INDICATIVO DE GREVE: PROFESSORES DE SÃO GABRIEL NÃO QUEREM O INÍCIO DO ANO LETIVO.

reuniao-cpers
Apesar da pouco participação dos professores, a Assembleia Regional, realizada na terça-feira pelo 41º Núcleo do Cpers – Sindicato, na Escola XV de Novembro, foi decisiva para as pretensões da classe a partir dos próximos dias. Os educadores, representados por professores de Vila Nova do Sul, Santa Margarida do Sul e São Gabriel, decidiram encaminhar para a Assembleia Geral, nesta quinta-feira, uma proposta de greve a partir de 2017, impossibilitando a abertura do ano letivo do próximo ano. Além disso, também foi decidido que a classe realizará “fortes” mobilizações.
O diretor do núcleo, professor Pedro Moreira, confirmou a decisão. “Essa será a nossa posição na Assembleia Geral. Mas não quer dizer que isso seja a decisão de todos”, comentou, alegando que existem professores, no Estado, que defendem o início da greve já nesta quinta-feira e outros a partir da segunda quinzena deste mês.
A Assembleia Geral dos Professores acontece nesta quinta-feira (08/12), a partir das 13 horas, na Praça da Matriz. Será a 7ª Assembleia da categoria neste ano.
A mobilização tem como alvo principal um pacote de medidas na área financeira que prevê a extinção de nove fundações, o fim de três secretarias de Estado, a privatização de uma companhia pública (a Corag, Companhia Riograndense de Artes Gráficas) e alteração nas regras do estatuto do funcionalismo público. A medida, anunciada na segunda quinzena de novembro pelo governador José Ivo Sartori (PMDB), é considerado pelo Cpers – Sindicato “o mais radical da história do Estado”. A proposta está tramitando na Assembleia Legislativa.
O Sindicato divulgou nota onde acusa o governo de atacar diretamente os direitos dos professores, funcionários de escola e demais servidores estaduais.

Anúncios

  • Veja A Notícia OnLine no FACEBOOK