“ONDE NÃO HÁ ACESSO, NÃO HÁ PRODUÇÃO”, AFIRMA CHIAPPETTA.

suspiro 2

Sem encontrar soluções imediatas para os problemas de trafegabilidade no extremo sul do Município, o produtor rural Gabriel Chiappetta, da localidade de Suspiro, divulgou em redes sociais uma série de fotos que revelam a situação de precariedade das estradas que dão acesso a alguns dos principais pontos de produção e escoamento da safra em São Gabriel.
Chiappetta fala do Suspiro (da pequena vila) , localidade em que havia a Estação Ferroviária com parada obrigatória dos trens que vinham de Cacequi a Bagé. Segundo ele, “cerca de 30 casas de moradores que ali habitavam e o acesso principal a Vila Suspiro já não fazem parte dos dias atuais”.
O produtor reclama das condições das estradas. “A via principal de acesso Bar da Lagoa – Suspiro, infelizmente, está intrafegável, já não temos a Linda Estação que está em ruínas e já não temos mais as 30 e poucas casas. O acesso ao vilarejo está repleto por buracos, solavancos e crateras, além do nível da estrada estar abaixo dos barrancos laterais o que ocasiona aos dias de chuvas um mar de águas na via”, comentou.
Nas fotos publicadas por ele é possivel observar o nível da estrada, a necessidade de tubos para escoamento da água e o dano ocasionado pelas chuvas. “Onde não há acesso, não há produção”, enfatizou.
“Com isso, imploramos que olhem com bons olhos para o vilarejo do Suspiro, pois lá existem crianças que dependem do acesso para poderem ir às aulas. Lembramos que mal começou o inverno e os micro-ônibus já não vão diariamente às escolas pelas péssimas condições de trafegabilidade na via municipal de acesso ao Suspiro”, argumentou.
Os moradores alegam que a má administração das estradas não causa somente prejuízos aos produtores e pessoas que ali residem. Conforme Chiappetta, há um imenso prejuízo diretamente relacionado á própria administração pública, pois os veículos pertencentes à prefeitura – que devem frequentar diariamente estes locais – acabam por sofrer danos mecânicos e desgastes excessivos e precoces.
“Podemos comprovar nos dias de hoje que os buracos estão cada vez piores. Enquanto isso, seguimos esperando a Moto niveladora (Patrola), as Caçambas e o Balastro para solucionarmos uma simples operação Tapa Buracos”, finalizou.

ESTADUAL – a rs-630 é uma das vias importantíssima para a região, ligando os Municípios de São Gabriel – Bagé – Lavras do Sul e Dom Pedrito. Por ela trafega cerca de 40% da produção agrícola do município de São Gabriel, passando em “pontilhões” do século passado construído sob madeira, desde a década de 60, sem sinalizações, época em que andava-se de charretes, carros de boi e aranhas.
“Hoje, mantêm-se as mesmas pontes de madeira, ainda sem guardas de proteção, porém transitam por ali apesar de proibido, caminhões carretas e bi-trens que transportam de 30 a 45 toneladas de peso e colheitadeiras modernas com rodados duplos em que, muitas vezes, ficam com os pneus externos de fora dos pontilhões. Pergunta-se: – E durante esse tempo, em que houve o “bum” da tecnologia embarcada, da globalização e das comunicações wirelles, onde estão os estudos de infra-estrutura e melhoria das vias de acessos?”, questiona Gabriel Chiappetta.
O moradores reivindicam providências para os problemas e ações imediatas que possibilitem um trânsito seguro na região.

Anúncios