PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DA PÁTRIA COMEÇA NESTA SEGUNDA.

A abertura da Semana da Pátria acontecerá na próxima segunda-feira, 1º de setembro, com o deslocamento do fogo simbólico da 13ª Cia Com Mec até a Praça Dr. Fernando Abbott, a partir das 8h30min, com o acendimento da Pira da Pátria pelo prefeito municipal Roque Montagner às 9 horas, no Espaço Cívico.
Conforme a coordenadora administrativa da SEME Branca Wiesel, durante toda a semana serão realizadas saudações cívicas, Hora Cívica com a participação dos alunos das escolas municipais e culto ecumênico, entre outras atividades, culminando no dia 7, a partir das 13h30min com o desfile cívico militar e estudantil. O encerramento oficial será feito às 18 horas com a extinção do fogo simbólico pelo prefeito e comandante da Guarnição Federal. Nesta oportunidade, os cavalarianos do Grupo Sepé Tiaraju, participantes da 9ª Cavalgada da Chama da Tradição, entregarão ao prefeito, a chama da Semana Farroupilha.
Branca Wiesel salienta que conforme foi definido pela Liga da Defesa Nacional do Estado do Rio Grande do Sul (LDN) o tema nacional será “Meu Jeito de Ser Brasileiro”. Já em relação a homenagem Nacional o destaque é a “Amazônia – Patrimônio Histórico”, e Estadual o compositor Lupicínio Rodrigues – “100 Anos de Dores e Amores”. Em nível local a homenageada é a Srª Palmira Vieira da Silva.
Em relação à homenageada municipal, o prefeito Roque Montagner destaca o reconhecimento do Executivo e da comunidade gabrielense a Palmira Vieira da Silva. Conforme ele “era uma mulher altruísta, desenvolvia ações beneficentes, um verdadeiro exemplo de responsabilidade social, solidariedade, fraternidade e amor ao próximo”.

UNIPAMPA EMPOSSA 67 ASSISTENTES EM ADMINISTRAÇÃO EM ATO COLETIVO.

Mais 67 servidores tomaram posse nesta segunda-feira, 25 de agosto, na Universidade Federal do Pampa (Unipampa). A chamada Posse Coletiva marcou o ingresso no serviço público federal de assistentes em administração aprovados no mais recente concurso realizado pela Instituição e nomeados em julho deste ano. Os novos técnicos administrativos em educação são aguardados para, dentro dos próximos 15 dias, entrar em exercício nos dez campi e na Reitoria.
Além de acolher os novos colegas, a posse foi o momento de apresentação da Universidade, dos primeiros passos que todos deverão tomar ao iniciar seu trabalho, explanação sobre as principais dúvidas desta fase de ingresso, e manifestação de todos os gestores presentes sobre a ansiedade com os quais todos são esperados em seus postos de trabalho. “O cargo de vocês foi pensado, planejado e disputado por todos os setores da Instituição. Tenham certeza de que os setores estão prontos e aptos para recebê-los, aguardando com muita ansiedade”, comemorou a pró-reitora de Gestão de Pessoal, Sandra de Leon, ao recepcionar os empossados.
A reitora Ulrika Arns apresentou um pouco da história e da estruturação da Unipampa aos ingressantes na carreira pública, e apresentou os pró-reitores, diretores e representantes presentes na acolhida. A reitora destacou que os servidores chegam em uma Universidade ainda em construção, mas em fase de consolidação, e destacou a estratégia de tematização dos campi que vem rendendo frutos de excelência com a implantação dos dez programas de mestrado e um doutorado já em pleno funcionamento na Instituição.
“Falamos com muito orgulho da pós-graduação, pois mostra o trabalho que traz inovação e produção do conhecimento para o interior do País”, explanou Ulrika Arns. Da origem calcada na demanda da região pela Universidade Pública, a reitora comentou que “a Unipampa já nasce com o olhar no desenvolvimento regional, mas articulada com os atores nacionais e internacionais, e com a extensão e a inovação como essenciais para este contato com a sociedade”. As boas vindas encerraram-se com a entrega dos termos de posse e o registro fotográfico que pode ser conferido neste link.
O encontro realizado no auditório do Campus Bagé contou com a presença da reitora Ulrika Arns, do vice-reitor, Almir Barros da Silva Santos Neto, da pró-reitora de Gestão de Pessoal, Sandra de Leon, bem como pró-reitores, coordenadores e diretores de campus.

SEMANA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: PALESTRAS PROMOVEM A CONVIVÊNCIA.

