JOVEM ALEGA QUE A CASA ESTAVA ABANDONADA HÁ MAIS DE UM ANO.

16237266_1728381424144720_1831910856_n

“Toda a casa invadida tem como dono o último morador”. Essa é a justificativa da jovem Lutiele Vaz Santiago, de 26 anos, que invadiu uma casa desocupada no Bairro Élbio Vargas na manhã de segunda-feira (23/01). Ela, o marido e mais dois filhos (de 3 e 6 anos) se mudaram para a residência da idosa Diolinda alegando não ter condições financeiras para pagar aluguel e porque estavam enfrentando dificuldades financeiras.
Conforme ela, a casa estava abandonada há mais de um ano, com a vegetação tomando conta e com os vizinhos reclamando da situação.
LEIA O QUE ELA DISSE PARA O “A NOTÍCIA ONLINE”
“Segundo relatos de vizinhos e moradores do bairro, a casa encontrava-se em situação de abandono há mais de um ano. Os vizinhos reclamavam da falta de limpeza do pátio e por causa disso apareciam cobras vindo desse local. Esses relatos se confirmariam em caso de investigação”, disse a jovem.
Lutiéle disse que está escrita no Programa Habitacional do Município. “Ia frequentemente ao local para garantir sempre em dia meus dados e verificar como estaria o andamento de suplentes para residências abandonadas, justamente para saber se minha família podia ser encaixada em alguma dessas residências”, explica.
Ela garante que a decisão de invadir não tem a ver com pressão. “Em nenhum momento quis pressionar a Prefeitura. Não tenho poder para isso, nem para agilizar o programa habitacional”.
Segundo ela, a decisão pode ser resumida como uma medida de desespero. “Eu, meu esposo e meus dois filhos entramos nesta residência porque estava em estado de abandono, sem intenção alguma de prejudicar alguém. Estou desempregada e meu esposo sem emprego fixo. Não temos como pagar aluguel e muitas outras famílias estão na mesma situação”.

Anúncios