FAMILIARES DE VÍTIMAS PARTICIPAM DE EVENTO QUE MARCA OS QUATRO ANOS DA TRAGÉDIA NA BOATE KISS.

kiss

Quatro anos depois do incêndio na boate Kiss, que matou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridos, centenas de pessoas ainda precisam de cuidados médicos. De acordo com a superintendente do Hospital Universitário de Santa Maria, 400 vítimas da tragédia são atendidas nas áreas de fisioterapia, pneumologia e psiquiatria da instituição.
Para lembrar a data, uma série de homenagens ocorreram na quinta-feira e nesta sexta-feira. Uma das atividades é a “Roda de Conversa” com profissionais da Saúde para relatar o trabalho que já foi feito e que continua sendo realizado. O reitor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Paulo Burmann, e o prefeito Jorge Pozzobom participam do evento.
Homenagens às vítimas da tragédia foram intensas durante os dois dias. Na quinta-feira (26/01), a partir das 21 horas, sobreviventes e familiares de vítimas se reuniram na Tenda da Vigília, na Praça Saldanha Marinho. Uma hora depois, eles partiram em caminhada rumo à Rua dos Andradas, onde funcionava a boate. Orações e manifestações se estender até as 2h. As informações são do Diário de Santa Maria.
Hoje, dia em que a tragédia completa quatro anos, as atividades começaram às 9h, com roda de conversa com profissionais que atuaram ou atuam em atividades ligadas à tragédia. A programação só termina à noite, após um colóquio com o professor Márcio Seligmann, a psicóloga Rosana Dorio Bohrer, uma sobrevivente da tragédia e um familiar de vítima, na Praça Saldanha Marinho.
Os eventos do dia 27 foram realizados pela Associação dos Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), Instituto Condor, programa Acolhe Saúde,TV OVO e pelos movimentos Santa Maria do Luto à Luta e Kiss: Que Não se Repita, com apoio da prefeitura.

Anúncios