A Secretaria Municipal de Educação (SEME) realizou na tarde desta segunda-feira (25/08) a 2ª edição da Paragincana. As atividades, envolvendo alunos da rede municipal e Associação Pró-Down, marcaram o terceiro dia de mobilização da Semana da Pessoa com Deficiência. A competição aconteceu no Ginásio de Esportes da Universidade da Região da Campanha – Campus III. Também foram organizados passeios a cavalo.
A programação continua na manhã desta terça-feira (26/08), no auditório da Escola Ginásio São Gabriel, com palestra para professores convidados com o tema “Aluno Down na sala de aula regular e no AEE”. Na parte da tarde serão realizadas atividades próprias em todas as instituições de ensino do Município.
Na manhã de quarta-feira (27/08), no auditório do 9º RCB, as professoras Myrta Krass e Ximena Dergam, da 19ª Coordenadoria Regional de Educação (19º CRE), ministrarão a palestra: “A pessoa com deficiência quebra a cultura da indiferença, tenha coragem de ser diferente!”.
O objetivo principal é promover a aceitação e fazer com que as pessoas percebam a importância de conviver junto ao diferente e principalmente conscientizar a todos, que ser diferente é normal.  “Os limites existem, mas precisa haver sempre a motivação para a superação dos mesmos, seja por parte da própria pessoa com deficiência, como de toda comunidade, pois é essa motivação, essa garra, na luta diária de cada um, que tem necessidades especiais, que faz com que as diferenças sociais e o preconceito diminuam cada vez mais”, destacou a coordenadora do Setor de Inclusão, Jaqueline Pinheiro.

EVENTOS - O clube do 9º RCB será o palco do evento de encerramento da Semana da Pessoa com Deficiência. Uma grande festa a fantasia, com a participação de todas a Escola da Rede Municipal, será realizada a partir das 14 horas.
A proposta da SEME é repetir o sucesso da edição do ano passado, quando foram eleitos o casal mais animado do baile a rainha e rei da festa. A aluna da Escola Especial Nossa Senhora das Graças, Márcia da Silva Fagundes e o aluno da APAE, Nelson Correia, conquistaram os títulos.
Na abertura da Semana, na quinta-feira (21/08), cerca de mil pessoas participaram de uma caminhada em defesa da conscientização. Participaram professores, pais e alunos das escolas públicas do Município e do Estado e instituições de ensino particular.

NOVAS REGRAS: COMISSÃO DO SENADO ESTUDA ABOLIR “ç”, “CH” E “SS” DA LÍNGUA PORTUGUESA.

Uma nova proposta, ainda mais radical, já está em elaboração pela Comissão de Educação do Senado e pode promover mudar na ortografia. Novas regras para o português devem ser apresentadas pelo grupo técnico da Comissão de Educação até 12 de setembro. Elas podem alterar as mudanças que tinham obrigatoriedade prevista para o fim de 2012, foram prorrogadas por quatro anos, e que, até agora, quase ninguém aprendeu direito. Além de reduzir o número de regras e exceções na língua, o objetivo da comissão é expandir o debate com a comunidade, especialistas e países que falam o português.
“O projeto estava entrando em vigor sem ter sido discutido no Brasil. A Academia Brasileira de Letras (ABL) estava fazendo uma reforma sozinha, de um jeito muito conservador. Então pedimos o adiamento do prazo de obrigatoriedade e montamos uma comissão para propor novas regras, simplificar a ortografia e, principalmente, padronizar a gramática com outros países”, afirma o presidente da comissão, senador Cyro Miranda (PSDB-GO).
Como senador não palpita sobre a presença ou a ausência de “cê-cedilha, hagá ou ceagá”, dois especialistas foram chamados para coordenar o grupo técnico: os professores de português Pasquale Cipro Neto e Ernani Pimentel, responsável pelo site simplificandoaortografia.com — que fomenta um movimento para “substituir o decorar pelo entender” e reúne pitacos de quem se interessar pelo assunto.
“Por enquanto estamos juntando sugestões. Pretendemos redigir o conjunto de regras e apresentar entre 10 e 12 de setembro, no Simpósio Internacional Linguístico-Ortográfico da Língua Portuguesa, em Brasília. Esse projeto será levado ao Senado, que irá realizar uma audiência pública para ouvir todos que quiserem contribuir”, diz Pimentel.
A polêmica não deverá ser pequena. Para a doutora em Filologia Românica e professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Unisinos, Dorotea Kersch, a proposta é um “absurdo, a legítima falta de ter o que fazer”.
“Não existe língua fácil ou língua difícil. Cada língua tem sua história e suas especificidades. Não é simplificando a ortografia que resolvemos os graves problemas de leitura e escrita de nossos alunos, que são escancarados a cada avaliação sistemática. Quem sabe os senadores se preocupam com coisas que realmente impactam o ensino, como salário de professores, ou uma política de ensino de língua adequada às diferentes realidades do Brasil”, rebate.
Conforme o senador Miranda, o objetivo é ter a versão final do projeto pronta até maio de 2015 para que seja colocada em votação e possa entrar em vigor no início de 2016. Até lá (e se chegar lá), o processo é longo, e não são poucos os obstáculos. No caminho, ainda estão a resistência que mudanças radicais provocam, a morosidade com que o assunto é levado no Brasil — o último acordo ortográfico proposto foi discutido na década 1970, assinado em 1990 e aplicado a partir de 2008 — e a necessidade de se convencer todos os países a aprovarem a nova forma de se escrever português.

