MULHER DESAPARECIDA DESDE A MADRUGADA DE DOMINGO.

daiane moreira 2

O Setor de Investigações da Polícia Civil de São Gabriel apura o desaparecimento de uma mulher 31 anos. Daiane Moreira da Silva está desaparecida desde a madrugada de domingo (22/02). A última vez que foi vista, ela estava na Rua Antônio Mercado, com o companheiro. Eles teriam discutido e ela saído do carro. O casal mora na Rua Honório Rodrigues Proença, no Bairro Medeiros. Pela internet, uma série de manifestações em sua página pessoal, no Facebook, destacam o seu desaparecimento. O caso está sendo investigado.

MENINA DE 14 ANOS MORTA A FACADAS É ENTERRADA EM ROSÁRIO DO SUL.

MENINA ENTERRADA

Consternação. Este é o sentimento que define o que a população de Rosário do Sul sente, desde que a notícia da morte de Line Kelen Dutra Fialho, 14 anos, foi divulgada pelos meios de comunicação. No final da tarde desta quinta-feira, o Cemitério São Sebastião ficou lotado de pessoas que foram se despedir da adolescente.
Colegas, professores e funcionários da Escola Municipal Barão do Rio Branco – que não teve aula hoje – compareceram em peso. A Stadtbus, empresa de transporte coletivo onde o pai da menina trabalha, paralisou suas quatro linhas por uma hora, para que os 20 funcionários da empresa pudessem prestar solidariedade ao colega Romeu Fialho, Encarregado de Operações da empresa.
_ Nós queríamos demonstrar nosso apoio a ele. Acho que a comunidade entendeu e respeitou a decisão _ explica Helena Soares Medina, que responde pela empresa na ausência de Fialho.
Apoio e força é o que a família mais precisa neste momento.
_ A gente acorda cedo todos os dias, vai trabalhar pensando em dar um futuro melhor para os nossos filhos, e vem alguém e tira a vida da tua filha _ lamenta o pai, que espera que a justiça seja feita.
A estudante da oitava série era uma filha exemplar. Comunicativa e alegre, tinha muitos amigos. Era uma boa filha, boa aluna e participava da banda marcial do colégio. Line Kelen era a menina dos olhos. Era a única filha mulher da família com outros três irmãos.
_ A mãe dela está inconsolável. Ela era a companheira dela _ conta o pai.

POLÍCIA INVESTIGA A MORTE
A Polícia Civil de Rosário do Sul tenta descobrir o autor e as motivações do crime. _ O crime é muito recente, por isso trabalhamos com todas as hipóteses _ explica a delegada Karina Salvagni Heineck, titular da delegacia.
Segundo a delegada, algumas testemunhas já foram ouvidas e a polícia tem alguns suspeitos, mas não descarta nenhuma hipótese. _ A delegacia está praticamente toda mobilizada _ afirma Karina.
A polícia pede a ajuda da comunidade para esclarecer o crime. Segundo Karina, conforme a quantidade de golpes de faca no corpo, é difícil que o criminoso não estivesse sujos de sangue.
Por isso, ela pede para que se alguém viu pessoas sujas de sangue, que entre em contato de forma anônimo com a polícia por meio do 197.

ENCONTRADA PELO IRMÃO
Line Kelen Dutra Fialho foi morta à facadas no final da tarde desta quarta-feira. O corpo dela foi encontrado pelo irmão dela na casa onde a família mora, na Rua Fernando Chagas, no bairro Artidor Ortiz, por volta das 17h. Segundo o pai de Line, Romeu Fialho, 40, o irmão dela de 9 anos foi quem a encontrou morta. Conforme ele, a menina costumava buscar o irmão mais novo na escola todos os dias. Como ela não apareceu, o irmão foi para casa e encontrou a irmã morta no chão do quarto.
FONTE: DIÁRIO DE SANTA MARIA

Foto: Julio Lemos / Jornal Gazeta de Rosário

PATAXÓ USAVA MENOR PARA TRAZER DROGAS DE SANTA MARIA.

