CRIMES CONTRA A VIDA APRESENTAM QUEDA SUPERIOR A 20% NO ESTADO; EM SÃO GABRIEL, SITUAÇÃO FOI INVERSA.

A tendência de queda na ocorrência de crimes contra a vida no Rio Grande do Sul foi confirmada, de acordo com balanço anual de 2018, em comparação com o ano anterior. Os dados estatísticos da criminalidade foram divulgados nesta quarta-feira (09/01) pela SSP – Secretaria da Segurança Pública, apontando redução de 21,8% nos homicídios e 29,9% nos latrocínios. A redução de vítimas fatais nos indicadores de homicídio doloso também se manteve, chegando a 22,1% (total de 652 mortes a menos).
Em Porto Alegre, as ocorrências de homicídio doloso diminuíram 21,8%, enquanto o número de vítimas fatais de homicídio decresceu a 20,9%. A redução representa 139 mortes a menos em comparação com 2017. O crime de latrocínio, no entanto, registrou uma ocorrência a mais em 2018. No total, 16 indicadores compõem a divulgação oficial da SSP. Eles representam os crimes de maior potencial ofensivo contra a vida e contra o patrimônio. No âmbito estadual, apenas o crime de roubo de bancos teve alta: 20%.
Diferente dos anos anteriores, desta vez, São Gabriel aparece como “fator” negativo nos dados estatísticos. Enquanto os números de 2016 e 2017 colocaram o Município entre os mais seguros do Estado por causa da pequena quantidade de casos envolvendo mortes, o ano de 2018 fechou com a Polícia Civil contabilizando 11 homicídios. O número praticamente dobrou em relação ao mesmo período de 2017, quando São Gabriel registrou seis mortes. E 2019 – embora sem registros de vítimas fatais – já tem três casos de tentativa de homicídio. Em um caso, a Polícia ainda não identificou o autor. Em outro, o marido teria invadido o local de serviço da esposa e a esfaqueada duas vezes. Um terceiro caso, envolvendo irmãos e um tio, ficou contabilizado como ação em legítima defesa.

Dados estatísticos da criminalidade 2018

  • Homicídio doloso: -21,8%; – Latrocínio: -29,9%; – Furtos: -9%; – Abigeato: -25%; – Furto de veículo: -14,9%; – Roubos: -18,6%; – Roubo de veículo: -10%; – Furto de bancos: -25,2%; – Roubo de bancos: 20%; – Furto de comércio: -14,2%; – Roubo de comércio: -27,7%; – Roubo de usuários de transporte coletivo: -38,8%; – Roubo de profissionais de transporte coletivo: -31%; – Ameaça contra mulheres: -3,5%; – Lesão corporal contra mulheres: -6,2%; – Estupro de mulheres: -10,3%.
Anúncios