Conheça regras que devem ser propostas:
Fim do H no início da palavra:
Homem – Omem
Hotel – Otel
Hoje – Oje
Humor – Umor

G fica som de “gue”:
Guerra – Gerra
Guitarra – Gitarra

CH substituído por X:
Chá – Xá
Flecha – Flexa

S com som de Z vira Z:
Asa – Aza
Brasília – Brazília
Base – Baze

X com som de Z vira Z:
Exame – Ezame
Executar – Ezecutar

C antes de E e I vira S:
Censura – Sensura
Cedo – Sedo
Cidade – Sidade

SS vira S:
Gesso – Geso
Fossa – Fosa

SC antes de E e I vira S:
Nascer – Naser

XC com som de S vira S:
Exceto – Eseto
Excêntrico – Esêntrico

O que mudou com o acordo de 2008:
O último acordo acabou com o trema, alterou 0,5% das palavras utilizadas no Brasil (1,6% da grafia usada em Portugal) e incorporou as letras “k”, “w” e “y” ao alfabeto. O acento agudo desapareceu nos ditongos abertos “ei” e “oi” em palavras como “idéia” e jibóia” e nas palavras paroxítonas com “i” e “u” tônicos, quando precedidos de ditongo em palavras como “feiúra”. O acento circunflexo deixou de ser usado em palavras com duplo “o”, como “enjôo”, e na conjugação verbal com duplo “e”, como vêem e lêem. O temido hífen desapareceu em palavras em que o segundo elemento comece com “r” e “s”, como “anti-rábico” e “anti-semita” — cuja grafia passou a ser “antirrábico” e “antissemita”. O hífen foi mantido quando o prefixo termina em “r”, como “inter-racial”.
(Zero Hora)

GOVERNO E NOVA DIREÇÃO DO CPERS TÊM PRIMEIRA REUNIÃO NO PIRATINI.

Governo do Estado e Cpers tiveram, nesta segunda-feira (18), sua primeira reunião no Palácio Piratini, após a posse da nova direção do sindicato. O governador Tarso Genro, o secretário estadual da Educação, Jose Clovis Azevedo, e o chefe da Casa Civil, Flávio Helmann, receberam a presidente, Helenir Aguiar Oliveira, e mais 15 membros da diretoria do sindicato presentes no encontro. Entre os pontos em discussão na pauta estão o pagamento do piso salarial, o vale refeição, a formação de um conselho escolar, promoções e nomeações e a realização de concursos para funcionários de escolas. “Foi um encontro bastante positivo, pois nossa disposição sempre foi a de manter e intensificar o diálogo com o Cpers. Vários pontos da pauta já saíram daqui com um encaminhamento, mostrando que nem sempre o confronto é o melhor caminho”, disse Jose Clovis, ao final do encontro.

