“MORREM AS PESSOAS, A JUSTIÇA NÃO”, DIZ A PRESIDENTE DO STF CÁRMEN LÚCIA.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, conversou na noite desta quinta-feira (19) no programa Estúdio Gaúcha. Ela lamentou a morte do ministro Teori Zavascki e elogiou o colega por sua atuação como relator da Operação Lava Jato no Supremo. Teori Zavascki, 68 anos, está entre as vítimas da queda de um avião de pequeno porte, na tarde desta quinta-feira, em Paraty, no litoral do Rio de Janeiro. O ministro havia interrompido as férias para analisar as delações da empreiteira Odebrecht, cuja homologação estava prevista para ocorrer no mês que vem.
“É uma profunda consternação do STF por perder um dos seus maiores juízes, e de todo o Brasil, porque é um juiz brasileiro que constituiu um exemplo, uma figura muito especial e do ponto de vista pessoal, para mim, que tinha uma amizade com o ministro, é uma dor muito grande e um pesar enorme”, lamentou.
A ministra não quis dar detalhes sobre a transição da função do ministro, mas salientou que as competências do Supremo não podem ser ignoradas.
“O Supremo é contínuo, nós perdemos grandes juízes, como hoje (…). O Supremo sabe que, apesar de toda a dor humana, nós temos um compromisso com a sociedade. O Supremo continuará para honrar juízes como Teori Zavascki. Nesse momento estou preocupada com a família, mas as coisas serão resolvidas como sempre foram. Morrem as pessoas, a justiça não”, encerrou.
Cármen Lúcia disse ainda que virá a Porto Alegre para o velório do ministro.

Anúncios