O IMPARCIAL COMEMORA 81 ANOS NESTE SÁBADO.

Entre todas as atividades humanas, nenhuma responde tanto a necessidade de espírito quanto o jornalismo. É próprio da nossa natureza, informar-se e informar, reunir conhecimentos sobre o que ocorre na comunidade em que vivemos ou nos mais longínquos rincões do mundo. Uma das primeiras descobertas do homem foi a comunicação. O Homem aprendeu a ler, surge o manuscrito, aparecem os jornais, nasce a imprensa. Todavia, a arte de impressão com tipos móveis só foi possível a partir de 1444/1448, quando Joham Gutembergue montou a primeira tipografia.

NO BRASIL: o primeiro órgão de imprensa foi a GAZETA DO RIO DE JANEIRO, publicada a partir de 10 de Setembro de 1808. E, no RIO GRANDE DO SUL – o primeiro jornal foi o DIÁRIO DE PORTO ALEGRE, que circulou na capital do Estado a partir de Junho de 1827.

EM SÃO GABRIEL – segundo o historiador Osório Santana Figueiredo, em seu LIVRO SÃO GABRIEL DESDE O PRINCÍPIO – o primeiro jornal foi o “ARTILHEIRO”, fundado por Pedro Bernardino de Moura em julho de 1850. Este jornal era produzido em manuscrito e cessou suas atividades no mesmo ano de sua fundação. Já em 1862, surgiu O PHAROL GABRIELENSE, semanário com quatro páginas, poucas notícias e muitos versos e sonetos. Em 1883, surge a A RESISTÊNCIA. Em 1886, O ZIG-ZAG; 1889, O PÁTRIA NOVA; Em 1900, surgem os jornais O MOSQUITO, O BICO DA CHALEIRA, A PUA, A CAVAÇÃO, O JACAREENSE, O ECHO GABRIELENSE e o CHICOTE. Em 1908, surge A LUCTA; Em 1916, A DEFESA, fundada por Miguel Reinette. Em 1918, O DIÁRIO DA MANHÃ fundado por Castro Guimarães e a GAZETA, fundada por Antenor Borges. Em 1919, A TRIBUNA de Roque Calage e a SEMANA, fundada por Silvio de Faria Corrêa. Em 1920 surge o jornal A NOTÍCIA, fundado por Argemiro Zimermann, além dos jornal, O BARÃO DE ITARARÉ, fundado por Hugo Hungarett, posteriormente, chamado de CORREIO DO PAMPA, órgão do Partido Republicano. Em 1924 surgiu A REAÇÃO, órgão da Aliança Libertadora, bem como os jornais O ESTADO, fundado por Silvério Menezes, e o REPUBLICANO.

Já em 24 de março de 1931, surge o JORNAL O IMPARCIAL, fundado por José Sampaio Marques Luz, jornalista, advogado e engenheiro-agrônomo, natural de Palmeira dos Índios, Estado de Alagoas. Inicialmente, era produzido pelo “SISTEMA TIPOGRÁFICO”, ou seja, feito letra por letra e ao inverso. Mesmo assim, circulava diariamente. O primeiro período durou 29 anos, de 1931 a 03 de abril de 1961, quando faleceu seu fundador. O jornal passou a ser administrado por RUI BARROS, que o manteve por um período de 12 anos. Em 1973, O Imparcial foi vendido para ERASMO JOSÉ DIAS CHIAPETTA. Neste período, o jornal passou a ser impresso pelo Sistema linotypo, com moldes fundidos em chumbo e as fotos com clicheria. Este período teve uma duração de 13 anos. Em 1986, os empresários CARLOS VIEIRA GONÇALVES e Elson Ilha de Macedo compraram a empresa. A partir desta data, o Imparcial entrou na era da informática. Durante a trajetória de 81 anos, O Imparcial registrou os mais inerentes acontecimentos da história de São Gabriel: – Em 1931, registrou a chegada das primeira recepções de rádio; Em 1932, a REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA; Em 30 de Novembro de 1934, a fundação da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO GABRIEL; Em 25 de Janeiro de 1935, a fundação da COOPERATIVA RURAL GABRIELENSE; Em 15 de Julho de 1936, a Fundação do ROTARY CLUB SÃO GABRIEL; Em 25 de Dezembro de 1941, a fundação do ASILO SÃO JOÃO; Em 06 de Setembro de 1943, a instalação da HIDRÁULICA MUNICIPAL; Em 25 de Outubro de 1949, a fundação da RÁDIO SÃO GABRIEL, fundada por Arnaldo Balvee; Em 29 de Setembro de 1950, registrou a visita ilustre do Presidente da República Dr. GETÚLIO DORNELES VARGAS; Em 31 de Outubro de 1953, a fundação do CTG CAIBOATÉ; Em 1959, a criação e oficialização do BRASÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL, criado pelo professor Dinarte Rodrigues, bem como o HINO DO CENTENÁRIO DA CIDADE, composto pela Professora GELSA CORRÊA CUNHA; Em 02 de maio de 1961 a fundação do LIONS CLUBE S GABRIEL; Em 16 de Outubro de 1963, a fundação do CTG TARUMÃ; Em 1964, A REVOLUÇÃO DE 1964; Em 1965, registrou a chegada das primeira imagens de televisão em São Gabriel, com grande esforço e participação do saudoso Pedro Mussoline Rodrigues. Em 19 de Fevereiro de 1970, registrou o fechamento da Casa de Força e Luz e a inauguração da TERMO-ELÉTRICA OSWALDO ARANHA; Em 02 de Junho de 1977, registrou a criação da bandeira do município de São Gabriel – LEI 991, a fundação do MUSEU JOÃO PEDRO NUNES; Em 07 de Fevereiro de 1986, a fundação da RÁDIO BATOVI, fundada por Nissio Skenasi e Gianfranco Trevisan; Em 28 de Janeiro de 1999, a fundação da BAND FM, fundada por Carlos Alberto Flores Ross; Em 13 de Novembro de 2000, a fundação da RBC, Fundada por Rivadávia Barbosa Corrêa, entre outras.

