CORRENDO CONTRA O TEMPO: CAMINHADA QUER MOBILIZAR A POPULAÇÃO E CHAMAR A ATENÇÃO DE OUTRAS CIDADES.

aisha

Juntar mais de 10 mil pessoas e fazer com que a campanha de arrecadação de recursos para o tratamento de uma criança diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME) Tipo 1 finalmente desperte a atenção fora de São Gabriel, é o objetivo de uma “Corrente do Bem”. Na prática, trata-se de uma caminhada que visa mobilizar a população da cidade em forma de chamado de alerta para o tempo que a menina Aisha Saldanha de Souza, de 1 ano e 7 meses, tem para iniciar o tratamento contra a doença.
A caminhada acontecerá no dia 3 de agosto, com início às 18h30min na Praça Carlos Pereira (na antiga estação férrea) e término na Praça Dr. Fernando Abbott. Cada pessoa que participar, poderá fazer a doação voluntária a partir de R$ 1,00.
De acordo com os organizadores, a proposta é levar a campanha para fora do Município e promover o debate quanto a questão da liberação da medicação, que já foi aprovada pelo Food and Drugs Administration (agência reguladora dos EUA), mas ainda não foi liberada pela Agência Nacional Vigilância Sanitária (Anvisa). Existem muitos processos e pedidos para a droga entrar no Brasil pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas a demora preocupa as famílias. A importação do remédio custa R$ 3 milhões.
O pai da menina, Matheus de Souza, não perde a esperança de conseguir o medicamento, mas admite que o tempo está ficando cada vez mais curto. Hoje, Aisha teria pouco mais de 60 dias para iniciar o tratamento. Depois deste prazo, ela terá que ser mantida em aparelhos.
“É verdade que o tratamento poderá ser realizado, no entanto, quando mais cedo iniciarmos com a medicação, maiores as probabilidades de recuperação… Mas, mesmo assim, por causa da demora para o começo da medicação, ela poderá não responder ao tratamento ou ficar com sequelas”, explica.
Em São Gabriel, várias instituições e pessoas da comunidade estão mobilizadas em prol da causa, com eventos sendo realizados em espaços públicos e sedes de entidades, como CTG’s e clubes. Mesmo assim, a campanha, até a tarde de quarta-feira (12/07), havia atingindo apenas 4,5% do valor necessário com a arrecadação de pouco mais de R$ 135 mil.
Desde 2016, quando foi diagnosticada a doença, os pais de Aisha “adotaram”, praticamente, o Hospital de Caridade como sua nova casa. Os pais da menina resolveram largar tudo em São Gabriel para acompanhar a filha em Santa Maria. Aisha esta internada em Santa Maria há mais de 1 ano, a permanência dela na UTI Pediátrica do Hospital é por tempo indeterminado por conta da dependência dela as máquinas, tanto para respirar, como para se alimentar.

Anúncios