PATAXÓ

A PATAMO, em conjunto com a Polícia Civil, prendeu em flagrante na tarde de quinta-feira (26/02), no Bairro Passo da Lagoa, um homem suspeito de atuar no tráfico de drogas. De acordo com os policiais, foi preso Cristiano Dorneles Ferrer, vulgo Pataxó, de 30 anos. Junto com ele foram detidos mais dois elementos que, mais tarde, acabaram sendo liberados. “Pataxó admitiu que a droga apreendida no momento de entrega lhe pertencia”, disse o policial.
O suspeitou contratou um adolescente em Santa Maria. O menor teria que transportar um envelope fechado daquela cidade para São Gabriel em um ônibus de linha. “O rapaz foi detido quando tentava fazer a entrega. Ele garantiu que não sabia o que tinha no envelope. Alega que aceitou fazer o transporte, por R$ 100, porque está desempregado”, explica a Polícia Civil.
A Polícia Civil já investigava o comércio de drogas na região. Uma informação anônima alertou para a chegada de um adolescente em um ônibus de Santa Maria. O rapaz desceu no Posto Batovi e depois foi conduzido – até o encontro de Pataxó – por um motociclista de uma Tele Moto da cidade. Durante todo o percurso ele foi observado pela Polícia. Quando tentou entregar a encomenda, ele e Pataxó foram detidos. Segundo a Polícia, no envelope estavam duas pedras de crack e uma pedra de cocaína. Também foram apreendidos dois telefones celulares.

ASSALTANTE DE BANCO DA “QUADRILHA DO SECO” É PRESO EM SÃO GABRIEL.

capa - fetter quadrilha do seco (blog)

Um integrante da quadrilha do assaltante de bancos José Carlos dos Santos – o Seco – foi preso na manhã de quarta-feira (25/02) na BR-290 por Policiais Rodoviários Federais de São Gabriel e Rosário do Sul e participação da Polícia Civil local. Os policiais capturaram Marcelo Fetter, de 41 anos, que estava foragido da Penitenciária de Charqueadas. O bandido dirigia um automóvel clonado e carregava documentos falsificados com o nome de Marcelo Becker. O veículo havia sido roubado em Porto Alegre no início deste mês. Um comparsa – identificado como sendo Maurício da Silva – conseguiu escapar da Polícia.

Fetter tem uma vasta ficha criminal. Em 2007, ele e mais dois companheiros foram presos por agentes da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (DEFREC) no município de Bom Princípio. O trio trazia da Argentina uma bazuca escondida no porta malas.
Em 2005, uma operação policial que entrou para a história do Rio Grande do Sul, desencadeada no mês de agosto, quebrou a espinha dorsal de uma organização que representava uma nova tendência criminosa no Estado: a quadrilha que atuava em várias frentes, numa espécie de clínica geral. A parceria inédita entre Polícia Federal e Polícia Civil resultou na prisão de 33 pessoas. Marcelo Fetter estava entre os investigados.
O grupo abastecia o mercado consumidor de cocaína no Vale do Sinos, na Fronteira Oeste e na Serra, adquirindo no Paraguai uma média de 80 quilos de cocaína a cada 40 dias. Também alugava fuzis e metralhadoras para assaltantes de carros-fortes ao custo de R$ 450 por 10 horas de uso. Traficava armas da Argentina e do Uruguai e atuava no ramo do roubo de carga.
A quadrilha comprava armas de grosso calibre, como pistolas, metralhadoras, escopetas e fuzis no Uruguai e na Argentina para alugar no Estado. Na época, um desses carregamentos foi interceptado pela Polícia Federal. Paulo Sérgio Leite Chicuta, ex-PM, foi preso em um ônibus na BR-290, em Eldorado do Sul, por tráfico internacional de armas com uma espingarda calibre 12 e uma pistola 45, de uso restrito ao Exército argentino. Conforme apuraram os federais, as armas seriam entregues a Marcelo Fetter (já, naquele ano, foragido do regime semi-aberto em 27 de novembro de 2003, onde cumpria pena por roubo), que as revenderia para Jair de Oliveira.
Ainda de acordo com a PF, Oliveira adquiria armas no Uruguai, via Riveira, cidade uruguaia que faz fronteira com Santana do Livramento.
Em 2004, uma onda de 11 ataques a carros-fortes em pouco mais de 12 meses levou a Secretaria da Segurança Pública e empresas de transporte de valores a distribuir 4 mil cartazes por todo o Estado, com nomes e fotos de seis homens, os mais perigosos entre os envolvidos em assaltos a carros-fortes no sul do país.
Era o momento mais crítico de um período em que quadrilhas disseminaram o terror nas estradas para atacar blindados, bloqueando rodovias, pontes, provocando tiroteios, seqüestros e mortes. As imagens foram espalhadas por postos policiais, estações rodoviárias e estabelecimentos comerciais. Em paralelo, ações das autoridades reduziram a lista gradativamente. Uma década depois, a maioria dos criminosos está fora de ação.
O último em atividade, Carlos Ivan Fischer, o Teco, 47 anos, morreu em um confronto com agentes da Delegacia de Roubos e Extorsões do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e de Delegacia Especializada de Santa Cruz, em 6 de junho do ano passado, em Candelária. Teco estava acompanhado de outros três comparsas sem histórico de ataques a carros-fortes — dois deles também tombaram, e o terceiro foi preso.
A prisão de Fetter, em São Gabriel, coincide com o ataque na terminal eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF), ocorrido entre a noite de sexta e madrugada da última segunda-feira na Unidade Brandão Júnior. Além disso, comprova que a falta de policiamento na BR-290 pode estar “chamando” a atenção dos bandidos. A Delegacia Regional da PRF insiste em manter o Posto de São Gabriel fechado, que efetivo servindo de reforço para Caçapava do Sul.

