USUÁRIOS RECLAMAM DA FALTA DE MÉDICOS. SECRETÁRIO DIZ QUE “PERDEU” CINCO PROFISSIONAIS E VAI “PERDER” MAIS TRÊS NA PRÓXIMA SEMANA.

Médico Jorge Chavez atendia na UBS

Com menos cinco médicos, atendimento nas UBS’s fica comprometido

As reclamações que envolveram críticas do atendimento aos usuários do Pronto Atendimento 24h do Hospital de Santa Casa refletiram diretamente no sistema básico de saúde de São Gabriel. Indignados com o tempo de espera no saguão do PA, pacientes e familiares alegam ser desumano ficarem entre quatro a oito horas esperando serem chamados pelo médico. Alguns acabam desistindo.
Os dados desta reportagem foram obtidos através de pessoas que se manifestaram desfavoráveis a administração do PA e tem relação direta com os fatos ocorridos entre quinta-feira (15/06) e sábado (17/06). Na sexta-feira passada, o próprio Provedor da Santa Casa, advogado Marcos Góes, admitiu o problema e garantiu que buscaria formas para reduzir o tempo de espera.
Na prática, o PA tem absorvido um público que deveria estar sendo atendido nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Mas porquê estas pessoas não vão para as UBS? Conforme os próprios usuários, quem precisa de atendimento, imediato, acaba não conseguindo encontrar nos postos. Consequentemente, correm para o PA 24h.
Segundo o Secretário de Saúde, médico Ricardo Coirolo, em média, cada médico deve atender, por dia, 24 pessoas nas Unidades Básicas de Saúde.
“A regra é a seguinte. As fichas são dadas de manhã para serem atendidas de manhã. São cerca de 10 a 12 fichas. E, à tarde, de 10 a 12, também para atendimento na parte da tarde”, afirma.
Mas isso tem fugido do controle nos últimos dias. O secretário admite o problema e justifica dizendo que o Município “perdeu”, nos últimos meses, cinco médicos que atendiam os postos. São profissionais do Programa Mais Médicos que encerram o período de atividade no país e que, teoricamente, já deveriam ter sido substituidos. Não foi o que aconteceu. Por causa disso, os postos estão funcionando com plantel reduzido e insuficiente para atender a demanda que aumenta no período de inverno.
Coirolo disse que mais três irão deixar o Município na próxima semana, aumentando o déficit para oito. “Tínhamos 17 médicos na Rede. Hoje, temos 12 e como vamos perder mais três, vamos ficar com nove… Eu tenho mais uma médica que está saíndo de férias, então, passaremos a ter apenas oito”, adiantou.
A expectativa, segundo o Secretário, é que novos profissionais do Programa Mais Médicos cheguem ainda no começo de julho.
“É um período de transição que caiu numa época extremamente complicada que é o inverno, que aumenta a demanda, principalmente, de doenças respiratórias. O Ministério da Saúde era para ter reposto esses médicos, dois que saíram do Nosso Sonho no final de março… na metade de maio eu já deveria ter os novos trabalhando! Os documentos foram encaminhados… Os pedidos foram feitos e está tudo ok no sistema. Acreditamos que no começo de julho já possamos contar com esses novos médicos”, finalizou.

Anúncios