Essa visão é compartilhada pela direção da categoria, que se comprometeu a buscar uma solução para as reivindicações, muitas delas históricas, através da negociação. “Ficamos contentes com essa visão do Governo de dialogar, pois essa foi nossa principal bandeira de campanha. Entendemos as dificuldades, mas estamos aqui para buscarmos melhorias para nossa categoria e para a educação no Estado”, ressaltou Helenir, deixando claro que a disposição do sindicato é de buscar o entendimento.
O governador acenou positivamente para todos os pontos da pauta dos professores e funcionários da educação, destacando que a renegociação da dívida do Estado, que deve acontecer em novembro, é fundamental para que o governo continue o processo de recuperação salarial do servidor público. “A partir disso teremos uma folga de R$ 800 a 900 milhões por ano. Passaremos para uma nova etapa no processo de reestruturação do serviço público do Estado”, disse Tarso Genro.
Entre as pautas sindicais apresentadas, está a revogação da ordem de serviço 01/2013, que impede a nomeação de vice-diretores escolhidos pela direção antes do cumprimento de dois terços do mandato. Após a negociação, foi acordado que o sindicato vai retirar a ação judicial sobre o caso e o governo vai nomear retroativamente os vice-diretores que já estão atuando nas vagas. A partir de 2011, com a realização da eleição por chapa no caso de vacância de um membro da diretoria, é necessária a realização de nova eleição. Com o pedido de aposentadorias, aproximadamente cem escolas da rede ficaram com as vagas abertas.
Concurso para funcionários
A realização de concurso para funcionários já está em curso; o edital deve ser lançado ainda este ano. Com relação à profissionalização dos funcionários, foi proposto que a Escola de Governo, ligada à Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), seja parceria para a realização de cursos técnicos destinados aos funcionários de escolas.
O governador comentou ainda que se une à luta do Cpers para que os recursos oriundos do Pré-Sal (exploração de petróleo) sirvam para garantir o cumprimento da aplicação dos 10% do PIB (Produto Interno Bruto) na educação, conforme o Plano Nacional de Educação, os 35% do orçamento da União previstos na Constituição, e que sirva para melhorar a educação básica e as condições salariais e de trabalho dos profissionais da educação. Também se dispôs, através da Seduc e do Codipe (Comitê de Diálogo Permanente), a criar espaços para discutir temas referentes aos aposentados, discussões pedagógicas, aperfeiçoamento dos quadros, além da realização de concursos públicos e a nomeação dos aprovados em concursos anteriores.
Sobre o piso do magistério, Tarso explicou a posição do governo. “Temos essa visão de que o pagamento do piso através do Fundeb inviabiliza o pagamento, mas pelo INPC é possível. Queremos saber a opinião da categoria sobre isso agora que estamos restabelecendo os canais de conversação. Estamos abertos, e é bom saber que a nova direção do sindicato também está. E repito, tudo pode ser discutido desde que a saúde financeira e a capacidade de investimentos do Estado sejam garantidas”, explicou Tarso.
“Nossa postura é a de buscar e trabalhar pela melhoria das condições do magistério e dos funcionários ao qual representamos. Portanto queremos deixar essa porta aberta junto ao Governo, e dizer que sempre que formos convidados a participar das discussões que digam respeito a nossa educação, estaremos presentes”, afirmou Helenir, que comanda o sindicato que conta com 42 núcleos distribuídos pelo Rio Grande do Sul e mais de 87 mil associados.
Duas novas agendas já foram marcadas para a continuidade dos debates. Ainda nesta semana, com data a definir, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) tem novo encontro com o Cpers para tratar das adequações da lei de gestão, no que se refere a eleições das direções escolares. No dia 27, haverá encontro com o Comitê de Diálogo Permanente (Codipe) do governo do Estado, para buscar alternativas para o magistério quanto ao estorno do vale-refeição. Também participaram da reunião a secretária-adjunta da Seduc, Maria Eulália Nascimento, e o presidente da CUT-RS (Central Única dos Trabalhadores), Claudir Nespolo.

PALMIRA VIEIRA DA SILVA SERÁ A HOMENAGEADA EM NÍVEL MUNICIPAL NA SEMANA DA PÁTRIA 2014.