AS VÍTIMAS DO GATILHO!

O elemento conhecido pelo apelido de Diabo das  Taquaras foi preso, pela primeira vez, em 2011, quando matou um jovem de 16 anos. Acabou sendo libertado. Este ano, matou mais um jovem de 16.

O elemento conhecido pelo apelido de Diabo das Taquaras foi preso, pela primeira vez, em 2011, quando matou um jovem de 16 anos. Acabou sendo libertado. Este ano, matou mais um jovem de 16.

No começo desta década, no Brasil, sete em cada dez presos que deixavam o sistema penitenciário acabavam retornando ao crime, uma das maiores taxas de reincidência do mundo, revelou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Nos últimos 22 anos, enquanto o número de habitantes no país teve um crescimento de aproximadamente 30%, a quantidade de pessoas presas teve um aumento de 511% entre 1990 e 2012, segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão ligado ao Ministério da Justiça. Em 2014, o Brasil tinha uma massa carcerária de 550 mil pessoas espalhadas pelas 27 unidades da federação. Em 1990, eram 90 mil presos. O número coloca o país no quarto lugar entre as nações com a maior quantidade de encarcerados no mundo. Apenas os Estados Unidos da América (2,2 milhões), China (1,6 milhão) e Rússia (680 mil) possuem mais pessoas presas em suas penitenciárias.
Para evitar que o preso volte a cometer novos delitos, programas como o Começar de Novo, que prevê a criação de vagas para detentos e ex-detentos no mercado de trabalho e em cursos profissionalizantes, foram aplicados em parceria com os Governos Estaduais.
Em São Gabriel, a massa carcerária é de 160 presos, 30 deles trabalham durante o dia e retornam ao Presídio Estadual no final da tarde. Outros estão sendo preparados para retornar a sociedade.
A direção do Presídio ainda oferece para os detentos cursos profissionalizantes e oportunidade de trabalho na Fábrica de Tubos. A ação faz parte de um protocolo de intenções firmado entra a Prefeitura Municipal e a Superintendência dos Serviços Penitenciários (SUSEPE) do Rio Grande do Sul. A parceria com a SUSEPE beneficia os presos e auxilia na reinserção dos apenados na sociedade. Dos 160 internos, seis trabalham na Fábrica de Tubos e 12 mulheres no atelier de costura.
A dona de casa CS, de 37 anos, visita o filho todas as quartas e domingos. Desde que ele foi preso, em 2013, a mãe vive uma triste rotina de ter que retornar para a casa sabendo que o filho está encarcerado.
Hoje com 19 anos, ESM paga um alto preço por uma atitude que deixou duas pessoas gravemente feridas. O jovem – acompanhado de outro elemento – espancou um homem e esfaqueou outro em via pública. Eles foram na mesma semana do crime.
“E achei que tinha perdido o meu filho para esta gente sem coração”, conta a mãe, ao se referir ao primeiro dia de visita, quando viu que o jovem estava reunido – no pátio – com outros criminosos.
“Me abalou ainda mais quando o rapaz que foi preso com ele perguntou como estavam as vítimas e a irmã dele, que também estava visitando, disse: melhor que vocês. E todos sorriram. Pareciam que estavam realizados”, comentou.
CS garante que o filho sabe que vai conviver com essa marca a vida toda e teme que a sociedade possa condená-lo mesmo depois de cumprida a pena.
“Ele quer muito trabalhar, mas eu tenho medo que as pessoas vejam ele como um criminoso e que não queiram dar oportunidades. Ele não é assim. Realmente errou, mas foi um fato isolado. Ele nunca havia se envolvido em brigas ou discussões”, argumenta.

