O MAIOR DESAFIO: ADMINISTRAR COM UMA DÍVIDA SUPERIOR A R$ 86 MILHÕES.

rossano-entrevista

De um lado do Salão de Atos da Prefeitura foi montado um telão, onde um relatório com números e imagens de prédios, áreas e maquinários públicos em situação de abandono justificavam o que era dito pelo Prefeito Rossano Dotto Gonçalves (PDT) do outro lado da sala. Foi a primeira coletiva de imprensa do novo Governo Municipal e Gonçalves precisou demonstrar domínio com os números para poder explicar como vai administrar a Prefeitura com uma dívida superior a R$ 86 milhões.
Medidas de contenção de despesas foram implantadas antes mesmo de iniciar a gestão com a redução na quantidade de Secretarias Municipais. Pois essa decisão deverá ser reforçada nos próximos dias com a redução em 50% de horas extras e gastos com estagiários, assim como a diminuição dos valores de diárias para o Prefeito, Vice-Prefeita e Secretários.
A Prefeitura sempre foi apontada como “cabide de empregos”, mas uma decisão do Prefeito deverá deixar muita gente fora do Palácio. Conforme ele, o Governo Municipal vai limitar em 50% a nomeação de Cargos de Confiança. No entanto, por outro lado, vai nomear, de forma criteriosa, profissionais aprovados no último concurso público conforme as prioridades detectadas pelas Secretarias.
Essas primeiras medidas deverão resultar em uma economia de R$ 3,5 milhões aos cofres públicos por ano.
É pouco, mas é o que é possível fazer neste momento, garantiu o Prefeito ao divulgar o diagnóstico estrutural e econômico feito pelas Secretarias Municipais nos primeiros 10 dias de gestão.
Dos R$ 86 milhões anunciados como dívida, segundo o relatório, mais de R$ 44 milhões foram originados no Governo passado. Chama a atenção um valor de R$ 18 milhões e 850 mil que ficou como resto a pagar empenhado e liquidado, mas não foi pago. É ainda mais preocupante um montante de R$ 10 milhões e 173 mil, empenhado, mas que sequer chegou à Secretaria da Fazenda.
Também aparecem no relatório uma dívida (já parcelada) com o IPRESG no valor de R$ 10 milhões, partes do 13º Salário que ficaram para pagar e rescisões de Cargos de Confiança da gestão passada.
Sobre as rescisões, o Prefeito tranquilizou os CCs exonerados, garantindo que pagará os valores, priorizando os de menor valor.

A ESTRUTURA
Prestes a fechar a primeira quinzena de Governo, quatro Secretarias Municipais ainda não conseguiram se instalar para iniciar os trabalhos.
A pior situação acontece no antigo engenho São Jorge, onde, desde os últimos dias de dezembro toda a parte estrutural da Secretaria de Serviços Urbanos está depositada.
De acordo com o Prefeito, documentos, materiais de escritório e computadores estão cobertos por uma lona para evitar que fiquem molhados por causa de goteiras no Galpão.
A Secretaria Municipal de Educação, que também enfrenta dificuldades na atual sede – no antigo Instituto Palmira Vieira, deverá ser transferida, na próxima semana, para o prédio da Cooperativa de Lã Tejupá.
No mesmo local funcionará o setor administrativo da Secretaria Municipal de Obras. “Uma decisão que visa, principalmente, facilitar a acessibilidade. Pois, hoje, é muito difícil para algumas pessoas se deslocarem até a parte superior do Palácio Plácido de Castro. Por isso, o setor de Obras vai funcionar na parte térrea do prédio da cooperativa”, informou o Prefeito.
Também nos próximos dias, a Prefeitura Municipal vai anunciar a locação de um prédio para instalação das sedes das Secretarias de Desenvolvimento Rural, de Serviços Urbanos e a parte operacional da Secretaria de Obras.

GASTOS
O Prefeito disse que vai ser necessário gastar mais de R$ 600 mil com a recuperação de 81 veículos da frota da Prefeitura Municipal.
Os relatórios mostram que alguns prédios públicos estavam sem reparo, manutenção e limpeza. Em algumas escolas foi localizado material de obras junto com mobiliário novo e na mesma peça eram realizadas aulas.
Setores da Secretaria de Desenvolvimento Social – como o abrigo municipal e Centros de Referências, voltados para crianças, adolescentes e idosos – foram transformados em depósitos, acumulando pó e insetos.
O Sobrado da Praça, um dos prédios mais “badalados” na gestão passada, também apareceu na relação de descaso apresentada pelo Governo Municipal. Parte da estrutura, próximo ao telhado, está rachando e já oferece riscos.
A Administração Municipal estima que gastará cerca de R$ 2mil para recuperar os prédios com problemas estruturais e de manutenção.

Anúncios

1 Comentário

  1. essa história de frota sucateada é antiga, lembro em certa ocasião em que o Balbo assumiu, ele colocou toda a frota sucateada na av: brandão jr, do poli até o big max ficou lotado de sucata. Alguém lembra quem foi o prefeito que passou para o Balbo? É pois é, nada como um dia após o outro, hoje é irresponsabilidade, antes o que era? Pura demagogia, mas o povo tem a memória curta!!!!!!!!!!


Sorry, the comment form is closed at this time.

Comments RSS