ALUNOS DE TRÊS ESCOLAS VÃO PARA AS RUAS COBRAR INVESTIMENTOS NA EDUCAÇÃO PÚBLICA.

alunos 1

Alunos de três instituições de ensino de São Gabriel participaram de uma caminhada de protesto contra o Governo Estadual. O ato – organizado por um grupo de estudantes do Instituto de Educação Menna Barreto – mobilizou também representantes das escolas XV de Novembro e Marques Luz e ainda professores e dirigentes do Cpers-Sindicato.
“A gente tem espírito de luta. Não estamos aqui para fazer bonito. Precisamos de um estabelecimento de ensino seguro e de qualidade”, comentou o aluno Igor Freitas, do Instituto Menna Barreto.
Mais de 100 estudantes participaram da caminhada, que iniciou na Avenida Barão do Cambai, em frente ao Menna, e seguiu pela Rua Duque de Caxias, com parada em frente à sede da Escola XV de Novembro (onde outros alunos se juntaram ao movimento), e depois pela João Manoel e Calçadão de São Gabriel, contornando a Praça Dr. Fernando Abbbott, encerrando no lado norte da Praça com manifestações de dirigentes do Cpers-Sindicato e de estudantes.
O trânsito na área central foi interrompido em três oportunidades. Primeiro em frente à Escola XV de Novembro, onde não houve discussão. Depois, na Rua João Manoel, com os alunos caminhando pelo meio da via. Alguns motoristas não aceitaram a manifestação e ainda ironizaram com deboches sobre o salário dos professores.
O último bloqueio de veículos aconteceu na sinaleira da Rua General Mallet, onde os estudantes permaneceram por alguns minutos gritando: “Sartori, que papelão, cadê o dinheiro da educação?”.

MANIFESTAÇÕES
Um ato público organizado pela direção do 41º Núcleo do Cpers-Sindicato encerrou a mobilização. Entre os manifestantes estava o diretor do Núcleo, professor Pedro Moreira, que destacou a união dos estudantes e o direito deles reivindicarem melhores condições para a educação. Pedro ainda disse que o movimento estudantil gaúcho vive um momento de destaque no Brasil.
O dirigente do Sindicato lembrou que é importante manter a mobilização, pois, mesmo com a pressão em cima do Governo Estadual, reivindicações como a reconstrução do telhado da Escola Marques Luz (destruído durante um temporal em 2014) continua sem serem atendidas.
Responsável por mobilizar os alunos do Instituto Menna Barreto, a aluna Vitória Dorigan, reforçou os motivos que levaram os estudantes para a rua. “Queremos educação de qualidade. Queremos uma escola melhor. A gente vai lutar quantas vezes for possível”, finalizou.

Anúncios