A FAMÍLIA É PENALIZADA
Quem pensa que a pena atinge apenas o preso, se engana. A família de CS teve que abrir mão do pouco que tinha para pagar advogados. Foi necessário vender o carro e conseguir um empréstimo para saldar as dívidas, sem falar no lado emocional. O jovem ESM se prepara para sair – para trabalho externo – em outubro deste ano. Enquanto permanece encarcerado, ele dedica boa parte do tempo a confeccionar produtos artesanais numa oficina desenvolvida dentro do Presídio.
E QUEM PERDEU TUDO?
Se a família do preso sofre, o que dizer daquela que não tem como rever o filho ou a filha?
Em 2012, um militar matou a mulher de 39 anos porque não aceitava a separação. O crime passional destruiu uma família. Duas crianças ficaram sem pai e sem mãe. Para evitar desequilíbrios emocionais e problemas nas relações interpessoais, especialistas ressaltam a importância de acompanhamento psicológico adequado para esses casos.
Em 2011, familiares de Luis Caetano da Rosa Rodrigues, na época com 16 anos, assassinado no Bairro Independência, protestaram em frente da Delegacia de Polícia de São Gabriel quando ficaram sabendo que um dos envolvidos no crime seria liberado. O suspeito teve que deixar a DP escondido na parte de trás de um carro. Rafael Alves Santos, conhecido vulgarmente pelo apelido de Cadela, acabou sendo preso cinco meses depois, em Porto Alegre. O outro responsável pela morte é Bruno Almeida da Rosa, hoje com 21 anos, conhecido pelo apelido de Diabo das Taquaras. Por esse crime, ele não ficou muito tempo preso. O resultado: este ano matou mais um adolescente de 16 anos.
No dois casos, as perdas – irreparáveis – abalam toda a estrutura familiar.
A comerciante Daisy Laurino Guerra, de 57 anos, é um caso aparte. Para encontrar paz interna, ela perdoou o assassino do próprio filho. O jovem Rafael, na época com 25 anos, foi assassinado em um assalto em 9 de julho de 2009, “o dia mais terrível da minha vida”, disse.
A prisão não me trouxe alívio. Quase um ano depois, seguia deprimida, sempre com a pressão alta. Um dia, em conversa com a Marlene, uma conhecida, ela contou que estava colhendo doações para ajudar uma vizinha muito pobre, mãe de três crianças. O marido cumpria pena por um latrocínio em uma padaria da cidade. “A Marlene nem imaginava, mas estava falando com a mãe da vítima. Pedi mais informações sobre essa família. A mulher do criminoso era faxineira de uma creche e tinha dificuldade para colocar comida no prato dos filhos. Tomei coragem e fui até lá, para vê-la de longe, e fiquei comovida. Era uma mãe batalhadora, criando seus meninos sozinha. Como eu havia sido. Por intermédio da Marlene, passei a enviar cestas básicas e algum dinheiro para os parentes do algoz do Rafa. Acompanhava anonimamente o crescimento das crianças e isso me renovava. Como se, fazendo aquele bem, eu ajudasse meu filho a ter paz. Prestei auxílio a essa família por três anos, até que a mulher se casou novamente – desta vez com um bom rapaz”.