Durante sua existência, O Imparcial também vivenciou fatos marcantes para o Estado, para o País e para o próprio Mundo, como por exemplo: A ascensão de HITLER E MUSSOLINE, e o PÂNCIO MUNDIAL COM O TERROR DO NAZISMO; A luta pela NOVA CONSTITUIÇÃO em 1932: A ascensão, retorno e suicídio de um estadista; O nascimento da nova CAPITAL FEDERAL; O cerco ao PALACÍO PIRATINI, motivado pela Legalidade; A JUVENTUDE DE CARA PINTADA, dizendo “NÃO” A CORRUPÇÃO e a DEPOSIÇÃO DE UM PRESIDENTE e o FIM DA NAVEGAÇÃO NO RIO VACACAÍ. Em 81 anos de atividades, o Imparcial também foi alvo de considerações simbolizadas por expressivas homenagens, tais com: Em 12 de maio de 1970, foi homenageado pelo Poder Legislativo de São Gabriel, que lhe concedeu o TÍTULO DE UTLIDADE PÚBLICA MUNICIPAL – LEI 588/70; Em 16 de maio de 1984, recebeu da Secretaria Geral da Presidência da República o “DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO NA CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO DA VIDA URBANA”; Em 09 de Agosto de 1985, recebeu da 6ª Divisão do Exército Brasileiro o DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO NA OPERAÇÃO FARROUPILHA; Em 24 de março de 1986, recebeu do Poder Público Municipal, através do Prefeito Baltazar Balbo Teixeira, uma PLACA COMEMORATIVA alusiva ao seu 55º Aniversário; E, na mesma oportunidade recebeu também do Governador Jair Soares, no Palácio Piratini, uma Placa de Bronze, simbolizando o reconhecimento do Estado do RS; Em 1º de Junho de 1989, recebue do TST- Tribunal Superior do Trabalho, na pessoa do Ministro Dr. Marco Aurélio Prates de Macedo, uma manifestação de grande apreço por este jornal; Em 24 de março de 1991, durante as comemorações do 60º Aniversário este jornal, recebeu uma das mais expressivas homenagens, um “MONUMENTO”, instalado na Praça Dr. Fernando Abbott, ao lado da Estátua de seu Fundador José Sampaio Marques Luz. Esta homenagem teve origem de uma proposição do vereador Caio Flavio Lopes Rocha, sancionada pelo Prefeito Dr Eglon Meyer Correa; Em 24 de Março de 2001, durante as comemorações de seu 70º aniversário, este jornal foi homenageado pelo Poder Público Municipal na pessoa do Prefeito Rossano Dotto Gonçalves, com uma PLACA DE BRONZE, instalada no Hall de entrada do Palácio Plácido de Castro.Também nesta oportunidade, O Imparcial foi homenageado pelo PODER LEGISLATIVO DE SÃO GABRIEL, com uma Sessão Especial, proposta pelos vereadores Ricardo Bragança e Adão Valdeci Martins Santana. Em 30 de Novembro de 2004, o jornal recebe da Rádio São Gabriel o DIPLOMA DE PARTICIPAÇÃO – PARCEIRO TCHÊ; Além de outras manifestações como DIPLOMA DO LIONS CLUB INTERNACIONAL, SECRETARIA GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, GOVERNADOR OLIVIO DUTRA e ROTARY CLUBE SÃO GABRIEL. Já em 04 de Fevereiro de 2005, O Imparcial é premiado na Província de HUESCA/ESPANHA, com o prêmio “FÉLIX DE AZARA”, por matéria do Meio da Comunicação Social Internacional, oportunidade em que foi representado por Ricardo Bragança, na época Vice-Prefeito do Município de São Gabriel.

Neste contexto, entre 1931 e 2012, se passaram 81 anos de ininterrupta  atividade do JORNAL O IMPARCIAL, que hoje figura como o 11º jornal mais antigo do Estado do Rio Grande do Sul.E tudo isso se deve ao valioso apoio da nossa comunidade, dos Poderes Constituídos, dos nossos patrocinadores, anunciantes, assinantes e colaboradores, a quem agradecemos pelo apoio recebido.

CARLOS VIEIRA GONÇALVES – Diretor

About these ads

1 comentário

  1. Por eu ter começado a trabalhar na imprensa no jornal O Imparcial, em 1974, não posso esquecer os nomes dos jornalistas Edgar Lisboa, que implantou a composição através do linotipo e a produção de fotos através de clicheria própria, além de dar uma característica de “jornal de capital”, e de Ciro Jardim de Oliveira. Na época atuou como editor o jornalista Evilázio de Oliveira, que trabalhou no Palácio Guanabara, durante o governo de Brizola, e que juntamente com Edgar Lisboa tornaram O Imparcial com um dos jornais mais importantes da região.


Os comentários estão fechados.

Comments RSS

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.613 outros seguidores