FRIO E ENCHENTES EM SÃO GABRIEL. MÍNIMA PODERÁ CHEGAR A 3ºC NA QUINTA-FEIRA.

Água já atinge casas no Bairro Mato Grosso

Água já atinge casas no Bairro Mato Grosso

defesa civil

Até parecia que o calor não iria passar, mas, junto com muita chuva veio o friozinho tão esperado. Nos próximos dias, os termômetros despencam dos 36ºC registrados na semana passada para 3ºC e 4ºC na quarta e quinta-feira. Em algumas regiões do Estado, a partir desta terça-feira, um frio intenso deve tomar conta, trazendo geada e até temperaturas negativas.
“Este abril registrou as temperaturas mais altas do mês nos últimos cem anos. O frio que vai chegar agora não deve bater recordes como esse, mas terá intensidade pouco comum, como não se sentia desde os anos 1980”, afirma Evandro Ribeiro Magalhães, da Somar Meteorologia.
O motivo das baixas temperaturas é o enfraquecimento do fenômeno El Niño, que abre espaço para massas de ar frio avançarem o Estado.
O ar frio deve chegar com intensidade na madrugada desta terça. O ápice do resfriamento está previsto para madrugada de quinta-feira, quando os termômetros devem bater os 6ºC em Santa Maria e 3ºC em São Gabriel. Temperaturas negativas poderão ser registradas na Serra e na região Sul.
O frio, no entanto, é algo esperado. O que ninguém queria era os problemas que vieram junto com a chuva. No Bairro Élbio Vargas, na zona sul da cidade, pelo menos 12 famílias tiveram as casas alagadas pela água de uma sanga que atravessa o bairro.
A Prefeitura informou que a sanga transbordou por causa do acumulo de lixo jogado irregularmente no córrego. Equipes da Secretaria de Serviços Urbanos realizaram, durante a segunda-feira, a limpeza do trecho obstruido durante a chuva.
No outro lado da cidade, na zona leste, quatro família tiveram que sair de casa e ir para a residência de amigos e parentes. De acordo com a Defesa Civil, o Rio Vacacai subiu lentamente e ainda era poucos moradias atingidas pelas água. “A maioria permanece em casa, até porque a cheia, desta vez, parece não ter a mesma intensidade das anteriores”, explica o integrante da Defesa Civil, Ladislê Teixeira.
O setor mantém uma equipe de prontidão durante 24 horas para casos de emergência e para atender chamados da área ribeirinha.

Anúncios