RODOVIAS INTERROMPIDAS E ENCHENTES NA REGIÃO.

No Estado, hoje, oito rodovias permaneciam bloqueadas. Os transtornos causados pela chuva desde o domingo no Rio Grande do Sul deixaram a BR-116 bloqueada entre Nova Petrópolis e Caxias do Sul, na altura do km 180, onde havia risco de queda de barreira. Na BR-290, houve interrupção total em Pantano Grande, no km 214. O desvio, de cerca de quatro quilômetros, estava sinalizado, segundo a Polícia Rodoviária Federal.
Em Santa Maria, cerca de 20 famílias ficaram ilhadas por causa da chuva na localidade de Três Barras, no Distrito de Arroio Grande. A Defesa Civil faz vistorias em áreas de risco do município.
O pilar de sustentação de uma ponte na região foi destruído com a chuva. Conforme o Coordenador da Defesa Civil, Jair Binoto, ontem estava previsto um novo relatório, com a situação atual e danos.
A Defesa Civil trabalhou na tarde de terça-feira realizando vistorias em áreas de risco na cidade.
Nas rodovias, há registros de problemas na RS-511, entre Santa Maria e Silveira Martins. A chuva encheu um córrego, e agora a água passa sobre a pista. O Batalhão Rodoviário da Brigada Militar monitorava a situação.
Em Cachoeira do Sul, cerca de 60 famílias estão fora de casa. As famílias moram na Vila Piquiri, que fica próximo do Arroio Piquiri.
O nível da água chegou a 1,8 m em algumas residências. Mais de 50 famílias estão em casas de parentes e amigos. Cinco famílias estão desabrigadas, e permanecem no abrigo disponibilizado pela Defesa Civil.
Os pertences dos moradores que tiveram as casas inundadas estão sendo levados para o pavilhão comunitário da Vila Piquiri. Não há previsão para as famílias voltarem as suas casas. A Vila Piquiri é a mais atingida quando há temporais em Cachoeira do Sul.
O jornal Zero Hora informou, ontem, que o número de clientes sem energia elétrica voltou a subir em função do mau tempo. Cerca de 25 mil pontos estão sem luz. São 15 mil na área de concessão da RGE e 10 mil na região atendida pela AES Sul. Desses, mais de 5 mil foram afetados por desligamentos preventivos em função de alagamentos, principalmente em São Sebastião do Caí. Nesses pontos, não há previsão para normalização do serviço em função da chuva.
Aqui, na região da Fronteira Oeste, especialmente em Caçapava do Sul, o abastecimento foi interrompido em mais de 4 mil pontos. AES Sul deslocou 21 equipes para ajudar no conserto das linhas na região.
Na noite de terça-feira, o número de clientes sem energia elétrica chegou a cair para 22 mil, mas a continuidade da chuva, principalmente em regiões abastecidas pela RGE, voltou a elevar a conta.

Anúncios