VEREADOR AFIRMOU NA SESSÃO PLENÁRIA: SAÍDA DA CORSAN PODERÁ QUEBRAR SÃO GABRIEL.

O valor da indenização que o Município tem que pagar para a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) é de R$ 27 milhões. O valor foi pauta de debate na sessão legislativa desta segunda-feira (5) na Câmara Municipal de Vereadores. O líder do PSB, vereador Rômulo Farias, disse que o Executivo Municipal precisa reconhecer a dívida e para isso tem que gerar uma operação de crédito consolidado com a Corsan. Isso, no entanto, dependerá de aprovação do Legislativo.
Segundo Farias, todo o endividamento tem que respeitar um determinado limite seguindo parâmetros da Secretaria do Tesouro Nacional. O vereador lembra que o Município já possui parcelamentos (como os que tem com o Ipresg) e que constantes parcelamentos colocam em dúvida a possibilidade real de o Município ter condições de cumprir com as obrigações.
Na visão do parlamentar, a dívida poderá inviabilizar de vez o Município. E dependendo do parcelamento, dos valores da indenização, poderá ser uma dívida que se perpetuará por mais de 50 anos. “Isso, se levarmos em contas os critérios adotados para aprovar o parcelamento com o Ipresg”, complementou.

MAIS POLÊMICA > O Cartão Saúde Interior também virou pauta. Em questão o uso de recursos públicos para promover o prefeito municipal, pois no documento entregue para os produtores rurais aparece o slogan do governo e a assinatura do prefeito e do secretário municipal da Saúde.
“Fruto de uma justa reivindicação do homem do campo, nada melhor que priorizar o atendimento dessas pessoas que contribuem para o desenvolvimento da economia do município, tendo em vista que nossa economia é baseada no setor primário”, disse Farias.
Justiça seja feita. O vereador lembra que o secretário da Saúde alertou, antes do lançamento do cartão, que o pré-agendamento para o homem do campo não resolveria o problema de espera, filas e pernoites. Segundo ele, tanto o homem do campo quanto o da cidade não escolhe a hora para adoecer.
O cartão resolveu um problema. Hoje, o cidadão chega à cidade e tem prioridade.
Mas elogios ao programa não impediram o vereador de atacar. “O programa é importante, mas não pode ser usado para propaganda político-partidária. Essa Casa tem a obrigação de tomar medidas neste sentido. Temos a obrigação de zelarmos pela aplicação do dinheiro público”, finalizou.

4 Comentários

  1. Pelo que fiquei sabendo, O tuca e o prefeito que vão ser beneficiados com a tal nova firma privatizada, andam boatos de que Tuca será o dono da tal empresa e que ambos arrecadarão muito dinheiro…… e o que será de nós?

  2. Por isso não sobra dinheiro para contratar mais médicos para irem no” comboio” da saúde pois ficam usando o dinheiro dos contribuintes para se auto promoverem! Quem sempre sai perdendo é o povo que para e não recebe! Somos os bobos da corte”!

  3. Propaganda em SINALEIRA,e no cartão SAúDE com úúúúúúúúú minusculo,pago com dinheiro publico e CRIME,com a palavra o ministério publico.O FUTURO A GENTE FAZ,outubro tái.

  4. se a prefeitura não consegue nem canalizar as ruas com esgoto a céu aberto, que tipo de água vamos beber?


Sorry, the comment form is closed at this time.

Comments RSS