AGRICULTURA SUSTENTA EMPREGO COM CARTEIRA EM MAIO.

O mercado formal abriu 34.253 vagas em maio (variação de 0,09%) no estoque, basicamente pelo resultado da agricultura, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado terça-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Indústria e serviços ficaram praticamente estáveis, comércio e construção fecharam postos de trabalho, enquanto a agricultura criou 46.049 empregos com carteira (2,95%), garantindo o resultado positivo no mês.
A indústria de transformação teve 1.432 vagas a mais, variação mínima (0,02%), impulsionada pelos setores de alimentação/bebidas e químico/farmacêutico e com fechamento de vagas no segmento de mecânica. Com criação de 1.989 empregos formais, os serviços também mostraram situação de estagnação (0,01%). O melhor resultado percentual (0,11%), depois da agricultura, foi na administração pública, que abriu 955 postos de trabalho.
A construção civil eliminou 4.021 empregos com carteira (-0,18%), enquanto o comércio fechou 11.254 (-0,13%).
De janeiro a maio, foram abertas 48.543 vagas com carteira, crescimento de 0,13%. Em 12 meses, o país perde 853.665 postos de trabalho formais (-2,18%). Instável, o Caged registrou alta em fevereiro, abril e maio e queda em janeiro e março.
O estoque chegou a 38,3 milhões de empregos. Era de 39,2 milhões em maio de 2016 e de 41 milhões em igual mês do ano anterior.

Anúncios

  • Veja A Notícia OnLine no FACEBOOK