Com a presença de diretores e representantes de estabelecimentos de ensino da rede pública municipal, estadual e particular, de entidades de classe, igrejas, clubes de serviço, entre outros, prosseguiu no final da manhã de quarta-feira (13/08), mais uma das séries de reuniões organizadas pela Secretaria Municipal de Educação (SEME) com o objetivo de definir a organização da Semana da Pátria 2014. Na ocasião, a equipe da SEME através das coordenadoras Administrativa Branca Estelita Wiesel, e de Eventos Márcia Dornelles e do Professor de Educação Física Paulo Ricardo Monteiro Molina, explicou os detalhes referentes as atividades previstas na programação oficial, como a chegada do Fogo Simbólico ao Município no próximo dia 21 e a realização de mais uma edição do Torneio Verde Amarelo, de 3 a 5 de setembro,
A coordenadora destacou que a abertura oficial acontecerá no dia 1º de setembro às 9 horas no Espaço Cívico da Praça Dr. Fernando Abbott com o acendimento da Pira. Também durante a semana estão previstas Saudações Cívicas, Hora Cívica com a participação dos alunos das Escolas Municipais e Culto Ecumênico, entre outras atividades, culminando no dia 7 a partir das 13h30min com o Desfile Cívico Militar e Estudantil e o encerramento oficial às 18 horas pelo Prefeito Municipal e o Comandante da Guarnição Militar Federal de São Gabriel.
Durante a reunião a coordenadora salientou que conforme foi definido pela Liga da Defesa Nacional do Estado do Rio Grande do Sul (LDN) o Tema Nacional será “Meu Jeito de Ser Brasileiro”. Já em relação a homenagem Nacional o destaque é a “Amazônia – Patrimônio Histórico”, e Estadual será o compositor Lupicínio Rodrigues – “100 Anos de Dores e Amores”. Em nível local Branca Wiesel anunciou que a homenageada será a Srª Palmira Vieira da Silva.
Em relação à homenageada municipal, o prefeito Roque Montagner fez questão de ressaltar o reconhecimento do Executivo e da comunidade gabrielense a Palmira Vieira da Silva. Conforme ele “seu coração era extremamente grande e sensível com uma bondade imensa. Doou parte de sua vida aos mais necessitados, em especial aos pequeninos, deixando muitos legados que os gabrielenses poderão usufruir, entre eles está o Instituto Palmira Vieira da Silva, que infelizmente estava desativado, o Instituto São Gabriel (Lar das Meninas) e a Fundação Agrária e outras propriedades a entidades Santa Casa e Asilo São João”, declarou o prefeito. Roque disse ainda que o Governo Municipal está resgatando esta parte da história de São Gabriel com a efetivação da assinatura de um convênio com o referido Instituto, tornando oficial a oferta de 70 vagas para a Escola de Educação Infantil (berçário, maternal e jardim).

EDUCAÇÃO DESENVOLVE ATIVIDADES PARA MELHORAR O ATENDIMENTO AO ALUNO COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

Em São Gabriel a Secretaria Municipal de Educação (SEME) iniciou o segundo semestre de 2014 com mais de 200 alunos com necessidades especiais inseridos em salas regulares. Deste número, 120 participam de atividades em Salas de Recursos (SR) em 16 instituições de ensino da cidade. O processo começou a ser efetivamente desenvolvido no Município no ano passado quando o Governo Municipal, por determinação de lei, oficializou parceria com a Associação Pró-Down. A instituição passou a funcionar na sede da antiga Escola Especial Nossa Senhora da Graças e os estudantes dela passaram a ser atendidos em dois turnos. Em um deles crianças, jovens e adolescentes se juntaram a outros alunos e começaram vivenciar a rotina do ambiente escolar.
Para melhorar o atendimento a esse novo público a SEME tem organizado atividades de aperfeiçoamento para professores. Um exemplo disso são as palestras sobre Formação Continuada e Atendimento Educacional Especializado (AEE) realizadas no mês passado na Escola Carlota Vieira da Cunha com a presença de profissionais que atuam nas Salas de Recursos (SR) do Município. A secretária de Educação, Nilvanês Jobim, disse que a formação dos educadores beneficia todas as escolas que atendem os alunos inclusivos.
Responsável pela organização das atividades a professora Jaqueline Pinheiro (chefe do Setor de Inclusão da SEME) explica que o processo de formação surgiu com o interesse dos próprios professores em adquirir mais conhecimento. “Eles querem se aprofundar num estudo completo sobre as deficiências. A professoras, em grupos, se reúnem e estudam o que há de mais moderno e atualizado e apresentam aos outros grupos do AEE. As professoras que são das salas regulares, que possuem alunos com a deficiência, e supervisores de escolas também são convidados a participar”, argumentou.
As apresentações consistem em conceituar as deficiências, Transtornos Globais ou altas habilidades. Para isso, são feitas perguntas e avaliadas as respostas: quem é esse aluno? Que atividades propor para esse aluno no AEE? Que recursos que esse aluno necessita? E que atividades propor ao professor da sala de aula regular?
O primeiro encontro tratou especificamente da Deficiência Visual e teve como responsável a professora Zélia Maria Borges, que atua na Sala de Recursos para Deficiência Visual na Escola Carlota Vieira da Cunha.
O Atendimento Educacional Especializado (AEE) é um programa da Secretaria Municipal de Educação oferecido aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento ou altas habilidades/superdotação. Para tal, devem ser oferecidas ao aluno serviços e estratégias que venham a possibilitar a sua participação efetiva na sociedade, tendo pleno desenvolvimento da aprendizagem.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.613 outros seguidores