mãe perdou assassino

MÃE PERDOA ASSASSINO DO FILHO
A dona de casa Maria Nice ficou cara a cara com o suspeito de ter assassinado seu filho em dezembro de 2012 no bairro Colinas do Sul, João Pessoa (PB). O suspeito, Alisson Lima dos Santos, foi preso com mais três comparsas apontados como autores de diversos homicídios e tráfico. Acompanhada de uma advogada, Nice seguiu o carro que levava o suspeito e pediu autorização aos policiais para falar com ele. Ela segurou o queixo do rapaz e disse não nutrir nenhum tipo de ódio.
— “Eu não tenho um pingo de ódio de você, Alisson, eu só oro todos os dias. Você não me deixou olhar nos olhos do meu filho antes dele morrer, mas te perdoo… Vou continuar orando por você. Dá conforto a mãe dele Senhor, que deve estar sofrendo tanto quanto eu”, disse a mulher.

ADOLESCENTE É ENCONTRADA MORTA EM ROSÁRIO DO SUL COM VÁRIOS FERIMENTOS CAUSADOS POR FACA.

Linikelen Dutra 1Uma adolescente de 14 anos foi morta à facadas em Rosário do Sul no final da tarde de quarta-feira (25/02). O corpo de Line Kelen Dutra Fialho foi encontrado pelo irmão dela na casa onde a família mora, na Rua Fernando Chagas, no bairro Artidor Ortiz, por volta das 17h. Não há informações sobre quantos golpes a vítima recebeu, nem em que partes do corpo, mas sabe-se que um dos ferimentos atingiu o pescoço da adolescente.
Segundo o pai de Line, Romeu Fialho, de 40 anos, o irmão dela de 9 anos foi quem a encontrou morta. Ainda conforme Fialho, Line costumava buscar o irmão mais novo na escola todos os dias. Hoje ela não apareceu e ele teria ido para casa. Ao chegar, o menino teria deparado com a irmã morta no chão do quarto e saído gritando da residência. Os vizinhos acionaram a BM.
A mãe e o padrasto da adolescente estavam trabalhando no momento do crime. Ao ficar sabendo do assassinato, a mãe da vítima passou mal e foi encaminhada para atendimento médico.A Polícia Civil de Rosário vai investigar a autoria e circunstâncias do homicídio. Ainda não há suspeitos.

BANDIDOS ARROMBAM TERMINAL ELETRÔNICO LOCALIZADO NA UBS BRANDÃO JÚNIOR.

CAIXA 2

A Polícia Federal vai investigar uma invasão ocorrida entre a noite de sexta e madrugada desta segunda na Unidade Brandão Júnior que resultou no arrombamento de um terminal eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF). Um carro forte abasteceu a máquina na manhã de sexta. Acredita-se que cerca de R$ 98 mil tenham sido furtados.
O crime foi descoberto na manhã desta segunda-feira (23/02), quando servidores da Secretaria Municipal de Saúde chegaram para trabalhar. De acordo com a Polícia Civil, os funcionários sentiram um forte cheiro de queimado e ao tentarem localizar a origem, acabaram avistando uma lona preta encobrindo o caixa eletrônico. Ao redor foram encontrados cilindros de oxigênio, maçarico e ferramentas, além de uma escada, na área externa – que dá acesso à parte de trás do prédio.
Por causa da ação dos criminosos o atendimento ao público e a pacientes foi cancelado durante toda a manhã. O prejuízo maior caiu sobre as pessoas que tinham exames marcados e as que necessitavam viajar nesta terça-feira e não tiveram tempo hábil de remarcar. Segundo a Secretaria de Saúde, os bandidos danificaram computadores e furtaram roteadores e pendrives pertencentes ao Setor de Transportes. Estes equipamentos continham informações de pacientes e dados sobre viagens. O setor está refazendo todo o processo de agendamento.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.645 outros seguidores