assalto a Ótica Lang no dia 10 de março deste ano. O veículo ficou abandonado no local por cerca de dois dias, informou um funcionário do posto.

Equipes da ROCAM atenderam ao chamado. Os policiais confirmaram que o Pálio (vermelho) tinha placas falsas pertencentes a um GM Corsa Wind (branco), daqui de São Gabriel. Pela numeração do chassi, foi possível localizar o proprietário em Viamão. “Ele disse que o automóvel havia sido colocado pela esposa dele para venda na Revenda Simpala, em Porto Alegre”, explicou o policial.

A placa original do Pálio, ITW 5144 – Viamão, é a mesma informada por testemunhas que avistaram os assaltantes fugindo da Ótica Lang logo após a tentativa de roubo.

Os dois homens – um deles armado com um revólver – tentaram assaltar a empresa, mas acabaram se dando mal. De acordo com a polícia, um elemento armado anuncio o roubo, enquanto outro o acompanhava. Eles deixaram o local caminhando e fugiram num automóvel Pálio, vermelho.  A Polícia Rodoviária Federal (PRF) teria tentado interceptar, mas o veículo acabou sumindo em Santa Margarida do Sul.

Os bandidos acabaram desistindo do roubo e deixaram o local levando apenas um óculos de R$ 200,00.

IMAGENS MOSTRAM QUE TRÊS HOMENS PARTICIPARAM DE ARROMBAMENTO AO CAIXA ELETRÔNICO.

IMG-20150407-WA0006

rostoSem se preocuparem em esconder os rostos, três homens aparecem nas imagens da câmera de segurança instalada próximo ao caixa eletrônico arrombado na manhã desta terça-feira (07/04) no Banco Santander. Os policiais ainda não identificaram os ladrões, mas acreditam que, com a divulgação das imagens, eles possam ser reconhecidos.

O ataque aconteceu por volta de 21 horas de segunda-feira (06/04). O primeiro homem entra, olha ao redor e vira o rosto direto para a câmera. Na sequência, mais dois elementos aparecem no quadro. O trio tem conhecimento da câmera, mas parece não se preocupar.

rosto 2Eles utilizam uma espécie de banner para encobrir a porta de acesso, impedindo que na parte de fora do prédio fosse possível detectar a ação criminosa. Logo depois, utilizando um pedaço de plástico, cobrem a lente da câmera.

O crime só foi percebido no começo da manhã de terça-feira quando um cliente da agência foi até o local. Conforme a polícia, os criminosos arrombaram a porta do estabelecimento, entraram no banco e abriram um dos caixas eletrônico com um maçarico.

A Brigada Militar (BM) isolou o local e o Instituto Geral de Perícias (IGP) realizou levantamento pericial. Não foi informado se dinheiro foi roubado.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.650 outros seguidores