HOMEM NÃO FICA 12 HORAS PRESO POR FURTO, VOLTA PARA AS RUAS, E ATACA O ASILO SÃO JOÃO.

REGIS
Foi pelo ralo aquela definição, positivista, de que a união faz a força. A prisão de Régis Pinto da Silva (foto), de 28 anos, pela segunda vez, em menos de 12 horas, mostra que a união, se não for dentro dos parâmetros da Lei, de nada vai adiantar. Régis se uniu aos dois irmãos dele, o Róger e o Richard, em uma ala do Presídio Estadual de São Gabriel.
Régis foi preso por uma equipe do policiamento da Brigada Militar, na madruga de sexta-feira (28/07), por volta de 3h50min, carregando sacos plásticos com vários objetos de limpeza. A prisão aconteceu na Rua Maurício Cardoso. Os policiais constataram que o elemento havia invadido o prédio do Asilo São João e furtado o material do interior do abrigo dos idosos.
Foi a segunda prisão dele em menos de 12 horas. No dia anterior, ele havia sido detido pela mesma equipe da Brigada Militar, após ter sido flagrado furtando galinhas no Bairro São Clemente. Ele foi preso às 10 horas e, no mesmo dia, às 22 horas, liberado pela Justiça. Cerca de seis horas após a liberação, ele estava novamente cometendo um novo crime.
Furtos, roubos e ataques a propriedades particulares estão no sangue da família de Régis Pinto e Silva. O irmão dele está cumprindo pena no Presídio Estadual. Ele chegou a ser manchete nos últimos anos. Róger Pinto da Silva, de 25 anos, em menos de dois anos, se envolveu em 34 casos de furto – arrombamento. Em 2013, quando foi flagrado e encaminhado para o Presídio, ele chegou a 36 casos. Ele ainda era investigado em casos de ameaças, danos e estelionato. Conforme a Polícia Civil, naquele ano, ele já havia sido indiciado em 28 dos 34 casos que aparece como autor, sendo que em sete oportunidades ele foi preso em flagrante. Mesmo assim, ele ainda permanecia solto e, depois de preso, ficou pouco tempo na cadeia. Hoje, ele está trancafiado novamente.

Anúncios

2 Comentários

  1. Marcio, gostaria que você relesse este texto, principalmente no trecho ” Furtos, roubos e ataques a propriedades particulares estão no sangue da Família Pintos e Silva.”
    Infelizmente você acabou generalizando, sou PINTO e este trecho não me representa.

    • Beleza… pode deixar que vou alterar essa parte no texto…


Sorry, the comment form is closed at this time.

Comments RSS